Vénus & Marte

Neste artigo, noticia-se um estudo acerca do ciúme onde os resultados apontam para a confirmação de uma clássica divisão entre mulheres e homens: as mulheres perdoam a infidelidade sexual, mas não a infidelidade afectiva; os homens não querem saber da infidelidade afectiva, mas são implacáveis com a infidelidade sexual.

É assim contigo?

17 thoughts on “Vénus & Marte”

  1. Não é assim connosco nem é assim com elas, pelo menos no que toca a esmagadora maioria. Voce deveria saber isso

    Portanto, and e also very therefore, os gajos que metam o memoravel “estudo” pela anilha acima. A “Science Daily” nao será mais uma dessas revistas propriedade duma companhia (Reed- Elsevier) que controla 55 por cento dos “copy rights” de todos os estudos em lingua inglesa, much money, much money, nos mais diversos campos da ciencia, medicina, lei e rebimba o malho, e nao so, deixando-nos ler de borla apenas a trampa de lavar cerebros? Not sure, but I xink show.

  2. olha, val, a infidelidade (que não interessa a cor) é uma demonstração inexorável da falta de amor próprio. explico: o custo de oportunidade serve para fazer muita coisa

    (mas não pode servir de protecção para constatarmos que não soubemos escolher – nem temos – o melhor. quando se tem o melhor é impossível baixar a fasquia). :-)

  3. já por isso tenho uma colecção de espelhos em casa. :-)

    (as confusões só existem quando não estamos naquele patamar. naquele. depois Há quem consiga dar o salto – pouquíssimos – e há quem passe a vida a descer os degraus. simples).:-)

  4. Concordo com Sinhã: “quando se tem o melhor é impossível baixar a fasquia”…:):):)

    …quando encontramos a alma destinada…estamos para lá do dualismo fidelidade/infidelidade…

  5. Detesto estereotipos e estudos gerais. eu, por exemplo, em principio não perdoaria nenhuma das duas, porque uma pode ser concretização da outra. em principio.

  6. olha que pensei bué na tua pergunta. não sei. suponho que depende das relações e do que se pretende delas. essa pergunta tem tempo , percebes? e , não , não curto que mais ninguém seja a eminência parda do meu zé , nem emocional nem sexual. se mais alguém for ? é deixá-lo ir que ali na “esquina” está um bem melhor. a rejeição é a proteção de Deus. é mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.