15 thoughts on “Vamos lá a saber”

  1. Histórico: tem currículo no lançamento da aviação civil.
    Político: combateu o regime salazarista e morreu ao serviço dessa luta.
    (Pronto, era meio destravado, não muito confiável, mas qual é o interesse histórico e político desses aspetos pessoais?)

  2. foi pai da aviação civil portuguesa e fundador da tap, acho que chega. o sá coneiro só apanhava aviões em pedras rubras e puseram aquilo em nome dele, se queriam baptizar um aeroporto poderiam ter escolhido camarate. vá lá um gajo entender a lógica dos direitolos.

  3. Tá bem entregue!
    Do aeroporto ao Campo Piqueno, a via dolorosa dos fascistas. Vivam as Forças Populares 25 de Abril! Viva o hostel Saraiva de Carvalho!

  4. Costa uma vez mais bem. Ha que inverter o domínio “cultural” da direita e isso começa 1@ simbólico não basta uma maioria de esquerda que pode ser transitória, e e mais que certo que o Toppo Gigio de Belem vai combater um futuro governo de esquerda no segundo mandato. Inevitavel. E também porque ha uma esquerda que abdicou dos seus valores em troca de lugares nas televisões e nos jornais e de uma sociabilidade desigual nas redes sociais.

    O Rui Vitória foi uma grande surpresa e eu nunca acreditei nele. Ganhou-nos a todos e reacendeu o meu benfiquisno critico adormecido pela passagem de Jesus pelo banco.

  5. O Homem sabia seleccionar os melhores.

    Humberto Delgado, Duarte Pacheco, Henrique Galvão, Henrique Tenreiro, José Hermano Saraiva, etc.

    O Homem não passava sem os melhores.

  6. Ó Reaça, o Tenreiro era bom mas era a encher os bolsos com a negociata do bacalhau, e o Saraiva notabilizou-se a mandar a polícia de choque dar porrada na malta universitária e, mais tarde, a enfiar ao pessoal “estórias” da história de Portugal.

  7. Ó fartinho,, andaram à procura das fortunas nos bancos suíços e portugueses, e ficou tudo de boca aberta e desiludidos, viviam todos dos seus ordenados.

    Ninguém se atreveu a divulgar o saldo das contas daqueles comilões.

    E o que mais admirava era precisamente o Tenreiro de que se falava que teria uma grande fortuna.

    Não havia fortuna nenhuma seu malandrote.

  8. Ó Senhor Júlio, quando o Botas mandou criar a transportadora aérea não era para andar de cú tremido pelo mundo fora.

    Era apenas para trabalho, isto é , ligar as colónias à Metrópole e vice-versa.

    Era também essa a visão do grande português Humberto Delgado.

    Agora é que em vez de trabalharem, os governantes é que passam a vida em passeios pelo mundo inteiro, uma indecência , que é uma falta de respeito pelo contribuinte.

  9. poizé, só leste a capa de raspão e ficaste convencido que o pai foi o serafim e a mãe a bulhosa. deves ter feito o liceu no passos miguel e resultado está à vista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.