Uma Cruz no Presépio

(A Eduardo Nery)
Nota: A história de “A Cruz nas Montanhas” (1807/08) é verdadeira.
* * *

friedrich-a_cruz_nas_montanhas_o_altar_de_tetschen1.jpg

Não era habitual um católico visitar a oficina de pintura de Caspar Friedrich. Mas o padre Olaf Berger era seu amigo de infância. Deteve-se longamente a observar um quadro com moldura de talha dourada à maneira de altar. Uma rocha nua, sem sinais de vegetação, subia em cone, rodeada por abetos, sob um céu de nuvens cor de fogo. No cimo, entre os dois penedos mais altos, uma cruz culminava a paisagem. Uns feixes de luz solar apontavam ao alto como faróis entre nevoeiro, fazendo um deles realçar a imagem de Cristo no crucifixo. E uma hera, mais improvável que os abetos, abraçava até metade a longa haste da cruz. Não havia perspectiva. Apesar disso, a conjunto fascinava. O oiro do baixo-relevo, com anjos e alegorias sobre Jesus e a Trindade, formava contraste com a austeridade das cores e do desenho. O trabalho de talha fora de Gottlieb Kühn, amigo de Friedrich, que o concebera.
Quando o padre Berger acabou a contemplação, perguntou: “Isto é um nascer ou um pôr-do-Sol?”
O pintor pareceu pensar como se não soubesse a resposta. Disse: “Se estiveres cheio de esperança, é manhã. Sem alento, é o ocaso.”
A obra fora criada para oferecer a Gustavo Adolfo, rei da Suécia. Cristo, no alto das montanhas, como Senhor do Mundo e da vida, estava ali em sinal de esperança universal. A redenção que começara com o Seu nascimento. O cenário da cruz era, pois, uma espécie de presépio de Belém. Mas, ainda antes de o quadro estar completo, Gustavo IV, enlouquecido, fora deposto. Caspar Friedrich permanecia como um dos seus raros admiradores, mas já não poderia oferecer-lhe a pintura. E aquele nascer do Sol original transformou-se num crepúsculo da tarde.


O padre Berger fora a casa de Friedrich para fazer uma encomenda mais insólita do que a hera na cruz. Queria que ele pintasse uma Imaculada para a sacristia da sua igreja, onde ficaria ao lado de uma imagem de São José. Por mais que lhe custasse desagradar ao amigo, Friedrich negou. O seu rigor luterano não lhe permitia pintar a Virgem. Em vão tentou o padre Berger demovê-lo da convicção, lembrando-lhe que se tratava da mãe do Cristo daquele quadro. No entanto este, vendido aos nobres Tetschen, iria acabar no seu castelo ao lado da gravura de uma “Madonna” de Rafael.
Uns meses mais tarde, Friedrich encontrou o amigo e perguntou-lhe se conseguira a Imaculada. O padre Berger disse que não. “Então, eu pintarei uma. Mas tê-la-ás já com moldura onde ficará gravado o título, que há-de ser o que eu quiser.”
Por esses dias, Friedrich, num dos seus passeios pelo campo, de regresso a casa, ao anoitecer, vira uma jovem, adolescente ainda, passar em frente de uma janela. Levava na mão direita uma vela, à altura do ventre, que começava a crescer-lhe logo abaixo do peito, numa curva suave, em parábola perfeita. Com a esquerda protegia com muito cuidado a chama da deslocação do ar. A luz reflectia-se da mão protectora para a barriga da jovem, deixando o colo na sombra, e voltando a brilhar-lhe no rosto, magnificamente belo.
Foi essa visão que pintou, ainda antes do Natal. Na moldura, o título: “Advento”.

13 thoughts on “Uma Cruz no Presépio”

  1. faço a festa (publico) e lanço o primeiro foguete. gostei da história, daniel, e agradeço que a tenha contado. ainda para mais o caspar david friedrich é um dos meus vários amores.

  2. Susana
    Se gostas do Friedrich, de certeza que tão-pouco dispensas Turner.
    Gabriel
    Magnífico! Se quer conhecer algo mais dele, procure no Google. Não está lá muito, mas é razoável. Embora o ideal seja adquirir um livro. Por exemplo da Taschen. (Não tenho comissão…)
    Z
    Talvez no dia 25, às 00h00..
    Valupi
    O valor destes presentes depende sobretudo de quem os recebe.

  3. Gosto das maneiras que encontra para nos oferecer uma bela história e de nos aguçar o interesse por coisas importantes, que desconhecemos ou que estamos a precisar de recordar.
    Resultado: uma visita aos pintores românticos que continuam vivos e a deslumbrar.
    Obrigada!

  4. T a Queimado Essa Pintura Isso Sim…. Pintura Demoniaca!!!! Como Dis Na Biblia Lobo Na Pele De Cordeiro Presta Atencao Gente , No Meio De Tanta Beleza , Oque Encontramos Um Simbolo Satanico A Piramide Com O Olho No Meio O Olho Que Tudo Vem So Da Uma Olhada!!! Simbolo Da Nova Hera… Assim Que Virar Os 3 Demoniacos a Besta o Falso Profeta, Eo AntiCristo….. Fazeram Muitos Milagres Enganado A Todos Se Dizendo O Bonzinho…. e Muitos Acreditaram ESerao Lacados No Hades[Inferno]. Junto Com Satanas.
    eis que ele vem Sem Demora!!! Vigiais Pois O Fim Esta Proximo!….
    Entao Nao Poderar Negar A Deus Falando Mas Senho Nao Conheci Tua Palavra!!!!
    Ele Dira Apartaivos De Min Malditos.

  5. Boa noite, pessoa!
    Estava fazendo uma análise de uma obra de Fridrich e, fuçando o Google de cá pra lá e de lá pra cá, caí aqui. Achei fantástica a história e fiquei curiosa quanto à fonte da qual você a retirou. E também sobre a obra “Advento”, que desconheço. Se puder me passar essas informações, ficaria grata!
    Uma boa noite e a Paz d’Aquele que é Senhor meu (e creio que seu), bem como de Friedrich!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.