Viva a gente séria!

Não consta em nenhum órgão de comunicação social que o PSD e o CDS estejam a entregar Portugal aos chineses, a apagar a memória da República e da Monarquia em simultâneo, a deixar a bandidagem à solta, a esmagarem iniquamente os pobres e a classe média com impostos e taxas, a mentirem descarada e funambulamente na praça pública.

São estas as grandes, enormes, fabulosas vantagens de termos a gente séria tranquilamente instalada no poder.

15 thoughts on “Viva a gente séria!”

  1. não vês porque está tapado com a sombra da tua burrice mas em breve far-se-á luz com electricidade mais balata. entrementes o gerómino vai a ceo e o mexia quiçá capataz da comissão de trabalhadores da edp. a história repete-se, mas desta vez nós fazemos o papel de macau.

  2. Ó Val, não estou a perceber…
    Então o meu amigo tinha a electricidade portuguesa e ia comprar lâmpadas ao chinês, agora que vai ter a electricidade directamente do chinês, e está a refilar?

  3. o único vendedor de ilusões sério que eu conheço é o pai natal. simplesmente porque é o único a sujeitar-se, durante um ano inteiro, a deixar as barbas em águas de bacalhau para as fazerem cumprir-se no final. :-)

  4. Finalmente Portugal a uma só voz! Custou, mas ao fim de tres decadas de luta, cumpriu-se Salazar. Parabens à Direita e seus prestimosos acólitos de esquerda.

  5. Pois é, o Gomes Ferreira, quando questionado na SIC pela coisa boa da Ana Loureço sobre a legitimidade de fazer negócios com a ditadura chinesa, explicava candidamente que o dinheiro não tinha cor. Pois é, o dinheiro só tinha cor quando o outro, que me dispenso de nomear para não ferir ouvidos sensíveis, ía à Venezuela ou certos países do Norte de África. Aí sim, os direitolas rasgavam as vestes, aspergiam água benta, distribuiam santinhos e exorcizavam os pecadores. Viva a gente séria!

  6. Apetecia-me parafrasear o Eça para dizer que tudo pode ser feito a este povo bestealizado, desde que seja a Direita a colocar o cabresto.

  7. Os comentadores criticavam os negócios do Sócrates com a líbia, Venezuela e afins, o que para vocês era bom negocio. Hoje em dia esses mesmos comentadores não criticam os negócios do Passos efectuados com outros países da mesma estirpe, negócios estes que não deviam de ser feitos, segundo vocês, pois estes países não são democracias. Então quem é mais serio vocês ou os comentadores??? O que para eles era deixou de o ser e para vocês o que não era passou a ser…. portanto a vossa coerência é tanta quanto a daqueles que vocês criticam. Enfim, ambos são gente muitissssssssimo séria, contudo, de lados opostos da barricada.

  8. O comentador das 10:51 não sabe ler? Deve saber ler, mas é fã do governo dos batanetes do PPD!
    Os comentadores e políticos direitolas é que sp criticaram os negócios com a venezuela, libia e afins pq não eram democracias e eram liderados por crápulas, etc…qdo o problema deles era não serem eles a fazerem esses negócios!
    Criticar a venda da EDP aos chineses tem pouco a ver com o facto do país ter ou não pouca democracia. Tem a ver com o facto de ser uma área estratégica para o país e tem a ver com a ideia que o governo difunde de querer afastar o estado da economia, mas se for o estado chinês já não faz mal!

  9. Oh Nuno fala com o teu primo e pergunta-lhe a razão porque temos de fazer estas privatizações todas e porque razão por mais que se corte não se consegue diminuir o défice….. e a divida publica sempre a aumentar.

  10. oh zé ! as privatizações têm de ser feitas para pagar compromissos eleitorais e financiamento de um partido que estava falido e depois não há mais submarinos para comprar ou bpn para pagar as contas da mercearia. já o déficite não diminui porque senão acabava a mama e as ingerências ou ainda não reparaste que cada vez que amortizas levas com um downgrade.

  11. “não se consegue diminuir o défice….. e a divida publica sempre a aumentar”

    porque se entrou numa espiral recessiva onde mais austeridade gera mais divida que gera mais austeridade que gera mais divida…e isto já é efeito governativo destes ultimos 6 meses. E só quem não nasceu com as capacidades cognitivas de um cerebro normal é que insiste em não vêr isto mesmo a acontecer.

    Em relação aos negócios com a China, por mim até podia ser com a gronelandia e os seus pinguins. Não sabemos ainda os contornos deste negocio e o que vai implicar para o estado. Não interessa que o negócio tenha sido feito com a china ou o raio que parta. O que interessa é o facto da EDP ter interesse estratégico para o país e passar a estar totalmente na mão de privados. Sejam chineses, franceses, alemães ou o diabo a quatro.
    Não é uma “decisão sábia”, como tentou fazer passar o cavalheiro representante da 3 gargantas.Não por ter sido vendida á 3 gargantas mas porque foi simplesmente vendida.
    E quem diz a edp diz todas as outras que estão na calha para privatização total e que fazem parte de actividades estratégicas para o país.
    Que eu saiba o magalhães não faz parte dos interesses estratégicos de Portugal? Ou faz? Querer comparar o que não é comparável é de quem não percebe muito bem daquilo que está a tentar argumentar…

    Por ultimo, e ainda com o exemplo do magalhães, é por demais evidente o rasgar de vestes que houve por parte dos comentadores na comunicação social aquando a celebração dos contratos com a venezuela por Socrates. Já quando lá foi o Paulinho das feiras mais o dignissimo Coelhinho das doce ficaram todos muito caladinhos…
    O que se criticou aqui não foi a natureza do negócio ( que antes era mau porque era o Socrates a vender a um ditador e agora já é perfeitamente natural porque é o passos a vender ao mesmo ditador), mas sim o silencio presente daqueles que no passado argumentaram ser pernicioso para o país vender a ditadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.