28 thoughts on “Resumindo”

  1. Ao ser encostado às cordas por Passos Coelho sobre apoios pós eleições, Paulo Portas acabou de perder a hipótese de integrar o futuro Governo

  2. Um político que não tem vergonha de insistir numa mentira apenas porque sabe ser preciso repeti-la as vezes que forem necessárias até que os portugueses a repitam como autómatos, um político destes, capaz de desrespeitar o seu adversário chamando-lhe mentiroso num debate eleitoral, tal como fazem os putos na escola, é um político que não se respeita a si próprio, não respeita os portugueses, não respeita a democracia e não passa de um “puto”! Não é um Paulo. È apenas e tão só…um Paulinho!

  3. Tem toda a razão. A atitude de Paulo Portas foi de uma total falta de educação, de uma total falta de respeito pelo seu adversário político. O seu permanente baixar de olhos e insolente sorriso foi absolutamente reprovável, absolutamente indigno. Mas, na verdade, seria de esperar outra atitude?

  4. Também me fez impressão isso de não conseguir olhar Sócrates de frente e o andar ali às voltas com o ‘candidato Sócrates’ só para não lhe chamar engenheiro ou primeiro-ministro. Ontem disse que estava em estágio para o debate, não lhe valeu de nada.

  5. Ele , nem os portugueses, conseguiu enfrentar no minuto final que Judite lhes concedeu a ambos. Quando não se olha alguém nos olhos normalmente tem 2 leituras: ou se é tímido ou se está a mentir. Que se saiba , Portas não é nada tímido.

  6. O candidato Paulo Portas apostou com uns amigalhaços que chamaria em directo mentiroso a José Sócrates. Só ganhou a aposta…

  7. Val,
    Muito, muito, mas muito bem observado.
    Depois, bem, depois, ele há o MOMENTA do debate – quando Sócrates sugere que vai mostrar o Programa Eleitoral do CDS/PP e a Câmara da TVI mostra uma pasta de plástico transparente, completamente, vazia!
    Abraço.

  8. A resposta mais simples poderá ser a mais verdadeira: a direita não pode ver o Socrates, por isso não olha. Também não pode ver o povo, por isso o Paulo mal educado nem para a camara olhou no minuto final.
    Mas h’a outra explicaçâo. Paulo Portas estás fascinado por Sócrates e com receio de se descair, desviou o olhar.
    E ainda: como um porco, não consegue levantar os olhos do chão da pocilga.
    Resumidamente: não tem nivel.

  9. Assusta-me tanta admiração.

    Não consigo descobrir uma acertada do Paulo.

    O pai parece estar distante.
    O Miguel anda na boa vai-ela.
    E por mais boa vontade que a mãe Helena tenha, já não tem mama para eles.

    Podem esclarecer-me?

  10. Aquela do Sócrates de dizer ao Portas que pediu a um seu assessor para lhe mostrar o programa eleitoral do CDS e a única coisa que lhe deram foi uma pasta de plástico vazia foi demais. Se Sócrates fosse tal mal-educado como o Portas dizia-lhe que o plástico, mesmo assim, tinha mais valor que o programa por que vistas as coisas o plástico estava ali porque existia, ao contrário do dito programa.
    Portas foi um insolente e malcriado mas é defeito do CDS. Passados uns momentos passei para a TVI24 e a Assunção Cristas foi de uma grosseria que Ana Catarina Mendes, do PS, disse-lhe que não respondia a provocações. Chegou a dizer (A. Cristas) se Sócrates aceitar o lugar de deputado demonstra que não sabe fazer mais nada e que para sobreviver é obrigado a ficar na AR.
    Eu, que estava a ouvir fiquei incomodado e lembrei-me que nas casas de alterne as putas não falam assim. Por isso era capaz de ter o mesmo comportamento de Ana Catarina Mendes

  11. Perante esta gentalha rasca, M Pacheco, sobem na minha consideração as putas do alterne. Porque estas mostram “ao que andam”. As outras fingem que não andam ao mesmo.

  12. Não estou a ver o que ganha este partido em dizer, neste momento, que não participará num governo PS e aproveitando para insultar Sócrates gratuitamente, embora P. Portas o faça olhando a mesa, com vergonha.
    Se o PS ganhar, como se prevê, mas sem maioria absoluta, tanto o CDS como o PSD vão ter de engolir o que andam a dizer sob pena de o país ficar num impasse, o que seria fatal e deixaria Aníbal a girar em torno de si mesmo até cair de tonto, sem solução.
    Se o PSD ganhar e se coligar com o CDS, não tendo maioria absoluta, terão o PS na oposição e a vida muito difícil, se não impossível.
    É natural que queiram dar tudo por tudo para conquistarem votos diabolizando Sócrates (táctica de efeito altamente duvidoso); não era preciso era queimarem à partida o entendimento com um partido que, mesmo que não ganhasse, seria sempre incontornável. É que há um pacote importante de medidas de austeridade para aplicar!
    Há ainda um cenário divinal: o de o PS ganhar (sem maioria absoluta), os outros dois recusarem-se a participar no governo, o PS tomar posse como dantes e estes senhores terem de aprovar uma a uma, na Assembleia, as medidas que assinaram com a Troika.

  13. Por acaso acho que se no início do debate o Portas não olhou para o Sócrates foi porque, como acontece a muitos, já custa olhar para o homem. Já começa a ser penoso vê-lo e ouvi-lo a repetir o mantra do chumbo do PEC, a distorcer factos, a descartar a realidade. Se dúvidas alguém pudesse ter que neste debate o Sócrates bateu contra a parede é o facto de o Val e os comentadores assistentes se ficarem pelo olhar do Portas. Pois também o olhar do Sócrates andou perdido, a medida que o debate avançava. A partir de certa altura também já ele não olhava para o opositor mas sim para as câmaras, suas amigas e refúgio de sempre.
    Mesmo neste país medroso, chega o dia em que o tigre de papel percebe que vai deixar de meter medo. Ontem o Sócrates entrou em loop e, apesar do que vocês dizem, o Portas podia tê-lo aniquilado. Hesitou em fazê-lo mas não o fez, por calculismo infelizmente.

  14. Ò José, dormiste com os pés de fora ou fez-te mal o jantar de ontem?! O que queres tu que Sócrates diga senão “a mantra de chumbo do PEC”, como lhe chamas, se a Comunicação Social todos os dias se encarrega de tudo fazer para que os portugueses acreditam que o que se passa em Portugal, nada mas nada mesmo tem a ver com o que se passa no mundo e em particular na Europa e é apenas e tão o resultado da ineficácia do Sócrates?

    O que pode Sócrates dizer se foi exactamente esse o discurso, esse sim mentiroso, do Paulinho que exactamente por isso não tinha coragem de olhar na cara o seu interlocutor.

    Quando um gajo que comprou submarinos (sabe Deus em que condições e nota que o Sócrates teve a delicadeza de nem referir esse delicado aspecto do negócio) comprou submarinos que hoje entram na dívida pública com que todos os dias a direita enche a boca, vem agora berrar contra uma linha de TGV cujos contratos estão firmados sendo quase mais caro anulá-los do que prossegui com eles, eu compreendo bem que não tenha outro remédio senão meter os olhos no chão com vergonha das pessoas decentes que já não estão para o ouvir.

  15. “o Portas podia tê-lo aniquilado. Hesitou em fazê-lo mas não o fez, por calculismo infelizmente.”

    Portas e Sócrates já se defrontaram dezenas de vezes nos debates quinzenais no Parlamento. Não tenho memória de que alguma vez Portas tenha aniquilado Sócrates. Ontem, estamos esclarecidos, foi por calculismo. Mas o que raio impediu Portas de o aniquilar de todas as outras vezes?

  16. Pois é José, claro que vos custa – e muito – que o Primeiro Ministro, José Sócrates, repita aquilo que já é uma evidência para os Portugueses: o País está nesta crise politica por absoluta miopia e confrangedora mediocridade dos partidos à direita e à esquerda do PS!
    Desde as eleições de 2009, em que o PS ganhou – e não foi por um voto – nenhum deles aceitou a superioridade dos resultados e passaram a dizer que o Sócrates é que era o orgulhoso e arrogante…! Por atitude sistemática e vingativa passaram a votar contra tudo o que o Governo apresentou…(apenas com excepção da abstenção do PSD, no OGE/20011), e o País, mais uma vez, foi vitima dos egoismos , das “quintinhas partidárias”, tudo isto corroborado com a sublime hipocrisia daquele que se diz presidente de todos os portugueses!A esta tragédia politico/partidária vieram juntar-se os efeitos da crise financeira internacional, e a resposta dos mesmos partidos foi a rejeição do PEC IV, qual cereja em cima do bolo nacional!Ora, apesar deste acumular de fatores negativos, o Governo de José Sócrates adoptou medidas necessárias à defesa dos interesses nacionais, mesmo contra os interesses imediatos do partido e os portugueses que têm a intuição – senão a consciência – de quem é melhor para governar, vão votar no PS em maioria !!!

  17. As pessoas decentes não habitam o mundo mediático, mas o mundo mediático tem menos votos do que as pessoas decentes. Este é que é o drama da Direita. E a sua tragédia é que, hoje em dia, esse drama já não se pode resolver comprando a força mercenária das casernas, como nos anos vinte em Portugal e na Itália e nos trinta na Alemanha e na Espanha. Estão fodidos com a Democracia, caro José.

  18. Pena que Sócrates não tenha atirado à cara de Portas que os cem milhões de euros que o governo vai gastar, à sua conta com a linha do TGV em curso( o restante está financiado ou comparticipdo pelo BEI) é uma décima parte do custo dos submarinos. E o TGV cria empregos, gera investimento e crescimento e paga-se a si proprio Os submarinos podem encostar ou afundar em qualquer altura, sem terem representado qualquer mais-valia. Puro encargo para os filhos e netos que o Paulino não tem.
    Espero que alguem ainda lhe borrife estas verdades no trombil.

  19. já não vinha aqui ao aspirina há uma data de tempo mas vejo que isto anda monocromático.
    ainda assim vou responder e à valupi:
    ANIPER: deves ser o Lello de serviço mas sempre te digo que o teu argumento sobre o TGV há-de ter sido aplicável aos submarinos. aliás é uma boa forma de tornar inevitável uma decisão estúpida- gasta-se logo muito dinheiro em estudos e resposabilidades contratuais para não se voltar para trás. nada de novo.
    Guida: pois é verdade que não o aniquilou antes, o Sócrates é bem rijo. mas agora que a rijeza da realidade se tornou mais rija que a rijeza do Sócrates o Portinhas podia ter ido mais longe e não quis ir. Ao contrário da Ana aí de cima, viu-se que o Sócrates percebeu isso.
    MGP: pois é evidente que a culpa disto tudo está toda à direita e à esquerda do Sócrates. Está nos mercados e nos especuladores. Está em todo lado menos nele. Ele, coitado, não tem culpa de coisíssima nenhuma, ele só tem andado a salvar-nos de nós próprios. Se, hipótese absurda, ele não ganhar terá a beatificação em vida!
    Marco: 100% de acordo – as pessoas decentes não habitam o mundo mediático. aliás não deve nunca ter havido poliítico menos mediático que o Sócrates. Está bem assim ou assim é que está bem?
    Mário: ora aí está um argumento novo – os submarinos podem afundar! e ninguém tinha falado nisto. Pois sempre te digo que os TGV’s podem descarrilar e não pouco! como as SCUTS e por aí fora. Qunato aos 100milhões e pagar-se a si próprio, nem tu acreditas nisso.

    Enfim, se a argumentação é esta, então também aqui se respira um ar de fim de ciclo

  20. O Paulo Portas não se preparou para uma mesa tão pequena. Aquela má criação é mais fácil de manter à distância.

  21. josé, a realidade agora é mais rija? Para o Portas aparentemente não, limita-se a repetir as mesmas acusações de sempre. Mas admitindo que sim, Portas sabe bem que contribuiu para o tal enrijamento ao ter votado contra todos os PECs e Orçamentos. Comportou-se como os partidos da esquerda radical, aliás, aliou-se a eles inúmeras vezes ao longo da legislatura. E é por estas e por outras que não tem argumentos para aniquilar ninguém que não seja o seu próprio partido quando confrontado com o primeiro-ministro, tanto agora como em todos debates no Parlamento.

    Mas fiquei curiosa, diga-me lá por que não quis Portas ir mais longe. Não me diga que Portas mentiu quando disse que não aceitará fazer coligações com o PS. Logo ele que anda sempre com a coerência na boca.

  22. Guida, para esses só uma resposta é possivel…

    “Não neguem à partida uma coligação que desconhecem”

  23. José, O TGV não são as carruagens, são os carris, homem de Deus! Como as auto-estradas não são os automóveis…

  24. Os cães ladram e a caravana passa!
    Que comentários tão ridiculamente absurdos e de baixo nível, à imagem do chefe… Quase nem percebo como o José tenta argumentar nestas catacumbas de bunker nacional-socialista.
    Como eu gosto de guerras nucleares, aqui ficam umas farpas para se entreterem e chafurdarem na lama.

    – Obviamente que Portas evitou olhar para Sócrates. Simplesmente para manter a calma frente ao ‘animal feroz’, que tira qualquer um do sério. Até o maior santo, se existisse, só teria vontade de lhe ir às ventas com a sua arrogância, pesporrência e manipulação desavergonhada.

    – Quanto ao PEC4 e à crise política, Sócrates engoliu uma cassete que está mais entalada que as do PCP! Quem provocou a crise foi ele, ele é que se demitiu!!! Se a situação do país é tão delicada, porque se demitiu o Salvador da Pátria?! Ele até tinha um orçamento para 2011 que corria tão bem, para quê o PEC4? Talvez porque estava tudo errado, começando logo na previsão de crescimento do PIB em 2011 quando todos já sabiam que ia regredir?

    – Quanto às mentiras sobre o PEC4 e o congelamento das pensões, consultem os documentos. A versão inicial previa, sim, previa o congelamento das pensões mínimas. O resto são tretas marteladas posteriormente no documento final, depois da indignação de toda a oposição.

    – Sobre aniquilamentos e debates, estes frente-a-frente nada têm a ver com o parlamento. No parlamento não há como aniquilar Sócrates porque ele, tão democraticamente, simplesmente não responde – a nada!

    – Quanto a submarinos e outras tretas, nem Sócrates se atreveria a aflorar ‘delicados aspectos do negócio’. Os seus telhados têm muitas águas e não são de vidro – são de finíssimo cristal…

    – Quanto ao teatrinho mal-educado e ridículo de Sócrates sobre o programa do CDS, basta dizer que o programa do PS era pura ficção, antes do plano ‘troika’, e puro lixo, depois. Para não dizer que o súcia-líder bem pode usá-lo para limpar alguma extremidade imunda.

    – Sobre cenários pós-eleitorais, nesse caso do PS na oposição a bloquear PSD e CDS, onde fica o tal ‘interesse nacional’? Mas descansem, neste momento o resultado mais ‘sondado’ é uma maioria PSD+CDS.

    – Portas não disse que não participará num governo PS. Apenas rejeitou um governo com Sócrates!

    De facto Sócrates é um osso muito duro de roer. Como candidato. Como político, na acepção ínvia do termo.
    Como primeiro-ministro, não passa de um osso. Um osso oco.

    Vis saudações democráticas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.