Isto de ser eterno e omnipotente já não é como antigamente

goddead.jpg

Ahura Mazda — R.I.P.? Ao que parece, o conhecido mantra das entidades religiosas sobre o seu próprio porvir — «já cá andamos há dois mil anos, preparem-se para nos aturar por muito mais tempo» — é capaz de não dar assim tantas garantias. O Zoroastrismo, religião milenar que já contou com milhões de seguidores, encontra-se à beira da extinção . Mais interessante ainda é que parece ter sido o sucesso individual dos crentes, e as suas qualidades humanas, a ditar o fim desta religião.
Pode ser que a coisa se pegue às restantes pragas que têm assolado a Humanidade desde a sua mais tenra infância. Sonhar não custa. Haverá coisa melhor de imaginar do que um mundo livre de religiões organizadas?

3 thoughts on “Isto de ser eterno e omnipotente já não é como antigamente”

  1. Talvez só mesmo um mundo sem partidos políticos, organizados, desorganizados ou por organizar!…

    Saudações! Este “berloque” é um gozo! Mas sério!
    Jorge G

  2. Talvez só mesmo um mundo sem partidos; organizados, desorganizados, ou em vias de organização (ou desorganização).

    Este “berloque” é um gozo…mas SÉRIO!

    Jorge G

  3. Há uns dias vi a reportagem de um pescador que passou vários anos em alto mar; citando-o: “Um homem quando entra num barco, fica religioso num instante!”

    Quem tem cu tem medo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.