15 thoughts on “Vamos lá a saber”

  1. acho que não é sentina , penso que vão por aquelas coisas que parecem a parte de baixo do chuveiro, com dois coisos para por os pés, e pronto, os que têm pila, sejam género feminino ou masculino, mijam de pé e os pipis, sejam género masculino ou feminino, mijam agachados. ver o tempo voltar para trás é interessante.

  2. ó pá, tem razão, parece que essa pia com assento para os pés é o que se chama sentina… sorry.
    quando fui ver da 1 ª vez o que era sentina, apareceu-me qualquer coisa num navio .

  3. Os socialistas não querem é ter malucas histéricas como a f. a fazer-lhes oposição. E como não sabem qual o impacto que as taradas tem nas eleições deixam-se ir na onda, mas fazem a coisa de forma a que a maioria não dê conta. No fundo é não acicatar os malucos pc que tomaram conta da comunicação social, para não perderem a teta do estado. No curto prazo é capaz de resultar, mas duvido que resulte no longo, como já se viu em muitos países.

  4. Bem …
    A mim parece-me que a direcção actual do PS desde sempre navega à vista, pois não apresenta coluna vertebral (os que a tem no PS onde andam?). Basta-lhe preservar os interesses (€€€) da malta mais próxima. Adoptará qualquer medida – ainda que vendendo a alma ao diabo – desde que isso seja necessário para manter a ligação à esquerda, designadamente ao Bloco, tendo em vista assegurar uma nova governação.

    O PC perdeu terreno, por muito que o Jerónimo se esforce.
    A incógnita está no Bloco: quanto valerá, eis a angústia do Costa? A Catarina Martins não dorme em serviço e bem morde as canelas ao Costa.

    Satisfeitos os interesses das “carreiras especiais” da função pública, como temos visto nos últimos meses, vem o Costa, em entrevista ao Expresso, dizer que os portugueses não podem ficar reféns delas e que é preciso apoiar a restante função pública, acenando-lhes com a cenoura, e lembrando-lhes que não estão esquecidos. Tal discurso tem em vista garantir para o PS mais uns milhares de votos. É bom de ver que não há dinheiro para a ralé, mas basta prometer sem concretizar até às eleições.

    Outras acções dirigidas a alvos específicos se sucederão até às eleições

    Não há dúvida que o largo do Rato está a ser assessorado por gente que não brinca em serviço. É tudo planeado cuidadosamente. Quanto custará esse serviço?

  5. A palerma da Cristas tinha aqui uma oportunidade de ouro para entrar a pés juntos ao PS. Bastaria para isso divulgar massivamente o despacho e explicar tim tim por tim tim o que este significa. Rapidamente o coveiro perdia a esperança de uma maioria. Nem para isso ela serve.

  6. ai ai … que é que tenho a ver com isso ?
    o que penso, se quer saber, é que há assuntos que devem ser tratados de forma discreta . e que há uma ignorância tremenda sobre como se comportam crianças e adolescentes, sobretudo do sexo masculino ( problemas de memória de quem decide, só pode). se acham que essas leis vão dar dignidade a alguém ou impedir gozação, vou ali e já venho. mas depressa violam os miúdos, como já tem acontecido.

  7. Não vou repetir aqui o que escrevi ontem no Serviço Público, vou apenas aconselhar mais um artigo, aos comentadores engraçados e distraídos: “O ricochete cultural e as casas de banho”, Rui Tavares, no jornal Público, de hoje.

  8. “… é que há assuntos que devem ser tratados de forma discreta .”

    i.e. mascarar-se de catarina dos nove para engatar putos no parque, cagar discursos oficiais contra os homossexuais ou montar o circo da casa pia para engavetar opositores políticos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.