RAJOY GANHOU

A direita espanhola ganhou as eleções. A direita mais à direita de Europa ganhou. As direitas mais unidas num só partido na Europa ganhou. Na sua concava funda há liberais, meio laicos, fascistas, ultracatólicos, apolíticos, abades, padres, religiosas, pensamento capitalista ultraliberal e de controlo social e mesquinhos na defessa dos direitos sociais. Também há muitas misas, visitas de papa, opus deises. Outros porque sim ou porque ouvem ruxir a prata, e outros ja eles muito acomodados que vehem de avos acomodados que sempre viviram num “Ramalhete” e de seu devem ficar aquí, etc. etc. Tuda esta mistura vota sempre com uma fidelidade à ressaltar. Aliás à sua victoria não depende de se mesma senão da abstenção. É bom recordarmos que o PP só atingiu quase que os mesmos votos que há quatro anos e desta vez tem maioria absoluta no parlamento.

Perderam os outros. Eles são, não só o partido socialista, partidos pequenos, incluidos os nazonalistas de Euskadi, catalunya e Galiza, e os que se abstiveram. São votos espalhados por todas estas beirraruas. Alguns, a maioria distes votos espalhados ou abstencionistas, são esa parte diferente na que ficam os que querem cambiar o mundo, os que não sabem o que fazer co mundo, os que querem a revolução, os que não sabem o que querem, os que de momento não gostam de que governa a direita, os aintisistemas, os ateus, os ateus militants, os religiosos povres; os que acham que ha diferenzas sociais e formas de resolve-las, que acham que redistribução da riqueza e os impostos progressivos assim como manter um estado de benestar social fão uma melhor sociedade. Os que prefirem uma sanidade e uma educação pública.

A maioria social não é do PP mas esta direita entendeu perfeitamente o que é a democracia na que estamos. Sacralizar o formal da democracia, o importante é votar e ganhar, que por demtro ja arranjaremos nós. Deixa que todo mude para que tudo seja igual. Se esto não funcionar ja procuraremos outra coisa melhor, a hestoria está ahí. A direita só tem um saco onde meter, e tratasse de prometer até meter e uma vez metido olvidar o prometido.

Seja como for, a direita como se tinha previsto nos inquéritos ganhou amplamente. Esta ceifeira, da crise económica, não vai deixar em pé a ninguem, e acho que a estes tampouco. A coisa não tem arranjo fácil.

A direita chegou o pote. Isse foi o objectivo em quatro anos. Zapatero foi o alvo noite e dia no que se concentraram os murros da caterva de carpideiras viuvas à mentirem e a deixar pegada no imaginario popular que isto era muito simples e à causa era que Espanha tinha um presidente tolo, um desequilibrado, um frívolo e pouco preparado, um ranhoso esquerdista no poder. Se ele cair tudo trocaria em progreso, trabalho, e voltariamos os tempos antergos de quando governou a direita, isso sim sem recordar a Aznar porque perderiam votos.

Há cinco milhoes de parados. Há muita gente sem horizonte laboral e social. Tudos sofremos esta inquietação de futuro e presente feita realidade nos nossos filhos na idade moza e que tenhem o futuro lastrado e chato. Essa é a realidade mais lá da pequena política. Mas numca a política foi tão real, tão de carne e oso. Essa que da que falam os jornais e que se toca na rua e na vida. Comenzam a falar da divida e os juros e rematam com as subidas de impostos e baixa dos salarios. As gentes com boa fé querem procurar outra oportunidade, e acham que a direita com os seus assentados e as suas políticas de controlo do deficit, de aumento do trabalho e baixa dos salarios será quem dar enfiamento este sarilho. Não os culpo, mas estão errados, completamente, rematarão atiramdo-se do cabelo, seguro. A direita só quer ganhar primeiro e depois o melhor reparte. As ovelhas sem pastor e os lobos arredor.

Mas no outro lado, na esquerda percebe-se esgotamento, um deixar cair as maus e um deixa-lá que venha o que quisser. A esquerda não da ilussões, porque está desnortada, desanimada e desorientada. A esquerda do partido socialista fez o que puido. Sempre sem tempo a comtrareloxio, sem liberdade de ação, num desespero em luta comtra os mercados as prima de risco etc. Mas ninguem se cura desta peste. Italia caiu e treme e não era a esquerda a que ficava no poleiro, a França quer trocar o liderazgo de Sarkozy, o Cameron anda no balamço do descontento, a Merkel tampouco tem tudo o vento a favor. Zapatero lutou como puido por não passar a hestoria como o presidente o que iam fazer o resgate. Até que se reforme a União, o BCE sustenha as dividas das nações, haja uma política econòmica comúm e os paises do sur paguemos amte a luterana Merkel os pecados cometidos pelo pouco rigor dos nossos polìticos, teremos que sofrir. Eis a esperança.

A forza mediática da direita em Espanha e muito grande. Há toda uma trupe de meios e televisões a crear opinião e berrando tudos comtra o mesmo lugar. Assim é dificil dar mensagem craro a cidadanía do que e o porque se faz, qual é o obxectivo final. A direita chea de corrupção nos tribunais, utilizou de tudo tanto de maneira arteira o tema de ETA e o terrorismo, os nacionalismos e como não contou com o apoio da Santa Nai e a visita do Papa e ataques comtra um governo que combatia a moral. Quando os inquéirtos ainda na campaha deram ventos muitos favoraveis, deixaram-se a um lado todos os métodos e armadilhas para deixar que decoresse morno o ambente e chegarem em tipoia o poder. Numca ninguem teve um campanha tão fácil. Rajoy, que meresce comentario aparte, no papel de cardeal bondadoso, Rubalcaba desejando o remate e dizindo emtre linhas que ele não só ia ganhar senão também que não queria ganhar. O Senhor Rajoy que en ningum momento apoiou o governo ainda em situações bem duras, andou e anda a dizer que isto não é coisa só dum governo, que isto vai ser muito duro, que não dependemos de nós sós. Quem tem ouviu e qeum te ouve caro amigo. O importante e chegar oo pote , que mais dá o como.

O gram problema é como saimos desta situação. Os que andiveram a dizer comtra o partido socialista que o que fizera era proprio dum partido da direita mais capitaista do mundo, não vão ter palavras para descrever o que vão ver. Zapatero até de agora não tocou á sanidade, o ensino público, as despesss para a lei da dependencia, as reformas, o usbisidio do paro. Em vinte días o novo governo vai rachar tudo a machadaços. Os direitos sociais, os trabalhadores, as camadas mais desfavorecidas vão ter um baixa consideravel. As grandes fortunas, os bancos, as clases mais favorecidas vão incrementar a sua situação de privilegio atual. A diferença de clases aumentara às craras, as clases meias, ficaram na metade do que agora são. Pelo menos o primero ano, tendo em conta o argumentario económico diste governo, as gentes que defende, o vento que sopra de Europa, a falha de políticas Keynesianas de economía expansiva, a falha de controlo centralizado europeio da divida, e a teima matranqueira de Alemnha de olhar para si mesmo, vai ser fame para hoje e fame para amanhã.

A hestoria voltara a ponher no seu sitio a Zapatero, agora mesmo para alguns como o pior presidente da hestoria de Espanha, como o malfeitor escuro e malandro cheio de tudos os males do averno, filho de lucifer. Ficamos na era do marketing, da propaganda de Beneton e a gente fica tranquila a olhar para o ceu á recever uma frase que diga tudo o que há que dizer. A direita disse que tinhamos um cancro, e tirando o cancro, ficava tudo resolvido. Embora ja no remate da campanha, alguns altofalantes ja incluso lhe perdoava a vida, pois tampouco fora tão malo. A gentinha quer chegar o poder e alí tudo é mais doce. Teve muitos erros, aliás os mesmos que teve toda a gobernanza europeia, aliás ele tinha e tem cinco milhoes de parados, o vinte por cemto da população activa. E o pior dise vinto por cemto o cinquenta e cinco são jovens de menos de trinta anos.

E desta situação a Galiza está nas piores. Isto ia para arriva e vai ficar feito uma eira, um deserto. Iste pais esmorece para muitos anos e a direita cresce tanto quanto enfraquecemos.

Oferta do nosso amigo reis

21 thoughts on “RAJOY GANHOU”

  1. Já tenho mais fé, já sei o nome do Capel espanhol.

    Os tempos estão a mudar, se fosse uns anos atraz, aquele golo era fora de jogo.

    Sou verde mas não sou melância.

  2. A esquerda ficou em casa. Crise, desemprego, campanhas de assassinato de carácter contra Zapatero na comunicação social. Igual a cá.

    Depois de fazer oposição bota-abaixista e assanhada, a primeira coisa de que Rajoy se lembrou foi pedir unidade. Igual a cá.

    É a união ibérica do descaramento.

  3. Claro que errou, mas não esquecer que o erro da bolha imobiliária é da responsabilidade do Azno (perdão, Aznar)…

    Entretanto, após a eleição do Rajoy, as taxas de juro da dívida espanhola dispararam…onde é que eu já vi este filme?

    ó reis, mas que azar,ainda por cima o homem é galego – desnaturado, aposto.

  4. edie, a culpa pode ter sido do outro, mas a verdade é que zapatero nao mexeu uma palha para resolver esse problema. Acho muito estranho só terem acordado para isso em 2008.

  5. Joaquim Rato,

    é fácil errar num contexto agreste como o que tiveram de enfrentar Sócrates e Zapatero (parece um espelho do que nos calhou, aquilo que o reis diz). Se o argumento utilizado pelas oposições é o de que o governo errou, acertam sempre, porque não há governante que não erre. Foi nesse sentido que comparei com O ERRO fatal do PP que empurrou a Espanha para um buraco erfeitamente previsível.

    Assim como por cá O ERRO crasso não coube a Sócrates – estava feito muito antes e com grande responsabilidade do nosso actual PR.

    Crer que um governante, por ser socialista, não erra, é que é uma perfeita cabotinice.

    “Teve muitos erros, aliás os mesmos que teve toda a gobernanza europeia, aliás ele tinha e tem cinco milhoes de parados, o vinte por cemto da população activa. E o pior dise vinto por cemto o cinquenta e cinco são jovens de menos de trinta anos.” (reis)

  6. Valupi, obrigado.

    mdsol :))) bicos para ti
    edie. Estás sempre no certo e bem informada. É desnaturado. não é para que o pais, Galiza, esteja orgulhosa, e não porque seja do PP, por como é acho que ninguém o tería como modelo.
    Por onde vai não mancha mas tampouco limpa. Pasa. É morno,não tem sangue, nem inquietude.É um mediano gestor mas em ningum caso um líder, com ideias , com ganhas, brando e pusilânime. É um aburrado e um triste. Á maioria dos galegos não somos assim,mas recorda-se pelo pensamento castelhano a sua condição de galego para dizer que é dubidativo, que não se sabe se sube ou baixa etc. Tópicos que os castelhanos inventaram para todos os outros que não são eles, por certo sempre negativos.
    O melhor hoje é como tem que ser um governante.

    Álem diso desejo que seja bom governante, melhor para todos.

  7. Pois é mesmo isso: hoje um governante não pode ser um líder: isso vai contra quem e o que de facto nos governa.

    (P.S: O que quer dizer bicos em galego, reis?)

  8. Beijinhos.
    Gostamos mais de dizer bicos que beijinhos. Embora, para não cometer herejia linguistica fui o Priberam e tambem lá fica para o português.
    Ainda que vi agora que há algum outro significado no português que se pode interpretar mal. !Eu não sabía.!
    Bicos para tudos e especiais para ti.

    RAJOY E PORTUGAL.
    http://www.youtube.com/watch?v=D5xhZyhVjJs
    Conhece muito bem portugal por ir a comprar toalhas a Valença e caminha. REcordou que é galego o estar em Portugal o final os rìos vão dar o mar.

  9. Sapop Cocas,não abandalha home não. Uma coisa são os diccionarios e outra os diccionarios da rua. E sim há alguma coisinha de sexo, sempre há outro diccionario. Se vai a america onde se fala espanhol é bom perguntar primeiro porque podem malhar a um ou que se namorem de um.
    Podias-me esclarecer um pouco talvez. ?

    Coisas que passam.

  10. Um bico, em calão, é sexo oral, Reis. Mas “fazer um bico” também pode querer dizer fazer um trabalho extra para ganhar umas lecas (dinheiro). Em certos casos os dois sentidos sobrepõem-se…

  11. Está bem, Sapo Cocas.

    Onde disse bico seja dito beijo.

    Isto passa-me por ser eu tão carinhoso, O Rajoy isto não lhe passaria.

  12. O Sapateiro pode não ter mexido uma palha. O Marianito agora vai comê-la toda (e deixar a Espanha ainda mais enterrada). Quando os espanhóis derem pela diferença, será demasiado tarde. Mas só terão de se queixar de si próprios. Como os tugas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.