Objectivos de vendas

Já ninguém se lembra que também chumbou o PEC IV, sendo tão responsável como os outros. Anda numa passeata entre os pingos da chuva, e parece o cupido a espalhar amor, respeito e “sentido de responsabilidade” por todo o lado. Ontem, julguei que ia levantar-se e dar um valente abraço, quiçá um beijinho, ao velho comunista. Sabe que após as eleições vai ser cortejado, que todos o querem, que ninguém o vai atacar muito, e todos o elogiam. Ah, o “estadista”.

Por isso, só para ser mauzinho, deixo aqui a pergunta. Tendo em conta que beneficia de uma oportunidade única na história do partido, com o PSD em Hara-Kiri acelerado e o PS a deixá-lo em paz, qual é o resultado mínimo para que estas eleições não sejam consideradas uma oportunidade histórica falhada? 20%?

15 thoughts on “Objectivos de vendas”

  1. ainda bem que chumbou o pec iv com resultados. evitou que houvesse o v. e vi. e vii . e por aí fora de mijinhas socrátinas conjunturais de 15 em 15 dias. a troika diise , e bem , que o problema é estrutural….de gente que diz que há amanhã que cantam se os deixarem usar o cartão de crédito dos nossos tetrafilhos. e nem perguntam aos tetrafilhos se alinham , caramba, coisa mais anti democrática não vi.

  2. para os eleitores verem o “estadista” necessitariam de periscópios. já vai bem convidado se na “batalha naval” se acomodar com uns 10 ou 11% …

  3. Muito bem observado, Vega. E tanto me incomoda o seu cálculo saltitado entre os pingos da chuva, a dar-se ares de ser impermeável a impertinências plebeias que perturbam o estado sentido, como quem discretamente o vai poupando a travessias, para que não encolha com a chuvada que também o deveria empapar e, pelo contrário, inche um bocado com os salpicos da contenda.

    :)))

  4. O que é facto é que o Passas Coelho já inventou o ministério para o Paulinho.
    Ministério da Agricultura, do Mar e do Território é mesmo à sua medida. Encaixa-lhe que nem um boné de marinheiro. Aquilo é que ia ser as fotocopiadoras a trabalharem dia e noite.

    E o Passas Coelho tem que pedir com jeitinho para o CDS se disponibilizar a participar no governo, não vá levar algum coice de traseira.

    Ó Vega, essa foto logo na entrada do blogue não afastará muitos leitores? Não seria preferível, sei lá… um pôr-do-sol marítimo com, por exemplo, dois submarinos em passeata. A Ovibeja não tem por lá camelos em exposição? Olha que o post também não ficava mal retratado

  5. Caro Vega9000: o resultado mínimo não é absoluto, mas relativo. Num primeiro patamar, um resultado que permita ao PP conseguir a maioria com o PSD; num segundo patamar, um resultado que permita ao PP conseguir a maioria com o PS. Se não conseguir qualquer um desses resultados relativos, aí sim, será fiasco. E, se queres que te diga, um governo PS+PP parece-me ser não apenas algo de viável, mas até de recomendável para o país.

  6. E NÃO É QUE O HOMEM JÁ ALTEROU SIBILINARMENTE O DISCURSO PARA AS DUAS EVENTUALIDADES, COMO DIZ O JOÃO PEDRO DA COSTA. DUMA COISA TODOS PODEMOS ESTAR CERTOS. ESTE “ESTADISTA” VAI FAZER PARTE DO PRÓXIMO GOVERNO.

  7. João Pedro da Costa, não concordo muito, na medida em que nesse caso um resultado positivo poderia ser um PS com 39% (que é o que acho que vai acontecer) e um CDS com uns meros 6 ou 7, abaixo dos últimos resultados. Iam para o governo à mesma, mas mais fragilizados e com sabor a derrota. Nestas eleições, têm obrigação de subir, e muito. O homem já se apresenta como “candidato a primeiro-ministro”, pelo que a fasquia foi ele que a subiu. A questão é onde está.

  8. tra.quinas, os leitores deste blog levam frequentemente com demonstrações da mais pura hipocrisia por parte do PR. Não me parece que seja uma foto do Portas que os assuste ;)

  9. Repara que o teu “não acho que vai acontecer” enquadra muito bem a minha concepção de resultados relativos. Eu acho que uma maioria no parlamento entre dois partidos (PS+PP ou PSD+PP) vai depender muito mais da votação do PP do que da votação dos dois outros partidos. Qualquer coisa entre os 10 e os 12% deverão ser mais do que suficientes.

    Isto já para não falar na grande confusão da distribuição de mandatos. Tens acompanhado o Margens de Erro?

  10. Tenho, muito interessante. O Pedro Magalhães faz uma excelente tentativa de seguir a escola do 538, o que pode dar uma valiosa contribuição para o debate público. Mas tendo em vista que o PSD cai uns 9% em um mês, antes da campanha sequer começar, acho que a situação é demasiado fluída para as análises ponderadas que por lá se fazem. Isto não é uma eleição normal. O Sócrates está em magnífica forma, até faz impressão.

  11. Com um bocadinho de sorte para o País, o Paulinho e o Coelhinho conseguem juntos uma maioria para formar Governo.
    Ao menos, partirão de uma certeza: o deficit sempre é de 9,1%, nunca menos. A partir daí… se calhar até vão asneirar, mas talvez não martelem as contas.

  12. Se calhar vão asneirar, mas ao menos não martelam as contas? João Afonso Machado, mais uns argumentos desse calibre e ainda voto na direita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.