Amenezes

Vasco Pulido Valente é a mais recente vítima da síndroma da amenezes ou amenézia, doença que varre o País desde o Outono de 2007, e que ameaça aspirar o PSD antes de 2008 chegar à Primavera. A doença recolhe o nome do seu inventor, Luís Filipe Menezes, o homem que já nos tinha brindado com outro faraónico projecto que ainda há-de meter muita água. A sintomatologia é difusa, mas apresenta um denominador comum: em todos os casos, está em causa superar o Almirante Américo Thomaz como referência mor do anedotário politico. Não espanta que o próprio Menezes esteja na frente, tendo até conquistado extraordinário avanço com a peregrina sugestão de uma nova grelha de comentadores — naquelas que são, já reconhecidas pela comunidade académica, e por alguns laboratórios estrangeiros habituados a fazer experiências com rãs, as mais patuscas declarações de um político desde que Valentim Loureiro, aos berros e arriscando enfarte, pediu num comício do PSD para se aclamar Guterres.

Pois o Vasco está contaminado. Na sua crónica de domingo, no Público, informa os leitores que a Quadratura do Círculo é um programa da RTP. O que estará na origem da idiossincrática consideração ainda não é do domínio público, mas há quem avance a hipótese de Pulido Valente nunca ter posto os olhinhos na coisa. Outros avançam a sugestão de a crónica ter sido escrita à pressa, sempre má conselheira e a deixar mazelas em vários sintagmas mal amanhados. A minha tese é outra, a da amenezes, onde a simples audição do Menezes pode causar distúrbio, confusão, fadiga, incapacidade de distinguir entre a RTP e a SIC e urticária (não necessariamente por esta ordem). O grau de virulência deve ser muito elevado, pois ninguém no jornal teve discernimento profissional para avisar o colunista. Pode também acontecer que no jornal do senhor Fernandes não se leia o que Pulido Valente envia, limitando-se o pessoal a paginar o texto como se fosse uma mancha, uma borra. Mas o que mais me inquieta é ter a prova de que VPV também não põe os olhinhos no Aspirina; e, isso, é muito grave como prognóstico de evolução da maleita.

12 thoughts on “Amenezes”

  1. As vítimas de “amenezes” padecem do receio de poderem ter a possibilidade de ver o país a desenvolver-se. As pessoas capazes são uma ameaça, pelo que o melhor é terem à frente do país alguém que dê para tudo.

  2. eu insisto que isto é tudo a bem da saúde pública, e o Valupi como enfermeiro experimentado topa logo. Ainda o meneses não abriu a boca e já estou a rir, e depois até às vezes fico corado e meio envergonhado, mas faz muito bem à circulação periférica e neuronal, tudo irrigadinho. Prova que é bom pediatra.

    quanto ao VPV já que se inspirou no meu maldacena noutros tempos – a equivalência entre um espectro colorido na superfície da esfera e um corpo pesado no seu interior – algures semiramisado, bem podia vir aqui cheirar

  3. Ó Valupi: esta devia ser para o outro post (o do quem é Valupi) mas fica aqui para provocação muito discreta.

    Lembras-te de quem disse isto:

    ««Tamanho ódio à decadência dos políticos é uma forma superior de amor a Portugal», «É o melhor iconoclasta português da actualidade. […] Num país de hipócritas costumes brandos, onde se tem medo de se ser diferente e não há uma cultura da intelectualidade, ele é uma bênção».»

    A pergunta é mesmo retórica.

    “:O)))

  4. Só mais uma pequena provocação e já estou de saída:

    Não por acaso, este duo (AB/VPV) representa a liberdade de expressão e pensamento de modo excelso e sem rival”. .

    Por isso é que eu tenho uma velha pancada que o situacionismo pode ser uma doença lixada. Se calhar, o oposto, a eterna rebeldia do contra, também pode parecer gratuita. Mas prefiro-a.

  5. Amenézia é um termo que vai fazer carreira, não tenho dúvida. Mas o VPV não sofre disso. RTP por SIC (Notícias) é um lapso monumental que só pode dever-se a alcoolémia ou acto falhado freudiano. O segundo caso, mais raro, pode significar que para o subconsciente de VPV “RTP” é um insulto, e que ele pretendia insultar a SIC. Note-se que a Quadratura do Círculo começou na TSF (Flashback) com o JPP, o J. Magalhães e o… VPV. Cá para mim, ele saiu por falta de pedalada para um debate oral, gaguejava do princípio ao fim com aquela voz nasalada, talvez já com um uisquezinho a mais, aquilo era gravado à tarde. Não se preparava suficientemente para os debates e, depois, compensava abundando em insinuações e conotações maliciosas. Triste e má figura. Por isso é tb possível que agora odeie o programa e nunca o veja, nem saiba onde ele passa.

  6. Jorge, é isso.
    __

    susana, é isso.
    __

    zazie, não é isso. Ou por outra, é também isso. Uma coisa não impede a outra. Admirar as décadas de prestígio não é guarida para os dias de desacerto. E essa é uma homenagem que lhes fazemos, dar-lhes o que eles nos deram: crítica implacável. E a questão não está, para mim, no conflito situacionismo-rebeldia, pois gosto muito do situacionismo de tanta coisinha que fica bem onde está e como está. A questão é relativa ao conflito inteligência-estupidez.
    __

    Nik, pode ser. Quanto à copofonia do VPV, não tenho nada a dizer. E por duas razões: porque não a conheço; porque mesmo que a conhecesse não a denunciaria. Já a gaguez, sim. Um gajo que gaga sem ser gago tem de levar no focinho para atinar.

  7. Valupi: o que fica vem onde está é o lugar natural. A isso chama-se Ordem, ou conservadorismo.

    Situacionismo é outra coisa. Não gosto dele, nadinha. Não gosto de encostos quando se trata do poder. E ainda menos de encómios, quando não vêm dele. Precisamente porque o Poder e os encómios são a mesma coisa- dispensam fretes.
    Além do mais, disso temos nós de sobra. Bons coveiros é que nos faltam.

  8. Certo, zazie. E era essa a minha brincadeira semântica: situacionismo=conservadorismo. Mas, então, lembro o Agostinho da Silva: conservador da sardinha, não da lata.

    Já a tradição é toda uma outra conversa…

  9. Estou a ficar esclarecida…muita gente está aflita com a doença amenezes!!! Mas já existe vacina…não fiquem preocupados, principalmente aqueles que pensavam ser os donos do partido!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.