Dar o exemplo

Com Sócrates, temos dado por nós a saber tanto como os mais reputados especialistas acerca das mais complexas dimensões do Estado e da sociedade. Foi assim com as campanhas de assassinato de carácter, as parcerias mediático-judiciais e o segredo de fabrico dos famosos pastéis de Belém. Podemos dar palestras e escrever livros a respeito, assim haja tempo. Agora, chegou a vez da economia. E não pode ser mais básico: o dinheiro, posto que não cai do céu, tem de vir de algum outro lado. Munidos deste princípio de realidade, segue-se um método infalível: riscar os locais onde antecipamos de ciência certa que não vamos encontrar o dito. À cabeça dessa lista, desde Alcácer-Quibir, Portugal. Assim, se queremos dinheirinho, temos de roubar os estrangeiros ou, numa mais antipática opção, vender-lhes umas cenas.

É neste plano que se encontra, destacado, o Sporting. O propósito é o de conquistar o máximo de vitórias na Liga Europa, as quais trazem o carcanhol dos camones pá malta, nem que para isso se tenha de lutar pela manutenção na 1ª Divisão. Jogar apenas para ganhar pontos e uns minutos de aclamação dos adeptos, como acontece no campeonato, é completamente pré-crise. Já se for para inglês ver uns pontapés na borracha, finge-se que estamos a vender um espectáculo; mas trata-se de um sacanço de guito à má-fila. Muitos não perceberam o que estava em causa, ou fizeram-se de parvos, quando se elegeu Bettencourt, foi buscar o Costinha e se fez da equipa um armazém de cansadas vedetas, mas agora, depois da cabazada aos búlgaros sem carência de suar Liedson, não há mais razão para falsas modéstias: estamos na linha da frente da recuperação económica nacional.

5 thoughts on “Dar o exemplo”

  1. Exactamente, Val, se é a especulação baseada em processos psicológicos irracionais que comanda o mundo, bora lá.

  2. Não é hora para brincadeiras, é hora de ter Sentido de Estado

    Sócrates: “Não me passa pela cabeça que Orçamento não seja aprovado”

    ……Cavaco Silva: “Não me passa pela cabeça que Orçamento não seja aprovado”

    …….FMI: “Não me passa pela cabeça que Orçamento não seja aprovado”

    ………..OCDE: “Não me passa pela cabeça que Orçamento não seja aprovado”

    ………….União Europeia: “Não me passa pela cabeça que Orçamento não seja aprovado”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.