Revolution through evolution

Gap in Earnings Persists Between Male and Female Physicians, Research Letter Suggests
.
Case Study Reveals Genetic Discrimination in Life Insurance
.
Small Talk Can Improve Health
.
Generosity Leads to Evolutionary Success, Biologists Show
.
Mediterranean Diet Is Good for the Mind, Research Confirms
.
Language and Tool-Making Skills Evolved at the Same Time
.
Canine Remote Control, Using Your Smart Phone? Hands-Free Dog Walking for the Digital Age


.
Why Parenting Can Never Have a Rule Book: Children’s Genetics Significantly Affect How They Are Parented
.
Better Hygiene in Wealthy Nations May Increase Alzheimer’s Risk, Study Suggests
.
Monkey’s Alarm Calls Reveal Predator’s Who and Where
.
Dishonest Deeds Lead to ‘Cheater’s High,’ as Long as No One Gets Hurt, Study Finds
.
Sleep Deprivation Increases Food Purchasing the Next Day
.
10 Fascinating Facts About The Hidden Industry That Touches 90% Of What You Own
.
‘Making Music May Improve Young Children’s Behavior’
.
THE QUANTIFIED BABY: CONNECTED ONESIES KEEP STATS ON CHILDREN’S SLEEP
.
Psychotherapy a Powerful Tool to Fight Depression
.
Move It and Lose It: Every ‘Brisk’ Minute Counts
.
Exercising One Day a Week May Be Enough for Older Women
.
Why It’s “Homicide Bomber” Not “Suicide Bomber”
.
What Physiological Changes Can Explain the Honeymoon Phase of a Relationship?

3 thoughts on “Revolution through evolution”

  1. olha que interessante: o stress está para a paixão como a limpeza para a demência e a longevidade para a pouca conversa.

    (o elixir da virtude: solidão, circunstância, porcaria) :-)

  2. Quem sabe a explicação para o facto de as mulheres viverem, em média, mais tempo do que os homens esteja na tagarelice. :)

    São boas notícias, mas se a generosidade se traduz em vantagem evolutiva, estamos todos tramados, homens e mulheres. A generosidade não é o nosso forte, veja-se o desprezo com que tratamos espécies sem as quais não poderíamos sobreviver como é o caso das tais bactérias que eliminamos a torto e a direito. Li algures que só através do leite materno passam da mãe para o recém-nascido cerca de 700 espécies de bactérias. Ora, o mínimo que poderíamos fazer para mostrar alguma generosidade e gratidão seria tentar conhecê-las melhor, mas a verdade é que a esmagadora maioria de nós não sabe nem dizer o nome de três dessas espécies. Sequer de uma, entre largos milhares.

    Mas nem tudo está perdido, afinal, com ou sem stress, apaixonamo-nos. :)

  3. as bactérias são amiguinhas, guidinha – e é por isso que quando nos apaixonamos, quer dizer não será bem assim porque a grande maioria não precisa de se apaixonar, andamos a passá-las pela língua e pelos fluidos. ora na também tagarelice, pois.:-)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.