Não estávamos em crise?

Passos Coelho acabou de anunciar que o estado pode bem passar sem metade da receita do IVA no Natal, e as empresas, que pagam IRC, podem passar sem metade das vendas. Foi isso, não foi?

15 thoughts on “Não estávamos em crise?”

  1. hehehe, exactamente o que pensei, dada a elevada percentagem anual de negócio no comércio que corresponde ao período de natal…

  2. Se Passos Coelho adiantou que “a intenção é que o peso desta medida fiscal temporária seja equivalente a 50 por cento do subsídio de Natal acima do salário mínimo nacional” e “apenas vigorará no ano de 2011″, ou se precipitaram ou estão mal assessorados. Como tributar quando há rendimentos de outra categoria além do Trabalho e/ou Pensões ou quando os rendimentos englobados não compreendam rendimentos do Trabalho e/ou Pensões. Vão anualizar rendimentos de Mais-Valias??????
    Mais, todos os demais rendimentos de 2011 só serão objecto de englobamento em 2012 a não ser que a base de tributação seja a declaração de 2010 entregue no corrente ano. Ora, neste caso, afiguras-se ser de constitucionalidade duvidosa.

  3. Passos no Natal passado já deu o exemplo não oferecendo prendas às filhas. Quem sabe não é este um dos feriados que tem os dias contados…

  4. Eu sei de um aldrabão que dizia que tínhamos um superavit de 800 milhões, e agora temos um buraco de 3000 milhões. O mesmo que prometia um défice de 4.6% e agora o deixa em 8.7%. Vai queixar-te a ele. Ouvi dizer que tem livro de reclamações para xuxas frustrados.

  5. observador d., estás a esquecer que podem fazer, na maioria dos casos, retenção na fonte no momento do pagamento. ainda este ano, portanto.

  6. “Eu sei de um aldrabão que dizia que tínhamos um superavit de 800 milhões”

    Pois eu cá sei dum aldrabão, vigarista, que disse na campanha eleitoral quando lhe perguntaram se iam retirar parte do 13º. mês responder que isso eram disparates do Sócrates. Eu sei dum aldrabão, vigarista, que chumbou o PECIV porque não admitia mais impostos e sacrifícios para os portugueses. Eu sei dum aldrabão, vigarista, que dizia passar a viajar em económica (só na Europa, claro) para poupar quando a Tap não cobra passagens ao governo. Eu sei dum aldrabão, vigarista, que dizia que só iriam ser 25 secretários de estado e depois contratou 35. Eu sei dum aldrabão, vigarista, que dizia que a primeira coisa a fazer seria cortar nas gorduras do Estado e a primeira medida que tomou foi cortar nos já magros salários dos portugueses. E sei muito mais coisas dos aldrabões, vigaristas do PPD/CDS, como os do BPN, os dos submarinos, os dos sobreiros e de tantas tantas aldrabices e vigarices que não dá para contar aqui. E só os ceguinhos, aleijadinhos da cabeça não vêm isso. O Sócrates já “morreu” mas continuam a assobiar para o lado como se nada fôsse. Já o Sócrates, grande homem, é o responsável pela crise grega, irlandesa, italiana, belga, inglesa, egipcia, líbia, tunisina, enfim parece que há uma crise mundial de que o português Sócrates é o culpado.

  7. fogo, fogo, se sabes tanto de aldrabões denuncia-os á polícia pá, olha, atão o grande homem já é filósofo? agora com as evoluções electrónicas, pá, o homem se calhar já tá formado, pá.

  8. Cuidado “Eusei de um aldrabao…”! O Manteigas armado em Marlon Brando, pensa que es a Rommy Shneider do “Ultimo Tango em Paris”, E isto com manteiga, nunca se sabe!

  9. eheheh, fogo cada escorregadela, e quer levar o pessoal atrás, ó pá monta-te no pãozinho e espera pela trinca, ora, ora. já pareces o outro com o «ai éve a drime».

  10. Quem não vai ter nenhuma prenda de Natal vai ser o Governo. O Pai Natal é um gajo fodido. Meteram-se com ele, vão levar um coice de alguma rena. Este (des)governo pode já dizer como o Durão Barroso: sabe que vai caír. Só ainda não sabe é quando.

  11. Pois é Vega, os grandes cientistas que andam por lá no governo se calhar ainda não perceberam que quem compra aos grandes merceeiros e às PME’s não são os srs. que não vão pagar nada do grande imposto revolucionário, mas os pobretanas e médio-pobretanas que vão ver desaparecer as prendas do sapatinho, a bacalhauzada e outros que tais, pois os que ganham cinco mil euros e mais, vão continuar a ter Natal, pois as contas estão a abarrotar e as lojas de luxo que vendem produtos importados não terão mãos a medir. As importações vão continuar, as receitas do IVA vão baixar mas que se lixe, pois já lixamos outra vez a arraia miúda, como de costume.
    Bravo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.