Vinte Linhas 709

Brooklands School – Tomás e o fascínio das seis estrelas

Feliz Natal Tomás, para ti, para o Lucas, a Mamã, o Papá e avó Joan.

Obrigado pelo teu desenho com o Pai Natal muito ocupado a trabalhar com o guindaste. Sempre gostaste de guindastes. Ele leva as prendas para o armazém, esta é a época do ano com mais actividade. O Pai Natal, para ti o homem de azul no lado direito do desenho, tem que se preocupar com as prendas dos meninos de todo o Mundo a quem os pais não podem comprar as lembranças da época de Natal.

A meio do desenho, a tua árvore de Natal estilizada tem ao lado seis estrelas. Cinco são para vocês aí em casa (Tomás, Lucas, Mamã, Papá, avó Joan) e a sexta estrela é para a memória do avô Alistair. E depois há o homem da neve, com quem tu em York te deixaste fotografar feliz, no usufruto dum encontro mais que perfeito.

A tua Escola (de nome completo Brooklands Primary and Nusery School) aparece na Internet como a segunda melhor Escola de Londres e a 25ª Escola de toda a Grã Bretanha. Esse é o melhor cartão de Boas Festas que os pais dos alunos podem receber.

O Mundo à nossa volta tal como tu o percebes, registas e inscreves no desenho editado pela tua Escola de Brooklands, é um lugar onde tudo está organizado. O Pai Natal trabalha com um guindaste e arruma as caixas das prendas dos meninos de todo o Mundo que não recebem prendas dos pais.

Do outro lado do desenho, entre as casas e as árvores, entre as ruas e a neve, todos sabem que os sacrifícios são premiados, os esforços obtêm a recompensa e as dúvidas se resolvem no furor inesperado da plena alegria.

5 thoughts on “Vinte Linhas 709”

  1. Boas Festas para Tomás e para toda a Família.
    Obrigado pelo desenho que o avô partilha.
    Poeta da simplicidade, o Tomás ?!
    Jnascimento

  2. Eh pá, arranja um blog só teu para mostrares à família as proezas do Tomás. Que nos interessa a nós leitores as “merdas” que esse menino prodígio é capaz de fazer?
    Isso não é assunto para ser divulgado ao mundo. Histórias dessas há aos milhões, algumas sim, dignas de serem divulgadas e estudadas como, por exemplo, aquela história em que um pai recortou duma revista uma página onde estava um mapa mundo. Recortou a página em pedaços e deu-a ao filho de tenra idade para fazer o puzzle. Pensava ele que a criança não seria capaz de o fazer. No dia seguinte o menino apresentou ao pai o mapa-mundo (puzzle) completamente feito. Como conseguiste perguntou o pai, se tu, na tua idade, não conheces o mundo? Pois foi fácil disse a criança. É que do outro lado da página estava o retrato dum homem e assim ao reconstruir o homem eu acabei por reconstruir o mundo.
    Histórias destas merecem ser divulgadas agora as dos nossos netinhos é preciso muita pachorra para que os outros as leiam.
    Se não sabe fazer um blog aprenda. Ou então o Google dá-lhe o blog já feito.

  3. oh bronco da benedita! quem precisa de ir para o colégio és tu. o teu neto se conseguir entender o que escreveste vai-te chamar idiota e dizer que nem um desenho de criança entendes. foda-se! aquela do “usufruto mais que perfeito” é de trepar paredes, para não falar da pantomineirice habitual da melhor escola para o melhor neto do melhor cretino nacional. oh pá! o puto é mesmo um génio, até pôs um fecho èclair ao meio do postal por causa das misturas e onde tu vês um guindaste eu vejo uma sugestão de suicídio por enforcamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.