Até os socráticos vêm em socorro deste Governo

O que está a acontecer no País não tem paralelo na história da democracia portuguesa, porque à situação de perda de soberania junta-se o estupor de termos um Governo tecnicamente incompetente, ideologicamente alucinado, moralmente iníquo e politicamente desastroso e ainda um Presidente da República que é uma vergonha ambulante para o regime desde 2008. Estamos face a uma catástrofe governativa que a cada dia agrava a catástrofe social nascida dessa outra catástrofe financeira e económica que a presença na Zona Euro torna inevitável.

Não espanta, pois, que Correia de Campos tenha vindo a terreiro exortar o Governo a resistir, a ter coragem, a mostrar um mínimo de dignidade numa altura decisiva para o nosso presente e futuro colectivos:

[…] O Governo tem que saber resistir. Por muitas e válidas razões.

Primeiro, porque não se desiste às primeiras dificuldades. Revela ausência de estratégia e covardia. Depois, porque estamos a semanas da aprovação do Orçamento, sem o qual a vida em 2013 seria mais penosa para todos. Depois, porque o Governo tem maioria, coligado com o CDS e não haverá grandes razões para o parceiro fugir do barco, pois a nado não se salvaria, tão longe da costa já se encontra. Depois, porque o Presidente o não permitiria. Sendo da mesma ou próxima família política ele sentirá acrescidas responsabilidades em aguentar a estabilidade. Depois ainda, porque não há alternativa política no horizonte, pois na opinião sondada observa-se apenas uma queda imensa do PSD, ainda sem subida visível do PS, e até com crescimento da esquerda fora do arco de governo, o que prefigura uma situação semelhante à grega. Muitas são as razões para recomendar resiliência.

[…]

A solução agora limita-se a resistir. Arrepiar caminho onde se errou, mas resistir. No início do ano construir um novo Governo, decente na sua dimensão real e competente sem experimentalismos. Perdida a moral para o acinte ao antecessor, restar-lhe-á o consenso. Qualquer novo arroubo de ideologia viciosa ser-lhe-á fatal. Juizinho, até que melhores dias despontem.

Público, 1 de Outubro

O registo é infantilóide pois Correia de Campos sabe que está a discursar para desmiolados. Mas gostaria de acrescentar mais uma razão para que o Governo se aguente: o problema dos retornados. É que foram tantos os escribas recrutados na blogosfera para encherem os gabinetes dos pouquíssimos ministros e demais lugares de confiança à confiança que o fim desse sonho lindo fará com que voltem aos trambolhões para os blogues onde passaram anos a conspurcar Portugal e os portugueses. Até 5 de Junho de 2011, esse grupo de adiantados mentais difamou, caluniou e denegriu o que cheirasse a Estado com todas as energias que tinha. Não havia suspeição que não alimentassem nem notícia positiva que não fosse carimbada como mais uma mentira. Temo que o seu regresso em manada ao HTML provoque irreparáveis danos no tecido espácio-temporal que suporta o Universo. Vejam lá isso e, se for mesmo para voltarem, venham em grupinhos pecaninos e finjam que estão apenas de passagem a caminho da casa do Relvas para uma jantarada de amigalhaços e compagnons de route.

2 thoughts on “Até os socráticos vêm em socorro deste Governo”

  1. No meu entender, Correia de Campos só está a ser irónico para com o des-governo,
    porque em apontamentos anteriores já teve oportunidade de demonstrar a falta de
    qualidade e competência dos estarolas!
    Trata-se de os obrigar a beber o cálice até à última gota…embora, com custos gravosos
    para todos nós!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.