Como limpar a política com uma assinatura

Mais vale confessar já as minhas intenções: eu ando nisto de comentar política na esperança de entrar no sistema, ganhar muito dinheiro, abocanhar fundos públicos para mim e para os meus, promover familiares e amigos, traficar influências, ajustar directamente a quem me oferecer mais, e no geral amealhar um bom pé-de-meia que me permita, na reforma (pelo menos três, de preferência, e antes dos 50), viver uma vida confortável à vossa custa. É por isso que tenho de apresentar o meu mais veemente protesto pelo novo código de ética proposto pelo Secretário-geral do PS. Se me obriga a assinar tal documento, todos estes planos meticulosamente pensados vão imediatamente por água abaixo. Porque posso ser um trafulha corrupto, mas levo os meus compromissos de honra muito a sério.

5 thoughts on “Como limpar a política com uma assinatura”

  1. Ah, ah! Depois institui a confissão, ou, para não parecer muito religioso, sessões de auto-crítica em plenário, para os militantes poderem lavar os pecados, perdão, as violações do código.

  2. Outro “transparente”?? Cada vez mais semelhante ao Passos no discurso. Esta gente não devia ser assim tão transparente, porque deixam vislumbrar o enorme vazio lá dentro…

  3. e para ninguém pensar que a medida é apenas mais um monte de palha debitada por seguro, aquilo tem de ser assinado com o próprio sangue e com a outra mão sobre uma fotografia do socras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.