Atravessar o Atlântico para expor teorias que usam uma vassoura

A notícia não é muito desenvolvida, mas lê-se que Vítor Gaspar declarou em Washington que Portugal é um exemplo do mau resultado das políticas económicas expansionistas, em que todos os keynesianos (não é?) devem pôr os olhos. Que vivam, portanto, as políticas contracionistas, estas, sim, mesmo boas, as únicas, as da Bayer.
Segundo Vítor Gaspar, na década desde a adesão ao euro, o crescimento foi insignificante, sobretudo devido à ausência de políticas económicas austeritárias e pró-competitivas, agora, finalmente, no terreno, para sua grande fezada.
Não sou, nem quero ser, economista, mas o simples facto de este senhor analisar para o mundo a situação de Portugal varrendo completamente da análise uma série de condicionantes internas e externas fundamentais, como se não tivesse havido qualquer crise, nem pequena, nem média, nem grande, nos últimos quatro anos da referida década (quase metade), metendo os resultados da análise todos num bolo, pegando fogo à falsa vela e mandando tudo para o inferno do expansionismo assassino, parece-me um exercício totalmente leviano e demagógico de defesa da recessão redentora.
Se estou errada, corrijam-me.

13 thoughts on “Atravessar o Atlântico para expor teorias que usam uma vassoura”

  1. Esse pseudo-economista (o curso deve-lhe ter saído na farinha Amparo) é realmente uma abécula de se lhe tirar o chapéu.
    Não há nada a fazer com estes calhordas sobre os quais já tudo foi dito.

  2. a notícia não é desenvolvida porque o que disse à porta é diferente do que disse lá dentro. tás a ver o gaspar a afrontar o fmi em 33 rpm com teorias de encolhe & não mexe? claro que não, foi lá bateu a bola baixo e fez umas declarações à saída para consumo interno. o coelho fez ontém o mesmo filme inflexibilidade flexível em downing street. se não cairem entretanto, daqui a um ano estão a fazer tgvs e aeroportos para promover o emprego e estimular a economia nacional.

  3. espera, quer dizer: o Gaspar foi dizer nas barbas dos americanos que a política económica que estão a seguir, com Obama, “sucks”, não presta, é uma treta e por isso é que eles estão com indicadores melhores que os nossos…

    Eles nestas coisas gostam de verificar se é preciso um “shrink” para dar apoio psicológico. Será que já lhe ofereceram os serviços?

  4. Edie: Irónico também o facto de, não muito longe dali, uns quilómetros para nordeste, em Wall Street, estar o local da queda do expoente máximo do sistema que defende, o Lehman Brothers, e tudo o que se lhe seguiu, pelo qual ainda estamos a pagar…

  5. Já para não falar na questão da arquitectura do Euro, a que a direita nunca se refere e que é a principal causa, logo depois das crises económica e financeiras pós-2008, das dificuldades actuais e do dificílimo crescimento em Portugal desde a adesão à nova moeda.

  6. Gaspar é o exemplo sinistro do que seria ( e para nossa desgraça é, neste momento, em Portugal) o pensamento darwinista aplicado ás sociedades humanas : qual civilização, quais direitos , quais moral e ética, retire-se tudo, destrua-se tudo, lance-se a população inteira ás feras e , qual Deus entediado, fique-se a vêr quem sobrevive do banho de sangue.

    De facto uma pena que a mesma lei que professa para o seu modelo de sociedade não tenha tido a possibilidade de agir na altura em que esta aberração humana nasceu…

  7. Estes liberais lembram-me os maoistas na decada de 60. Se o comunismo nao funciona, ‘e pq nao ‘e o verdadeiro comunismo que esta a ser aplicado.

    Se o euro esta a ser um fracasso e a ideia de ceder a politica monetaria a um banco central independnte do poder politico (pq era a intervencao do estado q impedia a mao invisivel de nos trazer o ceu na terra) nao resulta, eh pq nao fomos verdadeiramente austeros. Houve demasiado estado, esse e q era o problema.

    Esquece o Gaspar que desde 2001 que estamos a seguir orcamentos restritivos sempre em busca de uma consolidacao orcamental que nunca chegava porque a nossa economia teimava em estagnar. Se somos exemplo d alguma coisa eh q eh dificil crescer com politicas restritivas. Devia olhar para os EUA, que ignoraram algumas das teorias favoritas do Gaspar e parece que stao um bocadito melhores que a europa.

    Let detroit go bust, dizia o Romney. Let portugal go bust diz o Gaspar

  8. Eu penso apenas que ele se passou um bocadinho da cabeça.

    Nesta altura, dizer um tal disparate nem ao Álvaro passaria pela cabeça.

    Bom, talvez passasse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.