É dreda ser Angolano

É só para avisar a malta que se interessa por essas coisas (há gajos para tudo, né) que amanhã, 6.ª-feira, às 20h, no âmbito da extensão VIMUS do Festival Cosmopolis, o Cinema São Jorge irá ser o palco da primeira visualização pública de É dreda ser Angolano, um mambo tipo documentário inspirado nessa obra-prima da música urbana lusófona que é Ngonguenhação do Conjunto Ngonguenha. Tudo muito humildemente produzido e enrolado pela Rádio Fazuma. Graças ao gentil convite do Pedro Costa (que, a par do Luaty da Silva, é o verdadeiro mentor deste projecto), tive o privilégio de colaborar na feitura do documentário e, se tal não colocasse em cheque a minha lendária modéstia, diria que o resultado de quase dois anos de trabalho é absolutamente avassalador.

Até lá, fiquem com o videoclipe do tema «É dreda ser Angolano» do Conjunto Ngonguenha, que funciona como um mambo tipo trailer do mambo tipo documentário. Apareçam: verão que não se irão arrepender. Ah: e se houver um gajo a manifestar-se de forma histérica durante a projecção, já sabem que sou eu.

6 thoughts on “É dreda ser Angolano”

  1. Se foste convidado pelo Pedro Costa, nosso primo, a coisa só podia correr muito bem. Estás de parabéns, digo-o na posse de um excelente argumento.

  2. Li o guião, obra do João Pedro, e garanto-vos que tem tudo para agarrar um gajo pelos ares. Parabéns, já, JP.

  3. também tu, fernando. pois olha que eu, nas mesmas circunstâncias, diria que tem tudo para agarrar um gajo pela terra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.