Sibila

Ferreira Leite bem merece este momento de glória que está a saborear. Por onde passa, deve receber as mais rasgadas manifestações de simpatia e reverência de toda a sua longa carreira. Fica no ar um odor a santidade por onde passa luminosa, seráfica, ufana do seu dom. Afinal, esta brava mulher sacrificou-se pelo partido só para evitar que ele caísse nas imaturas mãos de Passos Coelho.

O futuro deu-lhe plena razão.*

__
* Frase reconstruída com a ajuda de uma prestimosa leitora

14 thoughts on “Sibila”

  1. As «imaturas mãos de Passos Coelho» indeed: o rapaz ora desaparece, ora aparece, consoante o modo como os seus fabricantes avaliam o desempenho público do protótipo. Neste momento, em que devia saltar a terreiro por causa do orçamento, parece que o mandaram recolher.
    Quanto à Dra. Manuela, não estarás a esquecer a história da senhora mais para trás? Por exemplo, como ministra das finanças, ou da educação? É fácil ser oráculo cá de fora. Eu sei, eu sei que estás a lançar a cizânia…

  2. Pois vendeu ap Citibank os créditos da Segurança Social para acertar as contas na gaveta da cozinha. Sibila? Eu diria Sinistra…

  3. Tem cara de anjo, mas talves pouca santidade; porém, tentou realizar duas tarefas que, no quadro político actual, estavcam condenadas ao fracasso. Primeiro, evitar que o grupo de assalto que há muito tentava tomar o poder no PSD, repito de há muito, o conseguisse; segundo, enfrentar o actual primeiro-ministro na sua imconpetência e arrogância, e pela denúncia quase sempre frontal e até desilegante, dizer aos portugueses que tinham um primeiro que tem um pacto com a mentira, que é mentiroso relapso. Perdidas estas duas batalhas, sobra-lhe um triunfo, pelo menos este, o de ter ajudado a que o CDS se tenha reorinentado ideologicamente, se tenha reposicionado no conservadorismo. É pouco? Para mim que estou nos antípodas das suas crenças, foi uma luta e tantos, uma viagem angelical pela liderança de um grupo de diabitos.

  4. Enfrentou, enfrentou, com muita politica de VERDADE, como todos vimos mais tarde. Até o presidente da Republica se envolveu na mentira da politica de verdade, giro, não é ???

    O CDS reorientado ideologicamente ????

    Das duas uma: ou desconhece o conceito da palavra ideologia, ou estamos a falar dos CDS (aqueles que precisamente castigam até mais não a divida portuguesa).

    Mais, até parece que algum partido da actualidade vive alguma espécie de ideologia. Desenganem-se os que assim pensam. Pelo contrário, actualmente vivemos o peso do vazio da ideologia, e esse é o nosso mal.

  5. se calhar tinha sido preferivel a mulher ser mentirosa e feito campanha eleitoral com promessas que seria postas fora no dia seguinte a eleição
    infelizmente foi honesta e abriu espaço ao maior aldrabão que há memória em portugal
    o que é estranho é haver quem o defenda,mas só para tirar dúvidas gostava de saber apenas onde trabalham e que cargo ocupam, e já agora desde quando foram nomeados,aí muita coisa ia ser entendida

  6. Cá por mim, “BURNS”(???) vou-te dizer: sou assessor de um Ministro (não posso revelar qual porque o segredo é a alma do negócio) e apenas estou “à caça” de patarecos que escrevem posts como o teu para que alguém os consiga descodificar. Ganho o equivalente a sete IAS e não passo recibo “verde”.
    Se os outros todos se revelarem como eu, decerto irás ter todas as respostas para poderes contar aos teus (possíveis) netos as façanhas dos “serventuários” do Poder vigente e até pode ser que (quem sabe!!!) daqui a uns anitos se possa arranjar qualquer lugarzito numa qualquer delegação da Inteligência…

  7. É assim mesmo, Margarido Teixeira! Cretinos como este que se auto designa de BURNS, de tanto puxarem pelo bestunto, deu no que deu. Gripou, queimou. Nada a fazer! É por isso que não conseguem ir além do esquema de que sempre viveram e julgam os outros à sua imagem e semelhança. A idiotice é, de facto, muito atrevida! Benza-a Deus!

  8. Não, burns, tu é que tens de nos dizer em que trabalhas e para quem, para podermos aqui eleger o empregador mais estúpido do país.

  9. A indignação da FLeite quando Sócrates criticou a especulação bolsista e a financeira do subprime que originou a presente crise é perfeitamente compreensível porque se sabe que a alta finança lhe está no sangue. Em função dessa consciência, digamos hereditária, perceber o seu apoio ao aumento de 2,9% da função pública é nojo.

    Dizia ela : «Concordo com essa proposta porque considero que é inevitável porque há vários anos que os funcionários públicos não têm um cêntimo de aumento».

  10. Dizia ela :
    «Concordo com essa proposta porque considero que é inevitável porque há vários anos que os funcionários públicos não têm um cêntimo de aumento».

  11. Cara Carmen,
    Não sendo um sabão, pensei e sei o que disse sobre a reorientação ideológica do CDS em face da postura política de MFL. Em próximas leições ( para não falar no repentino interesse por assuntos que não faziam parte do seu discurso, mas que são um traço essencial do discurso conservador), há-de verificar a votação deste partido, do CDS, e depois arranje uma explicação melhor do que a conjuntura. Todavia, sendo eu de esquerda, observo os acontecimentos com base na curiosidade e interesse político, não tenho a pretensão de impor a minha posição moral quando o assunto é politica. Por isso, você tem igual direito que eu o seu ponto de vista. É a vida, como diria o ex-primeiro!

  12. José Luis Moreira dos Santos,

    Permita-me que reafirme o que disse anteriormente. Nenhum partidos neste momento têm ideologia definida, nem o histórico partido comunista. Existem alinhamentos políticos mais à esquerda ou mais à direita, de acordo com factores históricos e famílias politicas europeias de que eventualmente façam parte (o psd, nem isso tem, daí a instabilidade em que vive). Agora ideologia, ninguém tem. Todos jogam na base da táctica politica com consequências visíveis nos processos de sondagem que permitem a manutenção ou alteração da táctica politica. E eu pergunto: o que tem isto de ideologia ???

    A mim parece-me que nada!

    Os partidos, hoje em dia, vendem-se como se vendem sabonetes. Foi a este ponto que nos conduziu o neoliberalismo, infelizmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.