Subsídios de férias e de Natal

Alguém será capaz de explicar decentemente por que carga de água os despachos relativos à contratação de adjuntos pelo Governo têm mencionado (e continuam a mencionar) que estes têm direito a subsídio de férias e de Natal? E por que razão nalguns casos já denunciados o “lapso” foi corrigido e noutros se apresenta o argumento de que não é necessária qualquer correção porque está pressuposto que não terão direito a eles enquanto durar o programa de assistência económica e financeira? (E agora em tom de Consultório Jurídico) Como controlar o cumprimento prático dessa subentendida norma?

Ainda a propósito de subsídios cortados, no todo ou em parte, na função pública, a dona Ana Avoila, o senhor Bettencourt Picanço ou o sindicalista Mário Nogueira onde andam? Na anterior legislatura fartavam-se de chinfrinar e vociferar para as câmaras (é daí que os conheço), mas agora parecem extremamente “confortados” com o quase supremo ataque ao funcionalismo público (apenas um grau abaixo dos despedimentos).

9 thoughts on “Subsídios de férias e de Natal”

  1. o nogueira já não persegue o primeiro ministro, o palma está alma e coração com a peixeira da +, o martins não falta muito desde que compensem o que tiram com novos subsídios, os combóios voltaram a andar em dia de greve, enfim tudo tem um preço em nome do interesse do povo, é pena o povo não ter um sindicato.

  2. …ora bem, é suposto a Lei n.º 64-B/2011 dar a volta aos despachos.

    A 12 de Nov. estive na manif. promovida pela frente sindical da função pública, desci a avenida da liberdade na companhia da Avoila, do Santos, do carvalho da Silva, do Proença, do Nogueira e de mais 150 mil almas contra o orçamento para 2012, mas não vos vi…
    No dia 24 do mesmo mês houve aquela greve geral, lembram-se?

  3. …ora pois, nunca te disseram café (não confundir com segafredo) é irracional e que a irracionalidade cega, se calhar foi por isso que não viste os restantes 9,85 megas. quando agremiados em manada só funcionam os sentidos mínimos e mal, só vêm o cú da frente, o cheiro do sovaquinho lateral, uns apalpões esporádicos e o extase, ouvem o nogueira saboreando uma mini. o modelo faliu há uns anos na alemanha, mas o vício perpetua-se e os únicos que ainda tiram algum proveito são os vendedores de minis, a casa do alentejo e algumas pensões à hora da praça da figueira. no penthouse do hotel vitoria já não corre palheto da crimeia a acompanhar as sandes de beluga.

    http://www.youtube.com/watch?v=VZbM_MIz4RM&feature=related

  4. Muito bem, caríssima Penélope!

    O Nogueira é um caso à parte, precisa de uma terapêutica específica (e bem forte), mas o Picanço, os “deolindos” e, sobretudo, a Avoila, quando foi dos cortes salariais do Sócrates, que só afectaram os vencimentos a partir dos 1500 euros brutos (e num máximo de apenas 10%), ou seja, os Funcionários Públicos “ricos”, fizeram por aí uma chinfrineira sem paralelo, em coro com a hipocrisia dos cavaquistas e sãocaetanistas, que aliás bastante se aproveitaram do banzé (e se riram deles, depois de os terem enganado…).

    Agora, que esses cortes salariais foram não só mantidos com ainda AGRAVADOS E EXPANDIDOS para além do imaginável – incidindo cruelmente logo a partir dos vencimentos de 600 euros (não brinquem, é quase tudo!!!) e atingindo quase MAIS QUINZE POR CENTO logo a partir dos 1100 euros!!! -, os protestos destes heróis da gaita são tão visíveis como o famoso voo do crocodilo, naquela velha anedota dos nossos tempos de inocência…

    A mim nunca me enganaram, não pensem…

    Já quanto às “manifes” destes patetinhas, sinceramente, prescindo de andar a marchar alinhado com cartazes que, face à situação presente, mais não conseguem do que vociferar “Sócrates ladrão!”. Ora, vão lá chamar deficiente mental a outros trouxas…

    Mas não te preocupes, quarentinha amnésica, que eu também fiz GREVE e por causa disso perdi uns míseros 60 euros em Novembro, que ao Cavaco pelos vistos não dão para pagar nadinha, mas que a mim e à minha honesta Família fariam um jeitão. Descansa, porém, que não foi por ti, nem pela Avoilinha, que eu os perdi, foi antes pela sede de JUSTIÇA, que um dia há-de vir, com “raios e tufões, incendiar de astros e canções as trevas, o mar, o Mundo e os corações!”…

  5. Ó Marquês, justiça é contigo, já se sabe. Nem precisas de te levantar da cadeira. Basta esperares pelo D.Sebastião, quer ele venha, ou não.

  6. Miss Forty: Nas manifestações, essas pessoas passam todas bastante despercebidas. Longe, muito longe do protagonismo individual agressivo e quase hebdomadário dos últimos anos.

  7. Vai passeando muito por aí e acumulando quilometragem, quarentinha activista, mas não te admires se eu conseguir entretanto ultrapassar-te em eficácia combativa, mesmo sem me levantar da cadeira.

    Estou a ver que sabes muito pouco sobre as várias formas com que o sebastianismo se manifesta. Pudera, mentes como a tua geralmente só reagem à espuma, nem se dão conta da subjacente cerveja…

  8. Obrigado, quarentinha conformista, gosto sempre de recordar as musiquinhas da minha infância. E folgo muito em saber que és adepta do “que era doce e acabou, tudo voltou em seu lugar, depois que a Banda passou. E cada qual no seu canto e em cada canto uma dor”…

    Eu também não. Boas marchas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.