Álvaro ao sol

Está a tornar-se notório que este governo tem dois ministros que vale a pena seguir com atenção – Victor Gaspar e Nuno Crato – porque mesmo discordando das orientações nota-se que sabem minimamente o que querem fazer, embora não saibam bem como lá chegar (algo mais evidente no caso de Crato, que espero que aprenda depressa que o ME é um campo minado cujo objectivo é fazer ministros ficarem sem pernas para andar). Têm o mérito  de requererem inteligência e alguma profundidade nas críticas e avaliações. Há outros dois que pelo que se percebe são tão fraquinhos, mas tão fraquinhos, que a simples galhofa serve. O caso mais evidente é Assunção Cristas, que revelou a sua total e completa impreparação para cargos desta responsabilidade não pelo inconsequente episódio das gravatas, mas por ter achado necessário publicar o mesmo em DR, onde ficará para gozo eterno. E Paulo Portas, que evidentemente se acha merecedor de umas prolongadas férias à volta do mundo, já que conseguiu ser aliviado de toda e qualquer responsabilidade que interesse.

E depois há o Álvaro, o génio de Vancouver.

Aqui a galhofa já entra na fase de humor negro, daquele que utilizamos quando o motor do avião começa a arder. Já é outra coisa, bem mais séria. Porque os seus conhecimentos académicos sobre economia são evidentes, ninguém põe isso em causa. E tem uns livros escritos. O que é espantoso é que use essa suposta munição intelectual para tantos tiros de pólvora seca, tanta banalidade, tão medíocre que roça o insulto. Aliás, é mesmo insultuoso. Aqui temos alguém que alegadamente seguia de perto a economia portuguesa, que tem extensos conhecimentos em “desenvolvimento económico”, e que chamado ao seu país para aplicar esses conhecimentos, o que tem a propor é a “Florida da Europa”, num programa que ameaça designar de “Reforma ao sol”.

Florida da Europa? Reforma ao sol? A sério?  Atrair estrangeiros nos anos dourados? Mas porque é que nunca ninguém se lembrou dessa? Ninguém repito, absolutamente ninguém. Essa é a grande ideia de desenvolvimento para o futuro? Porque até agora não ouvi outra, tirando a revelação que temos que apostar na exportação, outra das coisas que ninguém fazia ideia. Mas falando em exportação, alguém lhe ouviu, até agora, alguma coisa relacionada com ciência e tecnologia? Eu também não. Investigação e desenvolvimento? Não. Energias alternativas? Nada. Carro eléctrico? Zero. Cluster de aviação, aproveitando a vinda da Embraer, conseguida pelo anterior governo? Silêncio. Até tenho medo que alguém pergunte ao ministro o que é que devemos exportar, porque ainda se sai com a industria conserveira, ou sapatos baratos, ou outra do mesmo calibre e actualidade. Resultou nos anos 50, não foi?

Ou seja, para resumir, as ideias do ministro académico para o “desenvolvimento económico” são: marketing inútil (“marca Portugal”, agora é que ninguém nos pára) a juntar ao mercado imobiliário e restauração (“Reforma ao sol”). A estratégia dos três Tês – Tangas, Trolhas e Turismo – para servir os cidadãos estrangeiros que colhem os frutos das suas economias avançadas . E é isto, pelos vistos, que o académico do Canadá acha que é o nosso futuro. Para usar as suas palavras, tão inteligente e inovador que nem parece feito em Portugal.

23 thoughts on “Álvaro ao sol”

  1. Valupi,
    Só esses dois é que são “especiais”?
    E o que se especializou no Parlamento a chamar mentiroso ao PM e abanava a cabeça enquanto ria alarvemente? Esse tal de Macedo que mal fora nomeado ministro já o novel pm o desautorizava e tratava como “paquete”? E a ministra loura da justiça a ex-nitista que mantinha na oposição o seu estilo de ex-nitista de derrubar o ex-governo revolucionariamente?
    E podemos começar pelo actual pm e acabar no paspalhão do secretário da cultura, que tinham montes de soluções para cada ideia ou decisão do outro governo e agora ninguém os ouve propor o que quer que seja? Ou melhor só os ouvimos propor aumentos para cobrir despesas que era tudo o que os faziam gritar e saltar as tripas para pedirem ao povo que corresse com os malfeitores que não cortavam nas despesas e queriam acabar com a classe média?
    Mentirosos? Não, eles foram, são a mentira em estado latente de língua e mão de sombras sem contornos.

  2. …os “totós” do grupo pouco interessam…quem deve ser seguido atentamente é o “gasparzinho” pelo elevado grau de fanatismo neoliberal de que se encontra imbuído…o tipo tem uma nítida cara de raiva mal contida uma espécie de obstipação crónica contra a coisa pública…esse “gasparzinho cara de fantasma” é simplesmente perigoso…do grupo é o pior pois tem-se na conta de mui cerebral…cerebral o tanas não passa de mestre escola…debita catecismo com ar sonolento e no fim espeta negas aos alunos todos anestesiados para se dar ares e elevar a importância do seu blabla manhoso e gasto…conheci muitos destes génios da treta.

  3. Proponho a criação URGENTE da Secretaria de Estado do Reformado Estrangeiro, integrado no super ministério do Álvaro. Ou da Agência Portuguesa do Reformado Estrangeiro( a APRE!), coordenada conjuntamente pelo Álvaro e pelo Portas (que já tem experiência com os reformados).

  4. Eu não me importo de ocupar esse cargo de Sec do Reformado Estrangeiro ou do Apre que é como quem diz, apre que já chega de tanta cretinice!Mas , só gostaria do cargo se me arranjassem um salário equivalente ao da Super Sec das Financas(sem cedilha).

  5. Venderam-nos a ideia que era uma honra terem um português à frente da UE.

    Agora que é notório que metemos lá uma batata e não um cherne, e que o tempero de azeite e vinagre não resolve, resta o quê?

    Uma batata que esteve a dormir até que os ratings mordessem os pés do seu rico PSD e que agora escreve cartinhas lindas de preocupação aos seus amigos da UE?

    Mas será que não é possível, apesar do apoio do PR, efectuar uma circuncisão a isto?

    Mas esse gajo não tem já trabalho feito mais do que suficiente para que a UE lhe conceda a merecida reforma?

    Estou a ver… Cumpre-se a regra. O cidadão europeu é que é muito estúpido e não percebe nada do mundo. Nada.

    E em Portugal os governantes vão continuar felizes a bater com a cabeça nas paredes.

    Faz-lhes muito bem! Porque está provado com estes ataques à dívida italiana e espanhola que o problema não era do Sócrates.

    Os renitentes ainda vão ver os restantes países da UE aflitos. A Itália e a Espanha já nem têm grande importância porque os palhaços é que continuam importantes na construção do país.

  6. Palavras para quê! O Álvaro é o maior comediante português faça-se-lhe justiça se é que a justiça ainda existe. Eu iria mais longe e daqui dou uns bitaites ao Álvaro. Oh Álvaro pá, ouve lá com atenção (tenho aqui perto de mim alguém a dizer que se trata dum ministro e portanto é assim que deve ser tratado. Ouve lá oh mulher. Foi o gajo que disse que não queria ser tratado de ministro, porra!) continuando: também sugiro praias de nudismo que é uma coisa que dá dinheiro como merda (Oh mulher o facto de andarem nus e não comprarem fatos de banho não interessa. Se o tipo anda nu tem que ir ao cabeleireiro aparar a pintelheira, tratar dos pelos do cu, etc., etc.). E mais: por exemplo as Câmaras podem construir canis que também é um ganda negócio. Eles podem trazer os lulus e deixá-los nesses hotéis. Assim ganhamos 2 vezes. Hotel pró reformado e hotel pró lulu. (Oh Álvaro, ganda compincha, ainda não te tinhas lembrado desta. Conta cá ao mangas

  7. Concordo com o blablazada . o Gasparzinho é perigoso porque é o único fanático neste governo.
    Está perfeitamente convencido de estar numa missão divina e nada parará a sua fúria neoliberal, qual cruzada moderna.
    Tudo o resto está lá para se encher , encher os amigos ou passar uma borracha sobre processos que decorrem na justiça contra si e contra os amigos . Ponto.

  8. Podia juntar aí também uma multinacional imobiliária inglesa bastante antiga que entretanto decidiu encerrar com a crise na qual trabalhei. Só em 2007 somando todas as vendas na qual foi agente, daria o maior investimento estrangeiro em Portugal. E quais eram os “alvos”? Um deles era mesmo esse.

    Neste momento não está de feição este mercado, só quando isto passar. É um mercado muito ligado à crise até porque ao contrário do senso comum, o estrangeiro por norma procura vender um propriedade na sua terra natal para ir passar a reforma em Portugal e é coisa que neste momento não consegue. Não é a classe alta que compra propriedades para reforma mas sim a média.

  9. Flórida da Europa é o papel destinado a Portugal na construção Europeia á muito traçada.
    É mau? É!
    Mas pior é que nem isso Portugal conseguiu concretizar com engenho e qualidade.
    Por exemplo nos anos de ouro dos Ingleses no Algarve, em pleno verão, o Algarve todo em obras, as construções aberrantes e desordenadas, a falta de preservação do edificado cultural sem relacionamento com o novo, etc,etc.

  10. Nuno José, é exactamente a minha percepção. Basta passear na zona de Óbidos, por exemplo, para dar com centenas de vivendas em condomínios e resorts cujo mercado é esse. Alguns em exclusivo. E na costa Vicentina, e no Algarve, etc. Aliás, esse mercado de turismo de qualidade é também uma das marcas do anterior governo.
    ___
    Horizonte XXI, tens ido ao Algarve ultimamente? Vai lá ver o efeito dos programas Pólis. Aconselho especialmente Vila Real de Sto. António, a Ria Formosa, e Lagos.

  11. Ainda bem que o Horizonte XXI tem memória,quem é que que não se lembra desse tempo do Algarve, tudo em obras o mais desordenado possivel e cambalachos que chegavam.E quem estava no governo? O iluminado homem de Boliqueime, pois então!!!
    Quanto ao Álvaro, é muita maldade do Vega 9000,então não sabes que ele está com um plano de exportar sol da futura Califórnia europeia?
    Tenhamos paciência.

  12. Parece que não sou o único a ter dificuldade na percepção das ideias do (super) Ministro. Por isso lhe sugeri no meu Blogue que lavrasse um despacho a ordenar um copy & paste das melhores (a partir dos seus livros) para o sítio do MEE.

  13. Esta ideia não é original. Quando Cavaco Silva recebeu os quadriliões de contos da CEE para desmantelar a Agricultura, pescas e algumas Industrias, a troco de lhes dar muitos milhões, mandou fazer uma formação profissional para trazer pessoas do Campo para as Industrias de mão de obra barata e intensiva, recebeu o elogio do BOM ALUNO DA EUROPA, pois PORTUGAL DESTINAVA-SE A SERVIÇOS E TURISMO PARA OS REFORMADOS RICOS DA EUROPA. Estes resolveram ir para outras paragens, a formação profissional foi um roubo para muitos meterem dinheiro ao Bolso, as maquinarias que deveriam ser compradas para apetrechamento das fábricas de tecidos, confecções e calçado ficaram na gaveta e o dinheiro foi para CASAS, VIAGENS, CARROS, IATES, etc. e hoje, se analisarem as listas dos desempregados cerca de 600.000 são de faixa etária dos 50 anos, sem instrução vitimas da tal formação profissional. A JUNTAR A ISTO A GLOBALIZAÇÃO, e o roubo de muitos Oliveira e Costa, este na altura nomeado Secretário do Tesouro para dividir o bolo como entende-se. Agora vem o ÁLVARO DESCOBRIR A POLVORA DOS REFORMADOS DO NORTE DA EUROPA, que já há muito se viraram para outros locais onde não existe o EURO e a vida é muito mais barata.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.