Denial ain’t just a river in Egypt

«Sinceramente não esperava o despedimento porque nunca foi essa a posição, nem oficial, nem privada, do senhor presidente da Federação [Gilberto Madaíl]. Portanto, até ao último momento, não esperava que a direcção da FPF pudesse tomar esta decisão», confessou Carlos Queiroz.

Fonte

6 thoughts on “Denial ain’t just a river in Egypt”

  1. Queiroz eternamente grato a Fernando Madail. Quanto ao extraordinário contrato assinado por Madail: que incentivo há para ganhar um campeonato, quando a indemnização em caso de rescisão é igual ou parecida com o que Queiroz ganharia com o cumprimento do contrato?

  2. Pois é. Convinha desviar a coisa para a politiquice, que assim ninguém fala de um contrato milionário por quatro anos, com um treinador que tem um curriculum de eterno adjunto Ferguson. E parece que já todos esqueceram que este senhor Queiroz já havia sido selecionador nacional…para nada. Madail acreditou ou quis acreditar ou deu-lhe jeito acreditar que o homem tinha aprendido imenso como adjunto de Ferguson. Mas nem assim Madail tem desculpa, porque o Real Madrid também pensou isso e foi lá buscá-lo. Alguém se lembra quantos dias aguentou o Real Madril aquela sumidade?
    Só não percebo a atitude do Benfica. Em que é qQue tem o go

  3. …Que tem a ver o secretário de Estado com os maus resultados do club? Ah! Já sei! Voltar aos tempos em que o Benfica era o «club do regime». Tudo muito bem centralizadinho em Lisboa, que a clubice saloia é paisagem.

  4. Hummm Parece-me que das duas três: o pessoal da TSF ou está a precisar de uma visita ao otorrinolaringologista ou de rever os passos do método hermenêutico.

    :)))

  5. Declaração de interesses: o meu primeiro clube é o S. C. Freamunde, depois nutro uma certa simpatia pelo Belenenses, fruto do meu falecido pai também o ser e quando o Belenenses vinha jogar ao Norte me levar com ele a ver os jogos. Nunca foi campeão na minha existência, ganhou apenas umas taças de Portugal.
    Tendo revelado a declaração de interesses vamos ao que está em discussão. É verdade ou não o Benfica ter sido prejudicado nos jogos com a Académica, Nacional da Madeira e mais descaradamente com o Guimarães? Se quem diz que não só espero que lhe aconteça o mesmo. Agora virem com apelações que é por causa do jogo com o Sporting se quem diz isso hoje, amanhã vai dizer que o Benfica joga com Rinca Tocos e aproveita para se lamentar.
    Os adversários dizem que só se queixa quando se sente prejudicado. E o que fazem eles? Queixam-se quando são beneficiados? Se assim fosse os penaltes que o Porto beneficiou este ano tirava-lhes uns poucos de pontos. O Porto veio dizer que o árbitro esteve mal? Ofereceu os pontos aos seus adversários como prova de só querer o desporto pelo desporto? O Sporting no final do jogo com o Olhanense disse que o golo foi mal anulado ao Olhanense? Não assobiou para o lado? Se lhes estivesse a acontecer o mesmo que ao Benfica já não tinham cortado relações com a imprensa e não deixava os seus atletas serem entrevistados como é fértil o F. C. Porto? É que aguarrás no cu dos outros para nós é refrigerante.
    Depois a distinção com que a Associação de Futebol do Porto fez a Olegário traz água no bico não fosse Lourenço Pinto aluno do falecido Adriano Pinto. Nunca se soube como foram pagas as obras que os trabalhadores da Câmara do Marco de Canavezes efectuaram na sua vivenda em Vila do Conde. Ele é que não as pagou. Depois falam de Calhabote.
    Se queremos ser bons desportistas devemo-nos insurgir quando somos prejudicados ou beneficiados. No que toca a mim é assim que faço. Agora todos usam o lema: se o mal for para o meu rival melhor para mim. Assim vivo e durmo mais sossegado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.