Universos paralelos

Que espectáculo maravilhoso aquele que teria sido montado na comunicação social caso algo remota e vagamente parecido com o bacanal da “Lista Vip”, e o que ela trouxe à luz de assustador, tivesse acontecido num dos Governos de Sócrates. O maremoto de indignação da legião do ódio, em coro com os grupos de cantares da esquerda pura e verdadeira, duraria meses e seria uma visão homérica.

10 thoughts on “Universos paralelos”

  1. o núncio inquiriu-se e ilibou-se a si próprio, até aí tudo de acordo com a práticas da garotada que finge governar. só não se percebe como é que a vidaleira não entra por ali a dentro e apreende tudo, mesmo preventivamente que seja.

  2. Esta direita que açambarcou a governação faz de todos os “casos” um “não-caso” enquanto o diabo esfrega o ôlho. Mesmos os “casos” mais escabrosos e impensáveis numa democracia normal. E a esquerda deixa. E porquê? Primeiro, porque não tem comunicação social. Segundo, porque uma boa parte da esquerda só se ouve, a sério, quando os “casos” metem gente da esquerda (PS).

  3. É mais uma palhaçada do circo governativo. Um ausenta-se por um dia e deixa um assunto por despachar, mas cujo despacho apenas vem dar cobertura à prática implementada (a mando de quem? – mistério!); o outro chega e num dia despacha tudo, saiba ou não porque despacha, a lista que está em funcionamento afinal só dá cobertura a quatro mecos, dois com assuntos fiscais mal esclarecidos e outros dois porque sim. Um dos porque sim, propõe a inspecção que em vez de inspeccionar, relata, veremos agora se os que vão levar os processos se explicam ou se são recolocados numa qualquer prateleira dourada a vencer choruda recompensa.

  4. Vai ser assim, Tatas. Tem sido sempre assim. Com esta coligação, os infractores só aparentemente são chateados. Tudo acaba bem para os infractores, como no “não-caso” do Lima da intentona de Belém. Passada a borrasca, que a comunicação esquece com rapidez super-sónica, os homens dos “casos” são presenteados de todas as formas por não “fazerem ondas” e colaborarem exemplarmente com os chefes da “família”. O caso do Lima tornou-se paradigma para a direita que manda e desmanda neste país há mais de uma década. A direita, quando não estava no governo, estava na “indústria da calúnia” contra o PS, como nunca se vira na democracia. A direita tem tudo na mão: PR, governo, imprensa e magistrados. Costa pode vir a ser trucidado em pouco tempo. Mas também pode acontecer que os direitolas acabem por se afundar no lodaçal que criaram.

  5. “A favor dessa análise por parte da UTAO votaram o PS, o PCP e o BE. Contudo, como o PSD e o CDS têm maioria absoluta parlamentar, o requerimento foi rejeitado.

    A maioria justificou-se com o facto de a análise aos benefícios fiscais ao Novo Banco não caber na competência da UTAO, como lembrou o deputado social-democrata Carlos Silva.”

    http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/banca___financas/detalhe/maioria_impede_que_utao_apure_valor_total_dos_beneficios_fiscais_ao_novo_banco.html

  6. Valupi, já leu “A cartuxa de Parma”?
    Romance sobre política (Napoleão/Restauração), elabora brilhantemente sobre as tentativas de destruição de alguém na praça pública (neste caso, chama-se Fabrízio…)

  7. oh minha, não mistures ópera de estandal nisto. a cartuxa de évora é mais novela do grau etílico a que chegou a bubadeira justicialista da naçãozinha com o alto patrocínio vingativo de belém, os restantes aderiram por clubismo e nem se aperceberam onde se meteram. eu já vou no capítulo scala coeli e já antevejo umas pêras mancas para finalizar o assumpto, no entanto recomendo os produtos e propósitos da fundação eugénio de almeida. deixo linque para consulta, salta o vinea que é uma merda e começa pelo ea rosé que é mais fácil de entender.
    http://www.cartuxa.pt/pt/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.