Mais putinistas que o Putin

A guerra dura há mais de dois meses. Indiferentes às suas consequências devastadoras, aparentemente, nada comove os putinistas, que para todas as atrocidades encontram desculpa. As imagens da destruição das cidades são manipuladas e pura propaganda dos ucranianos. Como se os mísseis russos carregassem flores e borboletas e as imagens que a comunicação social deveria estar a passar era a de uma Ucrânia mais bonita a cada dia de guerra que passa. Depois vem o Putin gabar-se dos seus feitos e confirmar a destruição de alvos no país invadido. Nada que atrapalhe os nossos putinistas. Se há baixas entre os civis, a culpa é dos ucranianos que têm armamento nas cidades e usam a população como escudo. Ora, a guerra trava-se onde os civis vivem, queriam que os ucranianos se defendessem estendendo passadeiras vermelhas para os russos entrarem? 

Os putinistas até podem admitir a existência de baixas entre os civis, mas nem um é uma vítima inocente. Os putinistas olham para os ucranianos e só vêem nazis. Assim como o Ventura só vê bandidos quando olha para negros, ciganos ou imigrantes. Para os putinistas, os ucranianos são o povo mais politizado do mundo. Todos, incluindo as crianças, são especialistas em geopolítica, estando mais do que a par das tramóias dos americanos, das intenções da NATO e de outras trafulhices levadas a cabo pelos países ocidentais. Portanto, todos se puseram a jeito, conscientes do risco que corriam. Só se perdem as que caem ao lado. Não sei como não acusam o Governo de estar a colocar-nos a todos em perigo ao permitir a vinda de milhares desses nazis para o nosso país. 

Os putinistas travam ainda uma luta sem tréguas contra quem se indigna com esta barbaridade. Sempre munidos das citações dos seus ídolos, seres superiores detentores da verdade absoluta, acusam quem não os acompanha de serem uma cambada de hipócritas que nunca se indignaram contra outras barbaridades, passadas e presentes. Ainda que tivessem toda a razão, já houve no passado coisas que não indignavam quase ninguém, que eram a normalidade, e passaram a indignar a maioria. Prova de que a Civilização evolui. E não há putinista que a consiga travar!

73 thoughts on “Mais putinistas que o Putin”

  1. Dona Guida julgava que também ia insurgisse contra a ONG Ucraniana em que sugere que as organizações portuguesas – Assembleia da República, Tribunal Constitucional e outras – ilegalizasse o Partido Comunista Português.
    Sobre isto nada diz o que dá a entender que está de acordo e até diz que os putinistas, nos quais eu me inclui-o, porque gosto de uma imprensa livre e verdadeira.
    Coisa que não está a acontecer com o Ocidente incluído Portugal.
    Já que dá mostras de estar ao lado da “democracia” ucraniana porque não refere o facto de Zelensky expulsar partidos que não comungam dos seus ideais e de aprisionar em certas cidades quem for pró-russo.
    Na década de sessenta aquando os soldados portugueses na Índia – Goa, Damão e Diu – foram confrontados com o poderio da Índia o Comandante das tropas portuguesas viu que era um suicídio confrontar as tropas indianas e rendeu-se com isso salvando os soldados portugueses. Foi apelidado de covarde por Salazar. Mas com a sua acção salvou os seus soldados.
    Zelensky não era preciso render-se. Bastava negociar a não adesão á Nato e certamente tudo era resolvido. Mas preferiu fazer o que o seu amo ordenou e expôs o património arquitectónico e vidas humanas como escudo.
    Por isso pode apelidar quem vê o conflito ucraniano como um jogo de interesses como putinistas que da minha parte não levo a mal.
    Sabe porquê? Porque penso pela minha cabeça e não vejo os problemas de viés.
    Cumprimentos para a senhora.

  2. ò pacheco, ninguém pediu a ilegalização do teu partido, nem será preciso, nas próximas eleições desaparecem. a única coisa que pediram, muito justamente, foi um inquérito ou investigação ao que se passou no acolhimento aos ucranianos em setúbal feito por russos e o papel da câmara de setúbal nesta cena macabra. se estás com medo das consequências, problema teu.
    topa-se que pensas pela tua cabeça, mas respondes com “imprensa livre e verdadeira” putinista com a qual te identificas.
    tanta burrice junta, estes gajos não se enxergam. o avô jeropinga no dia seguinte às eleições demitia-se ou suspendia o mandato de secretário-geral do pcp por motivos de saúde, que nem precisava de justificar, visto que tinha sido submetido a uma operação durante a campanha, e preparava a sucessão. neste momento era um herói e as culpas dos tiros nos pés eram atribuídos aos idiotas que o assessoram. salvava-se a dignidade do ansião e do partido, assim foi tudo com a água do banho.

  3. nos longinquos idos de dezembro de 2021, os norte americanos bombardearam uma familia de 10 afegãos entre os quais 7 crianças. mas felizmente que desde então a sociedade e a guida evoluiram e isso agora não é mais tolerado.
    boicotemos pois o petróleo saudita. certo, guida? ou? quê?

  4. Manuel Pacheco, dizes que “Bastava negociar a não adesão á Nato e certamente tudo era resolvido.”. O Zelensky declarou há mais de um mês que a Ucrânia não integrará a NATO. Procura aí na tua cabeça, porque é que afinal não bastou?

  5. Para o cambada de ranhosos que nem se identifica:
    https://www.dn.pt/sociedade/ucrania-presidente-de-associacao-diz-nao-perceber-como-pcp-continua-a-existir-em-portugal–14814845.html?fbclid=IwAR0iI-1pewg-onJWmhIGoY5Pu7NrBJvK469JHsYMgX5Sm3uTolFrIa3O74g
    Para a dona Guida:
    Então Zelensky declarou há mais de um mês que a Ucrânia não integrará a Nato! Dizia isso e ao outro dia pedia à Nato e a mais países para lhe enviar mais armamento!
    Esse armamento era para estralejar no acordo com a Rússia?
    Ainda há dias pedia para o exército russo deixar o exército do Azov refém na fábrica de Mariupol para a abandonar juntamente com os civis. Se a finalidade do cerco é capturá-lo ia deixá-lo sair livremente!
    Ao que chega a ingenuidade Dona Guida.
    Mais uma vez cumprimentos uma vez que lhe enderecei e não obtive o mesmo.

  6. Não percebo como nós portugueses que sempre fomos acolhedores e humanistas suportamos gente desta laia.
    Devemos agradecimentos ao Partido Comunista Português por a sua postura e luta durante quarenta e oito anos de facismo. Mas ele – facismo – ainda continua em Portugal.
    Os fascistas portugueses “temos” de os suportar. Agora os facistas estrangeiros que albergamos isso nunca.
    É hora das estâncias portuguesas tomarem providências e pôr estas pessoas e ordens no seu devido lugar.
    Senão corremos o risco de sermos “engolidos” por estes vermes.
    Portugal acima de tudo é dos portugueses e não destas seitas.
    Quem não se adapta aos nossos usos e costumes têm um bem: vão para os seus países.

  7. Ora porra!
    Cum caralho, a Russia, a mando do filho da p*ta do Putin, invadiu a Ucrânia, e, na Guerra caem bombas, ezras explodem, chovem munições de vários calibres e morre muita gente inocente, infraestruturas estratégicas ou meris alvos civis são destruídas, etc…e tal;
    Ou há um golpe de Estado ba Rússia, ou a Russia não sairá da Ucrânia derrotada; deveria abdar tabta gente a procurar soluções para encontrar uma solução pacífica ou a Ucrania será completamente destruída nem que se inicie a 3. Guerra Mundial pelo recurso a arnas nucleares táticas…
    Fingir que esta ameaça não existe também é um crime…(Aliás, alguns comentadores já começam a acusar a Europa de laxismo sobre o conflito Russo/Ucraniano desde 2014…)

    Estamos bem tramados…

  8. Realmente há, definitivamente, coisas que não entendo.
    Nem entenderei nunca.
    Um país ataca e invade outro país.
    Mata milhares de pessoas, velhos, novos, mulheres, crianças.
    Obriga à fuga milhões de outros.
    Para ocidente claro, porque prá russia só vão os que ‘são convidados’!!!!!!!!
    E ainda há por aqui quem diga que está bem?
    Quem apoie?
    Quem procure justificações para esse assassínio?
    Put@ que pariu essa gente.
    Não desejo mal a ninguém, mas para essa gentalha só desejo que alguém, seja o putin ou qualquer outro idêntico, lhe faça o mesmo n o seu quintal, no seu apartamento.
    Que lhe viole e mate a mulher e as filhas.
    Gente de merda, com todas as letras.

  9. Sr. Manuel Pacheco, v. estatelou-se ao comprido neste seu último comentário (21;44). Julgo que o PCP não o subscreveria e exigiria de si uma autocrítica e sei lá mais o quê. Releia – devagarinho – o que escreveu. Outra vez. Agora mais rápido, de enfiada. Concentre-se, especialmente, nas últimas 3 linhas, V. até mete medo. Chiça!

  10. “Presidente de associação diz não perceber como PCP continua a existir em Portugal”

    eu tamém não percebo, mas daí concluires que estamos a pedir a ilegalização do pzp é delírio de consciência pesada.

    “Não percebo como nós portugueses que sempre fomos acolhedores e humanistas suportamos gente desta laia.”

    “acolhedores e humanistas” não rima com “gente desta laia”, mas tem cheiro a supremacia de loira com olhos azuis metalizados.

    “Devemos agradecimentos ao Partido Comunista Português por a sua postura e luta durante quarenta e oito anos de facismo. Mas ele – facismo – ainda continua em Portugal.”

    deves tu e os palermas que frequentam essas missas onde os camaradas se apropriam do trabalho dos outros. ainda hoje recebi um livreco das edições avante sobre a crise académica de 69, onde omitem sistematicamente os nomes de quem não é afecto ao pcp. até parece que a crise de coimbra foi obra exclusiva do pcp e que o alberto martins não existiu.

    “Os fascistas portugueses “temos” de os suportar. Agora os facistas estrangeiros que albergamos isso nunca.”

    tens tu e os teus camaradas, até falam dele pelo nome, pacheco de amorim, no livreco que referi.

    “É hora das estâncias portuguesas tomarem providências e pôr estas pessoas e ordens no seu devido lugar.
    Senão corremos o risco de sermos “engolidos” por estes vermes.”

    é pôr as estâncias balneares e de sky em alerta máximo contra vermes para não foder o turismo.

    “Portugal acima de tudo é dos portugueses e não destas seitas.”

    totalmente de acordo, comunas incluídos.

    “Quem não se adapta aos nossos usos e costumes têm um bem: vão para os seus países.”

    o mário machado não diria melhor: vai prá tua terra oh preto !heil adolfo!

  11. “Julgo que o PCP não o subscreveria e exigiria de si uma autocrítica e sei lá mais o quê.”

    julgas mal, não os conheces. quando espremida, a vanguarda da classe trabalhadora, reage aos costumes com reaccionarice tradicional xenófoba e racista e aos métodos com ameaças próprias do fascismo. nos intervalos vão retocando a história e apropriam-se do mobiliário.

  12. muito, muito mais cabrões do que o cabrão original. são feitos de ódio e de raiva, Guidinha. era metê-los em uma sala sem janelas durante uns dias para se verem bem uns aos outros. comiam-se em três tempos: o Manuel Pacheco, patego da rua escura, e o Joaquim Camacho, sir vaselina, devoravam-se mutuamente, trincavam-se, mastigavam-se, chupavam-se ainda com os pedaços na boca, iogurte de pedaços de morango a escorrer, deixavam os braços com as mãos para o fim – porque sem braços não se pode carregar em gatilhos nem lançar bombas, os braços são-lhes os últimos a serem engolidos, resistência em riste, no final. depois restam os pés, vivem a experiência de como é pensar com os chispes, arranjam maneira de brincarem à bicicleta, ainda podemos pedalar um pouco mais na destruição, dizem-se, calos com calos, unhas que finalmente se desencravam, chulé que se dissipa no cheiro a carne estufada com ódio, óleo e raiva, em banho maria. nessa altura os pés começam a ouvir as vozes das mães: nelinho, camachinho, arrependemo-nos de vos termos parido, trouxemos ao mundo homens que não se são: são a mistura de serpente com cabrão, macabra maturação, pus do fleumão. !ai! que riso, dizem, grande gargalhada de desprezo e nojo.

  13. hahahahahhaah a guida pergunta porque é que não bastou o zelensky dizer que não aderia à NATO há um mês hahahahahhahahhaha porra, quem é esta gente hahahahhahahaha

  14. continuando, entretanto chega o teste, entra na sala nauseabunda e escorrega na gosma deliciado, saca do telemóvel último grito e mete-se a filmar os resquícios vivos da comezaina, bora lá partilhar em rede, os nelinhos e os camachos não podem morrer, !ai!, não, vamos continuar a recuar no tempo, há espaço para mais, e com o dedo mindinho, unha de taxista obsoleta, vai molhando e lambendo do molho engrossado e tingido: hum, sabem-me a ketchup americano. !ai! que riso

  15. bom dia, olinda
    hoje vou te deixar aí pousada a fritar, silvando e estourando na tua própria gordura.
    até logo, salsichinha

  16. Há quem se ria com as aparições do Emplastro. Não é o meu caso. Acho deprimente a exibição inconsciente do manifesto défice cognitivo de que é portador, que precisamente por o ser não se apercebe de que o é. Aquela lamentável crença tola de que a exposição permanente da gigantesca verruga castanha que lhe enfeita a tromba interessa seja a quem for neste planeta. Mas ao menos o Emplastro original não diz nada. O do Aspirina não pára de falar, ainda que nada diga, e a gigantesca verruga castanha que também não se cansa de exibir alojou-se na alma e não na tromba. Está por inventar a cirurgia estética que a consiga remover, pelo que continuará, sôfrega e deprimentemente, a aparecer.

  17. O comentário não é meu. Mas nele revejo o meu pensamento. Se ser putinista é isto então sou putinista. Gosto da liberdade de expressão e não “como” tudo o que põem no prato.

    Carlos Marques diz:

    Maio 1, 2022 às 11:16 pm
    Excelente análise, talvez um pouco demasiado pró-Russa. Se as armas e veículos ucranianos fossem assim tão maus, o Donbass já tinha caído e a Rússia não teria baixas. Pelo contrário, há muitas baixas russas, e a frente de batalha em redor de Donetsk (a mesma linha entrincheirada dos últimos 8 anos) não mexe um centímetro.
    Ando a ler há um mês “houve combates ao redor de Adveeka (perto de Donetsk), mas nenhum lado fez avanços” nas crónicas do SouthFront.

    Tinha lido o original em inglês no The Saker, por isso ao fazer scroll down notei logo neste erro de tradução:
    “the “big fool” chose to believe his own propaganda”
    Ou seja, Zelensky optou por acreditar na própria propaganda, não escolheu “desmentir” como está erradamente na tradução.

    Aproveito isto para falar nas manifestações que as mulheres e familiares no Oeste da Ucrânia já andam a fazer, a protestar contra a chamada de seus filhos e maridos para serem os próximos nacos de carne da NATO na frente no Donbass.
    Obviamente, tais imagens não vão passar num único órgão da “imprensa livre” do Ocidente. Tal iria estragar a narrativa e chatear os editores do “critério editorial” que se sentam no Pentágono a dar “notícias” para europeu comer e calar…

    Zelensky, se fosse decente, não mandava o seu povo morrer em nome duma guerra proxy, nem em nome deum território que não diz nada ao povo de Kiev, Lviv e companhia.
    Se Zelensky não fosse um lunático e corrupto, teria comprido acordos de PAZ de Mink, teria evitado a guerra e, se por algum motivo mesmo assim a Rúsdia decidisse atacar, Zelenaky só tinha de continuar a trabalhar para a paz em vez de fazer a tour “armas, armas mais armas” tal como Biden lhe mandou.

    Há até um bom exemplo próximo no tempo e na geografia, que era fazer como a liderança da Arménia perante a invasão do Azerbaijão em 2020: abdicar dos pedaços de terra para salvar os nacos de carne.
    É uma decisão difícil, mas é a certa. A diferença é que o líder Arménio está rodeado de Arménios nornais, enquanto que se Zelensky tivesse assinado tal acordo de paz, já seria mais um dos corpos em Bucha, após ser “tratado” pelos Galicianos do SBU.

    Em vez disso, Zelenensky, lá está, optou por acreditar na própria propaganda da “resistência” e mandar cada vez mais homens para um destino que tem sido ou a morte ou a rendição seguida de prisão. Tem sido às centenas todos os dias, às vezes um milhar de uma só vez. E no total são já dezenas de milhares mortos. Isto não é resistência, isto é indigno.

    E é ainda mais indigno porque é em nome de um pedaço de terra (Crimeia e Donbass) cujo povo não quer ter nada a ver com o regime de Kiev. Seria como Inglaterra fazer em 2022 uma guerra contra o povo da Escócia, em vez de respeitar o seu Direito Humano à autodeterminação.

    E aqui dizem-me “ah e tal a Crimeia foi anexada ilegalmente”. Ao que eu respondo: qual a legalidade do Kosovo, qual a ” lei internacional” da anexação do Sahara Ocidental, qual a liberdade de Israel de roubar casas Palestinianas, qual o pacifismo da ocupação Turca (NATO) do Norte da Síria (Curdistão), e qual a democracia do apoio dado pela UE aos nacionalistas espanhóis que deram cargas de porrada em quem queria votar num referendo?
    ZERO.

    É por isso que 87% do Mundo se está a c*gar para as sanções impostas pelo Ocidente e para o paleio das “regras internacionais” que mais não são do que aquilo que der na telha, em cada momento, ao POTUS e aos seus vassalos Europeus. O Ocidente não tem moral, não tem lei, não respeita ninguém, e não tem razão. O que tem muito é arrogância, hipocrisia, e CULPA.

    E por isso mesmo lançou a mais vil campanha de propaganda, manipulação, mentira, e ataque contra o pluralismo e liberdade de expressáo
    Agora, quem se atrever a questionar a oligarquia, é “putinista”. Quem for pacifista anti-NATO, é “putinista”. Quem for EUrocético é “putinista”. E quem se atrever a chamar NAZI aos NAZI, é “putinista”.
    Parabéns, Goebbels está orgulhoso de vocês…

    Acabo voltando ao início, ao erro que comete quem acredita na própria propaganda. Uma “união” obtida assim, não tem pernas para andar. Decisões económicas feitas assim estão condenadas a falhar. E um povo que acredita nas suas próprias mentiras, é aquele que mais se vai isolar.

    O resto do Mundo está atento. Não é vítima da CNN, BBC, ou Euronews. Abraça o multi-pluralismo. Gosta de ser ouvido E DE OUVIR. Respeita a soberania alheia. Não olha com olhos nada bons para quem se auto-proclama “comunidade internaciobal” tendo apenas 13% da população Mundial. E olha com ainda mais reprovação para quem se encosta de tal forma ao criminoso regime americano, que começa a ser indistinguível de que lado do Império das Mentiras se está a falar.

  18. alguém percebeu este argumento?

    “de serem uma cambada de hipócritas que nunca se indignaram contra outras barbaridades, passadas e PRESENTES. Ainda que tivessem toda a razão, já houve no passado coisas que não indignavam quase ninguém, que eram a normalidade, e passaram a indignar a maioria”

    (as maiúsculas são minhas)

    ou só eu é que detecto aqui uma certa dissonância cognitiva?

  19. Mais um putinista:

    AS DENÚNCIAS DE UCRANIANOS POLITICAMENTE SUSPEITOS E DOS PORTUGUESES QUE OS APOIAM

    Os portugueses que estão a colaborar com a embaixadora ucraniana na sua acção política de ódio por cidadãos de outros países residentes em Portugal e de desrespeito pelas leis fundamentais do país onde está acreditada, antes de se lançarem em histéricas campanhas de difamação e segregação, deveriam parar para reflectir no imenso mal que estão a causar ao seu país. Esses portugueses que se deixam levar por emoções estimuladas pela miserável comunicação social que acompanha a guerra na Ucrânia, bem como os portugueses que politicamente pretendem tirar proveito dessa campanha pidesca levada a cabo por fachos ucranianos, além dos portugueses com altas responsabilidades políticas que se mantem em silêncio ou que têm um discurso ambíguo quando não podem deixar de se pronunciar, deveriam, todos eles, lembrar-se do seguinte:
    Primeiro, Portugal está a prestar apoio humanitário a pessoas que nunca nos foram próximas e relativamente às quais não temos nenhuma especial obrigação de o prestar, mesmo que apenas moral, e muito menos de os colocarmos numa posição de privilégio relativamente a tantas outras pessoas pelas quais nada fizemos, absolutamente nada, quando tínhamos obrigações seculares para o fazer. Para que não haja dúvida refiro: a guerra civil de Angola de quase duas décadas; a guerra civil de Moçambique igualmente de longa duração, sem falar nos ataques que populações indefesas têm sofrido nestes últimos tempos por forças estrangeiras que defendem interesses nem sempre fáceis de identificar; as sucessivas revoltas e golpes de estado da Guiné Bissau que têm desorganizado a pobre vida de milhares de pessoas que já pouco ou nada tinham.
    Segundo, Portugal está (irresponsavelmente) participando numa guerra que não é sua, com a qual nada tem e na qual não está em jogo nenhum interesse vital para o Estado Português e ao fazê-lo corre sérios riscos de se tornar um alvo fácil daquele que estamos a hostilizar – por outras palavras, está a participar numa guerra relativamente à qual não tem a mínima capacidade de avaliar e antecipar os riscos que dela podem, para nós, portugueses, resultar.
    Terceiro, Portugal já recebeu muitos mais refugiados ucranianos do que alguma vez o principal instigador desta guerra – os Estados Unidos – receberá mesmo que ela se mantenha por mais dez anos!
    Quarto, ó portugueses ensandecidos pela intoxicação televisiva – como se pode receber refugiados, integrá-los nos diversos serviços sociais que lhes vão prestar apoio sem RECOLHER DADOS? Como, meus ignorantes compatriotas? Nós, portugueses, também não os poderemos ter se perdermos a identidade civil ou se nos recusarmos a prestá-la.
    Quinto, a discriminação racial, ou étnica ou política ou religiosa ou qualquer que seja a forma de que ela se revista não é admitida em Portugal: é um dos princípios basilares da nossa Constituição!
    Em conclusão: Que os portugueses, principalmente os políticos, tenham juízo, não alinhem nestas campanhas histéricas e racistas promovidas pelas televisões.
    Finalmente, que os ucranianos que aceitamos receber como refugiados, bem como os que cá residem, respeitem as leis portuguesas – se o não fizer, se vierem para Portugal para dar voz e corpo a práticas que banimos há cerca de meio século, só lhes resta como alternativas: ou partirem para local que acolha essas práticas ou serem deportados por terem a ousadia de estar repetidamente a pôr em causa o Estado de Direito Democrático vigente em Portugal!

  20. Em verdade te digo, Manuel Pacheco, que quando um arqueólogo do futuro, daqui a uns milénios, desenterrar a Pelosi, publicará um artigo na ‘Science & Vie’ defendendo a tese de que descobriu um fóssil de Barbie gigante, pertencente a uma rapariguinha de uma raça alienígena gulliveriana que em tempos visitou a Terra.

  21. gajos que dizem pensar com a sua própria cabeça e que acusam os outros de carneiros a despejar entulho oficial das obras de remodelação do secretariado nacional de propaganda russa, quando não são originais, são traduções 2xabril com interpretações e adaptações dos comunas aborígenes.
    nem o bannon foi tão longe na trapalhada da criação de factos alternativos, limitava-se a contar a estória de pernas para o ar, os comunas inventam, põem na centrifugadora com a tampa aberta e salpicam tudo com nonsense para lançar a confusão geral e matar as discussões que não lhes agradam ou alimentar os impossíveis que fabricam.
    só nos resta gozar com a falta de dignidade que escolheram para morrer ou ficar em silêncio por algum respeito que ainda possamos guardar aos antepassados desta canalha.

  22. Estou de acordo com esta visão da Civilização Ocidental. Pela sua superioridade ela impôs-se a (quase) todo o mundo e colocou-o sob seu domínio, apropriando-se dos seus recursos, guerreando muitos povos e exterminando aqueles que ousavam discordar ou opôr-se. Foi assim que o seu domínio se estabeleceu do Canadá à Patagónia, do Egito ao Cabo, da Indonésia à Austrália, do Japão à Índia. A sua economia atingiu o ponto máximo quando criou a escravatura moderna, extraindo de milhões de homens duas vantagens, eram um produto que gerava imensos lucros de transação e proporciova aos compradores mão-de-obra gratuita.
    Para concluir o domínio (lógico) sobre todo o planeta falta portanto o espaço que vai dos Urais ao Extremo Oriente. Os primeiros a a avançar foram os franceses no princípio do séc. XIX. Apesar da 1a vitória em Smolensko, que foi estrondosa, Napoleão não teve sucesso. Os segundos a avançar foram os alemães nos meados do séc. XX que, pondo em marcha a melhor máquina de guerra que a Civilização Ocidental alguma vez produzira, também não lograram vencer, fenómeno que me vexa como ocidental e que ainda não consegui perceber.
    À terceira é de vez e será no séc. XXI. Parafraseando Durão Barroso, só não sei em que ano, porque falta avaliar com rigor as capacidades dos chineses. Desta vez os russos não se safam.

  23. teste, o azeiteiro; Manuel Pacheco, o patego acéfalo; e Joaquim Camacho, sir vaselina: para vocês só mesmo disto a ver se vos passa a azia. para as dores de putinismo agudo pois claro que só mesmo a minha receita anterior de iogurte de morango aos pedaços e ketchup!ai! que riso

    https://www.youtube.com/watch?v=y32kiefgVaA

  24. Aos hipócritas residentes do Aspirina – mula russa camacho, manuel pacheco, anão cínico vieira, etc. (a que se juntam personalidades do anti-ocidentalismo mais ou menos intelectualizado como Carlos Matos Gomes, Raquel Varela, Pedro Tadeu, Manuel Loff ou José Goulão) não se pode imputar genericamente a existência duma dissonância cognitiva que seja atenuante do que pensam e escrevem sobre a invasão da Ucrânia. Haverá situações em que essa dissonância cognitiva existe, noutros não.
    Seja como for, sobre eles recai a inteira responsabilidade das opções tomadas, tornadas públicas e, portanto, insuscetíveis de desmentido ou adulteração revisionista. No caso em apreço, a opção histórica de perfilharem um “neutralismo” objetivamente favorável ao agressor. Um “neutralismo” que tem servido de rótulo a uma inversão moral dos princípios, premiando o agressor face ao agredido. E, por isso, é vê-los a julgar o agressor putin, aplicando-lhe as fórmulas frouxas nascidas duma empatia dissimulada, enquanto condenam o agredido Zelensky, veementes nas sentenças que formulam, absolutas e irreversíveis.
    E, intimamente associado a este “neutralismo” hipócrita” apresentam um “pacifismo”, também ele objetivamente conivente com o agressor. Um “pacifismo” propagandeado sob a forma de apelo ao fim imediato da “escalada da guerra”, mas que é exclusivamente dirigido ao Ocidente/Ucrânia, abstendo-se de gastar uma sílaba a propósito do esforço bélico russo.
    Fazendo fé no que diz essa gente, dar armas à Ucrânia para se defender da agressão é prolongar a guerra, enquanto desarmar a Ucrânia face a essa mesma agressão é propiciar a “paz”.
    Consumada a “paz” desejada por essa gente, teríamos, na verdade, uma “paz” do agressor, cujos termos seriam por este ditados ao agredido militarmente enfraquecido. Como é evidente, uma “paz” do agrado dessas boas almas “neutralistas” e “pacifistas”. Que, então, regressariam ao remanso das suas existências, ao conforto burguês dado pelo Ocidente que tão virtuosamente condenam. E, além dos mais, beneficiando da agradável certeza de que não virá ninguém pedir-lhes a prestação de contas. As contas do preço moral e humano associado a uma “paz” feita à medida da sua preferência.

  25. “O comentário não é meu. Mas nele revejo o meu pensamento. Se ser putinista é isto então sou putinista. Gosto da liberdade de expressão e não “como” tudo o que põem no prato.”

    . claro que não é teu. nem 2 linhas consegues alinhavar e quando tentas sai merda.
    . claro que revês o teu pensamento em tudo o que te agrada, dá-se o caso de aquilo que te agrada não existir ou ser falso, mas isso tamém não te cria qualquer problema.
    . claro que ser putinista é ser filho da puta, logo és quem escolhes ser e sem qualquer complexo.
    . claro que gostas da liberdade de expressão e os russos servem-na já sem espinhas, o que é óptimo para quem pensa com própria barriga e depois vem para aqui dar uns peidos. deixar qualquer coisa no prato no fim da refeição tem várias explicações, pode ser falta de educação ou preconceito de afirmação social de quem segura os talheres com os mindinhos em riste.

  26. coitado, o ignatzi está com diarreia.
    deve ser alguma patranha que ele comeu.
    mandem orações e votos de melhoras

  27. entretanto, a dissonância cognitiva acerca das atrocidades cometidas NO PRESENTE por outros que não os russos continua sem explicação.
    deve ser porque estão no wc

  28. A dissonância cognitiva da Guida não sei a que se deve, mas a do ignatzi acho que já está mais do que claro que é motivada pelo racismo interiorizado.

  29. Ora bamo lá a ber a indiguinaçom dos gatos gordos de Bruxelas e Estrasburgo, com a teutónica Ursula à cabeça. Fico ansiosamente à espera, mas, pelo sim pelo não, vou esperar sentado.
    ________________________

    Head of EU state added to Ukraine’s ‘enemies list’

    Published: 2 May 2022 | 14:40 GMT

    Hungarian Prime Minister Viktor Orban was labeled an “accomplice of Russian war criminals”

    Hungarian Prime Minister Viktor Orban has been added to the notorious online database pro-Kiev activists use to blacklist people they consider enemies of Ukraine.
    The Mirotvorets (‘Peacemaker’) website was created in 2014 as a public database of “pro-Russian terrorists, separatists, mercenaries, war criminals, and murderers.” It contains links to social media accounts and personal information, such as home addresses, phones, and emails.
    Orban is listed as “an accomplice of Russian war criminals,” and an “anti-Ukrainian propagandist.” The website mentioned that the Hungarian PM refused to back an embargo on Russian oil and gas, among other things. He also broke ranks in the EU by refusing to send weapons to Ukraine or allow the transit of foreign weapons to Ukraine through Hungarian territory.
    Orban, who won re-election last month, built his campaign around promises to keep his country out of the Russia-Ukraine conflict and, in a victory speech, named Ukrainian President Volodymyr Zelensky as one of his “opponents.”
    Zelensky singled out Hungary during a video chat with the European Council in March. “You must decide for yourself whose side you are on … Listen, Viktor, do you know what’s happening in Mariupol?” Zelensky said.
    The Mirotvorets project gained notoriety in 2015, when writer and historian Oles Buzina and politician Oleg Kalashnikov were assassinated in Ukraine after their profiles appeared on the website.
    In 2016, EU officials and journalist groups condemned Mirotvorets for leaking data on more than 4,000 media staff members and accusing them of “collaborating with terrorists” for reporting from eastern Ukraine.
    Throughout the years, the website has blacklisted several Europeans, including former German chancellor Gerhard Schroeder and German diplomat Wolfgang Ischinger.

    https://www.rt.com/news/554858-orban-blacklisted-ukraine-website/

  30. “deve ser presente de aniversário ” eu percebi o argumento : temos de nos indignar agora com coisas que são normais mas que serão anormais daqui por uns tempos. pronto , para o pormos em prática temos é de comprar uma bola de cristal , daquelas das bruxas.

  31. se for vomitado russo só tens de fazer 1/2 da digestão:
    “claro que ser putinista é ser filho da puta, logo és quem escolhes ser e sem qualquer complexo”.
    O senhor ou senhora não dá a cara porque de honradez não tem nenhuma. Acaso ofendi alguém com o meu ponto de vista? Não tenho respondido a certos comentários porque vejo a baixeja deles. Reti-me o mais possível.
    Mas uma vez que Valupi aceita comentários impróprios para a boa convivência entre comentadores e este que é filho de uma moeda 2$50 o quanto eu pagava há anos, do século passado, à mãe dele para ter um relação sexual no monte que era onde ela desenvolvia o seu ofício para amamentar tal ignorante que melhor seria que tivesse usado um preservativo para tão vil abjecto não vir a este mundo e conspurcar quem não conhece. Este comentário é extensivo à Olinda.
    Por agora me fico porque não estou para gastar mais cera com fracos defuntos.

  32. !ai! que riso, Manuel Pacheco, há que tempos não ouvia um patego acéfalo dizer baixeja, esse exercício que faz a língua chiar. vá, diga em alta voz e repita muitas vezes. e depois pode ir ao monte à vontade matar as saudades. como se chama o monte? e tem silvas? e caruma? e onde se limpa? e ficava com picos? e a resina, ficava com resquícios nas cuecas? e alguma vez foi visto por uma bicha cobra? e se os pinheiros falarem? !ai! que riso

  33. “Acaso ofendi alguém com o meu ponto de vista?”

    bastantes, pelo menos os familares dos mortos causados pela invasão russa que tu defendes.

    “Não tenho respondido a certos comentários porque vejo a baixeja deles.”

    não respondes, porque não há resposta possível para as reaccionarices que defendes.

    “Reti-me o mais possível.”

    até a mula russa te vir aquecer as costas, mas não abuses porque se exageras o gajo deixa-te apeado.

    “a baixeja deles” são estas pérolas estilo braguilhas armani que aqui largas com apelos à censura:

    “Mas uma vez que Valupi aceita comentários impróprios para a boa convivência entre comentadores e este que é filho de uma moeda 2$50 o quanto eu pagava há anos, do século passado, à mãe dele para ter um relação sexual no monte que era onde ela desenvolvia o seu ofício para amamentar tal ignorante que melhor seria que tivesse usado um preservativo para tão vil abjecto não vir a este mundo e conspurcar quem não conhece.”

  34. o racista exasperado por não conseguir calar os outros acusa os outros de não conseguirem calar outros.
    um clássico.
    e a olinda, coitada, esbraceja, esbraceja muito, como se fosse um coro mudo do artista racista.
    a yo pelo menos já percebeu em que redunda a miséria lógica e argumentativa que aqui passa por análise profunda de uma situação extremamente complexa

  35. Esbraceja, cola-se a tudo o que mexe, “amigo” ou “inimigo”, e exibe sem descanso a verruga que lhe entorta a alma. Pobre emplastro, desesperada por ser vista.

  36. ” análise profunda de uma situação extremamente complexa ”

    ” stop the war… and go home ” – robert habeck, ministro da economia alemão

  37. ya, meu.
    no afeganistão demoraram 20 anos a chegar a essa conclusão, não foi? a do iémen dura há 6. iraque, libia, siria, palestina, etecetera e tal. a guerra na própria ucrania, até fevereiro deste ano.
    mas é tudo tão simples. basta aplicarmos sanções aos governos dos países envolvidos e aos oligarcas que eventualmente os suportem. bora lá, ou? quê?

  38. «Sempre munidos das citações dos seus ídolos, seres superiores detentores da verdade absoluta, acusam quem não os acompanha de serem uma cambada de hipócritas que nunca se indignaram contra outras barbaridades, passadas e presentes.»

    Os comentadores putinistas que atingiram o sentimento interior de que se julgam seres superiores não passam, provavelmente, de seres em estado avançado de algoritmização; obtido um “conhecimento” através da sistemática consulta de videos, textos e resultados na net acabam por interiorizar, adquirir e pensar do mesmo modo como o algoritmo foi calculado, construído e pensado para dar respostas como resultados “matemáticos” a partir de dados subjectivos introduzidos na formação do algoritmo, já de per si, dados sobre pressupostos humanos tão falíveis que fazem que tais resultados sejam, não ciência nem conhecimento mas apenas imaginação.
    A equação de Einstein tem apenas três símbolos contudo para chegar àquele resultado simplificado quantos quadros de equações diferenciais e integrais foram necessárias elaborar para atingir um resultado científico? Ora saber o resultado de Einstein não é o mesmo que ter o seu conhecimento matemático; o conhecimento é o que que está por detrás do resultado.
    O algoritmo também tem trabalho de conhecimento, digo até, de múltiplos conhecimentos mas são trabalhados para dar resultados pré-definidos, comerciais ou políticos, erráticos e nunca científicos.
    Genericamente, no fundo, a net é mais um instrumento de propaganda do que de conhecimento; a educação net não ensina a pensar mas a dar a papa feita que pode estar envenenada.
    Quando certos comentadores, atingem o radicalismo e extremismo nos juízos de valor a ideologia algoritmizada já matou dentro de si qualquer dúvida acerca da vida ou da morte, da existência própria ou da humanidade.

  39. eu acho que o neves está a começar a sentir qualquer coisa a mexer lá no fundo da mente.
    deixa lá ver se ele vem escrever aqui que “países” (ou blocos politico-militares) é que controlam os tais algoritmos da alienação de que ele tanto se queixa. quando lhe bater, claro.
    com tempo.

  40. Manuel Pacheco, que te leva a pensar que é o Valupi que “aceita” os comentários feitos nesta caixa? Tem cuidado não vá a minha dissonância cognitiva ser contagiosa, ainda te passa a xenofobia.

  41. “Esbraceja, cola-se a tudo o que mexe, “amigo” ou “inimigo”, e exibe sem descanso a verruga que lhe entorta a alma. Pobre emplastro, desesperada por ser vista”.
    É o que diz um imbecil, num momento raro de lucidez, olhando-se ao espelho.
    Seu nome: camacho.
    Sua profissão: mula russa.

  42. O que me leva a pensar é que é o Valupi o administrador do Aspirina B. Como tal é ele que tem o controle.
    Uma vez que é a senhora lamento que autorize comentários indecentes e provocadores como os da Olinda e desse qualquer coisa “se for vomitado russo só tens de fazer 1/2 da digestão”.
    Sabe, sempre assimilei a conduta da boa educação como fui educado. E não me venha dizer que é a liberdade de expressão!
    Senão leva-me a pensar que: diz-me com quem andas que dir-te- ei quem és.
    E não tenho a senhora nessa condição.
    Passe bem.

  43. Já tás com mádezir, ó conspiratista do algoritmo. Se não andasses distraído, poderia ter-te já ocorrido que, aquando do desmembramento da Jugoslávia e da vigarice do Kosovo, por exemplo, aqueles a quem agora ladras já pensavam pela sua cabecinha, como estão fartos de provar neste pardieiro, já não comiam na manjedoura comum, e, nessa época, Nossa Senhora do Algorítmico nem sequer tinha sido ainda canonizada! E aquando das ADM do Saddam ainda mal sabia andar! Benza-te Deus, ó abominável homenzinho das neves, meu yetezinho de aviário, debias engolir uma caixinha inteira de Memofante (ou Fósforo Ferrero, se ainda existe), pois estás a dar mau nome aos teus primos do Everéstico.

  44. “O que me leva a pensar é que é o Valupi o administrador do Aspirina B. Como tal é ele que tem o controle.”

    quando pensas com a tua própria cabeça dá merda ou melhor: sai a merda que te meteram lá dentro no centro de trabalho onde te entreténs com os camaradinhas a dizer mal de quem trabalha. achas que isto funcemina ao gosto comuna e o valupi é o camarada controleiro que te salvava daquilo que não gostas de ouvir. azarucho, mete requerimento ao akismet.

    “Uma vez que é a senhora lamento que autorize comentários indecentes e provocadores”

    indecente e provocadora é a tua conversa racista, xenófoba e fascista que manténs aqui no caixote de comentários. vai-te lamentar ao kgb e pede o bombardeamento do aspirina que anda a asfixiar residentes pró-russos que querem libertar a caixa dos nazis & drógados.

    “Sabe, sempre assimilei a conduta da boa educação como fui educado.”

    exemplo da esmerada boa educação:

    “Mas uma vez que Valupi aceita comentários impróprios para a boa convivência entre comentadores e este que é filho de uma moeda 2$50 o quanto eu pagava há anos, do século passado, à mãe dele para ter um relação sexual no monte que era onde ela desenvolvia o seu ofício para amamentar tal ignorante que melhor seria que tivesse usado um preservativo para tão vil abjecto não vir a este mundo e conspurcar quem não conhece.”

    “Uma vez que é a senhora lamento que autorize comentários indecentes e provocadores”

    pressão chantagista dum patego que frequenta sites pategos e convive com amizades pategas.

  45. Mais um que nasceu no corpo errado, à procura de namorado. Já o disse várias vezes, mas aqui vai de novo: não gosto de cu de cão.

  46. ó Manuel Pacheco, não percebo, anda sempre com a Olinda na boca. se quer ser meu amigo combata o putinismo. é fácil, é de graça e zela pela vida de milhões. pense nisso.

  47. muito bem, guida.
    agora que já esclareceste o mundo acerca de quem é que valida os comentários no aspirina, podes finalmente explicar porque é que nada fazes ou te propões fazer acerca das outras barbaridade PRESENTES e relativamente à barbaridade na ucrânia queres castigar a população portuguesa com uma recessão monstruosa.
    dá-lhe.

  48. como a guidinha não lhe pode pôr uma rolha na boca, teste – tampouco um coador no cérebro -, então, licencinha, meto-lhe eu dedais para não conseguir mexer os dedos. fica atado até quando eu quiser: para sempre. !ai! que riso

  49. “agora que já esclareceste o mundo acerca de quem é que valida os comentários no aspirina”

    teste, tu é que deves esclarecer. Onde é que escrevi tal coisa?

  50. o teste circunscreve-se no que se ouve em si mesmo, é um ovinho a exigir ao mundo a sua verdade sem sair da casca e fazer piu piu. !ai! que riso

  51. guida,

    eu é que tenho de esclarecer porque é que as barbaridades PRESENTES não te incomodam? devo ser, devo. por causa da dissonância cognitiva

  52. pronto, olinda

    conta-nos lá tudo que sabes.
    também não devem ser mais de duas ou três linhas.

  53. é a bimba e tu, duas linhas chegam para cada um e ainda sobra espaço para arrumar a ford transit.

  54. olha, chegou o racista! o homem que vale por três, só que são os três estarolas.
    quando te passarem os engulhos vê lá e consegues responder a alguma coisa sem vir embrulhada naqueles lençois de treta que desenrolas por aqui

  55. Manuel Pacheco, estás enganado. No Aspirina B, cada autor é livre para fazer o que bem entender aos comentários que recebe. Aparentemente, o único que quer controlar o que deve ou não ser publicado és tu.

  56. !ai! que riso, o putinista Manuel Pacheco quer invadir o Aspirina e depois vem dizer que eu, ucraniana, é que tenho culpa

  57. Atenção. Já está em cartaz o follow up da campanha interna de desnazificacão de Putin. Novo alvo: Suécia. Eheheh

    https://twitter.com/expatua/status/1521381553208799233?t=xeOnRpL42Y6FEL5LAPMMfA&s=19

    O Lavrov também disse que Hitler tinha sangue judeu e os judeus eram os maiores anti-semitas. O nível de inversão é risível. Para além da inquestionável e notória propaganda, a perplexidade é como é possível um povo lidar com esta pressão informativa e formativa sem desenvolver um grande grau de atrofiamento. Orwelliano.

    Agora é dar um tempinho para os “bots” se familiarizarem com o novo manual.

  58. Dona Guida não quero controlar ninguém. Entendo que quem cordena uma página seja de um blogue ou do facebook deve primar pela boa educação. Ou acha que chamar filho da puta a outra pessoa é inofensivo? Pelo que observo a senhora ficaria toda contente se eu lhe dirigisse a mesma obscenidade que me dirigiram. Repare que o actor dessa façanha depois de eu lhe responder com os mesmos impropérios não mais se intrometeu. Só tem respondido os que doi a barriga. Que é o caso da senhora. Há uns treze catorze anos que acompanho o Aspirina B e nunca vi tamanha falta de educação. O Aspirina B, ou seja, as páginas da Dona Guida está a ficar uma baiuca.
    Mesmo assim, passe bem.

  59. “claro que ser putinista é ser filho da puta, logo és quem escolhes ser e sem qualquer complexo”.

    enfiaste o barrete e agora recusas aquilo que declaraste ser, mas não é isso que interessa ou que te chateia, o que te faz doer a barriga, expressão tua, ou provoca azia é a merda russa que comes e lambes até ao fim, deixando limpinho o prato da propaganda que te servem lá prós lados do hotel vitória.
    moral da história: apoias uma guerra indefensável que está a matar milhares de inocentes decretada por um ditador nazi e ai… estou sugerir que és um filho da puta. se calhar tens razão, como é que não me apercebi disso e avaliando as respostas reaccionárias, xenófobas, racistas e opiniões fascistas, diria mais: filho dum comboio de putas.
    na próxima desejo-te um míssil de foices e martelos nos cornos. agora vai lá fazer queixa ao controleiro do partido camarada putin que foste ameaçado de morte e insultado, mostra o comentário para os gajos averbarem na caderneta do militante e habilitares-te ao sorteio da gaivota da ermelinda duarte.

  60. “Dona Guida não quero controlar ninguém.”

    que ideia, tás farto de pedir censura para aquilo que não te agrada como forma de resolveres as alhadas em que te metes.

    “Mesmo assim, passe bem.”

    foda-se… até pareces dono desta merda toda. o ricardo salgado era bem mais educado que tu e pagava para lhe fazerem o trabalho. deves ser comunista do ramo monárquico, daqueles que têm o rei na barriga.

  61. afinal não.só mais lençois de treta.
    pelo menos admitiu que “o ricardo salgado era bem mais educado que tu e pagava para lhe fazerem o trabalho”
    é um covicto adepto do putismo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.