Thriller internacional – outros contornos?

Esta história chegou-me um dia antes das últimas notícias da libertação de DSK. Pode ou não ser verdade. Que Omar foi preso, foi. Talvez mereça a pena acompanhar as próximas notícias.

“Na manhã de 14 Maio, o dia em que foi preso, Dominique Strauss-Kahn (DSK) tinha sido aconselhado pelos serviços secretos franceses (DGSE) a abandonar os EUA e regressar rapidamente à Europa, descartando-se do telemóvel para evitar que pudesse ser localizado. A delicadeza da informação secreta que lhe tinha sido entregue por agentes “d…elatores” da CIA justificava tal precaução.
Strauss-Kahn tinha viajado para os Estados Unidos para clarificar as razões que levavam os norte-americanos a protelar continuamente o pagamento devido ao FMI de quase 200 toneladas de ouro. A dívida, com pagamento acordado há vários anos, advém de ajustes no sistema monetário – “Special Drawing Rights” (SDR’s).
As preocupações do FMI sobre o pagamento norte-americano ter-se-iam avolumado recentemente. Nesta viagem Strauss-Kahn estaria na posse de informação relevante que indiciava que o ouro em questão já não existe nos cofres fortes de Fort Knox nem no NY Federal Reserve Bank.

Mas Strauss-Kahn terá cometido um erro fatal: ligou para o hotel, já da plataforma de embarque, pedindo que o telefone lhe fosse enviado para Paris, o que permitiu aos serviços secretos americanos agir nos últimos minutos. O resto dos factos são do conhecimento público.

Já em prisão domiciliária, em Nova Iorque, DSK terá pedido ajuda ao seu amigo Mahmoud Abdel Salam Omar, um influente banqueiro egípcio. Era muito importante, para fundamento da defesa, que o egípcio lhe conseguisse obter a informação privilegiada sobre a “mentira” do ouro, que DSK tinha deixado “voar” em NY, para justificar a teoria da perseguição. No entanto a intervenção voluntariosa do banqueiro egípcio saiu gorada. Dias depois Salam Omar foi igualmente preso nos Estados Unidos, também ele acusado de assédio sexual a uma empregada de hotel. Relatórios de diferentes serviços secretos internacionais convergem na conclusão: os factos que motivaram a prisão do egípcio são altamente improváveis, Salam Omar é um muçulmano convicto e um homem com 74 anos de idade.

A inversão de sentido na história da suite do Sofitel de NY começava aqui a ganhar consistência e outros factos viriam ajudar.
Em Outubro de 2009, Pequim terá recebido dos EUA cerca de 60 toneladas de ouro, num pagamento devido pelos americanos aos chineses, como acerto de contas no balanço de comércio externo.
Com a entrega, Pequim testou a genuinidade do ouro recebido tendo concluído que se tratava de “ouro falso”. Eram barras de tungsténio revestido a cobertura de ouro. As 5.700 barras falsas estavam devidamente identificadas com chancela e número de série indicando a origem – Fort Knox, USA.

O congressista Ron Paul, candidato às eleições presidenciais de 2012, solicitou no final do ano passado uma auditoria à veracidade das reservas do ouro federal que foi rejeitada pela administração Obama. Numa entrevista recente, questionado sobre a possibilidade de ter desaparecido o ouro federal de fort Knox, o congressista Ron Paul gelou os interlocutores respondendo liminarmente: “É bem provável!”

À “boca fechada” têm vindo, aqui e ali, a escapar informações, a avolumar-se incertezas sobre as reservas de ouro norte-americanas. Mas as notícias referentes aos fortes indícios que de o ouro seja apenas virtual têm colhido uma tímida atenção na comunicação social americana.

A “verdadeira história” por detrás da prisão de DSK, agora pública, consta de um relatório secreto preparado pelos serviços de segurança russos (FSB) para o primeiro-ministro Vladimir Putin. Talvez por isso Putin tenha sido o primeiro lider mundial a assumir publicamente a ideia de que DSK terá sido “vítima de uma enorme conspiração americana”.
Estes factos, a confirmarem-se, em nada ilibam DSK na suspeição que sobre si recai do eventual crime de assédio sexual a uma empregada do hotel mas, quem sabe, essa possa revelar-se como a pequena e ingénua ponta de um grande iceberg.

A ser verdade, os serviços secretos norte-americanos, seguramente bem informados, terão sabido tirar partido das fraquezas do inimigo-alvo, aniquilando-o com eficácia cirúrgica – um pequeno crime de costumes, tão ao gosto do imaginário popular, pode bem ter contribuído para abafar crimes de contornos bem mais sérios, por eliminação de testemunha ou de prova.

Entretanto DSK prepara activamente a defesa em tribunal arregimentando já um verdadeiro “crack team” de ex-espiões da CIA, investigadores, detectives e media advisors.

19 thoughts on “Thriller internacional – outros contornos?”

  1. ò penelope…

    Não me diga que a seguir vai colocar um post com um texto a recomendar que se use chapéus de aluminio, para impedir os serviços secreto de nos lerem os pensamentos…

    è porque é do mesmo género e escrito pela mesma malta.

    Miguel

  2. Estamos um pouco no Campo da Especulação.

    Mas, estou plenamente convencida que a verdade passa por algo muito próximo do que está mencionado no texto da Penélope.

    O que verdadeiramente me irrita é que andamos de caso em caso, de especulação em especulação, e nunca se consegue chegar ao cerne da questão, por muito próximos que possamos estar dele.

  3. E as terriveis armas de Sadam? Também eram romance…
    Já me custa aceitar que Obama tenha alinhado na história. Mas se Blair alinhou na mentira do Iraque porque é que Obama não havia de alinhar na história do ouro falso?
    Agora vale tudo. Estou mesmo a ficar com medo disto.
    Vou a pé a Fátima se a história da Penélope for mesmo um romance.

  4. eu começava por mandar analisar o ouro do banco de portugal, nunca de sabe se a mulher a dias loureirou por lá.

  5. Pois é, para “jrrc”, “Miguel” e restante “família”, a história de Valerie Plame e marido, urânio do Níger e Saddam Hussein também deve ser teoria da conspiração…

  6. Bom, escavei um bocadinho, e aqui está a origem provável desta teoria da conspiração em particular:

    http://news.bbc.co.uk/2/hi/africa/7294665.stm

    Quanto ao banqueiro egípcio, a diferença para DSK é que ele admitiu, pagou uma multa e cumpriu serviço comunitário:

    Mahmoud Abdel-Salam Omar admitted kissing the maid on her lips and groping her breasts without her consent after she delivered a box of tissues to his room last month.

    As part of his plea before Manhattan Criminal Court Judge Rita Mella, Omar paid $250 in fines, had to perform five days of community service and was ordered to stay out of trouble for a year.

    O Ron Paul é, posso confirmar, completamente chanfrado. Gosto imenso dele, mas tem um parafuso a menos, e anda a tentar que os EUA voltem ao Gold-standard há anos.

  7. Vega, pois é, “Ficção de fim-de-semana” também teria sido um bom título para o post, mas tirava-lhe parte do interesse…
    E ficamos a saber, no meio disto tudo, que, nos quartos de hotel, o jogo do gato e do rato entre hóspedes e camareiras é mais corrente do que pensávamos…

  8. Na teoria da violação da empregada é que ninguém acredita.
    É uma espécie de teoria da conspiração mas ao contrário.
    Um homem naquela posição de poder, é detido no ultimo minuto por alegações sexuais da parte de uma funcionária de hotel.
    OK. também acredito que os governos existem para melhorar a vida de todos os cidadãos.

  9. Nunca fui muito de acreditar que um País que não consegue resolver o enigma de muitas mortes que vão desde presidentes, candidatos à presidência, políticos, pessoas célebres do mundo das artes, atue rápida e eficazmente em casos menores cujos contornos são nebulosos q.b..
    DSK poderá ter sido um deles, porque não? Dum país em que, pelo menos cerca de 10% dos seus presidentes acabaram assassinados, outros tantos foram alvos de atentados, já para não falar em políticos em geral, onde um todo poderoso senhor do FBI assustava presidentes como quem comia pão com manteiga, onde andar armado faz parte dum modo de viver, em que fumar, é visto como um crime mais grave do que ser alcoólico ou dependente de drogas, já nada me espanta. A verdade ficará situada algures entre aquilo que se passou e sobre o que interessa à sociedade americana que se tenha passado, o resto são cantigas.

  10. ó de cima, tamém seriam teus amigos, pá, só que tu vives no bairro alto, qué muita longe e eles não têm o teu email, eheheheheh, vai a Tróia cus encontras lá, pá

  11. Ne3o seguirei mais nuhenma se9rie na RTP2 je1 que ne3o tenho a garantia de continuidade e de seriedade por parte dos response1veis da programae7e3o. Saltar da se9rie 10 do Servie7o de Urgeancia para a 15 e9 uma falta de respeito a levar em conta de hoje em diante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.