Problemas na mente


Na foto, professora exibe as suas competências pedagógicas em prol da elevação do debate político e do respeito pela honorabilidade alheia.

Manuela Ferreira Leite aprovou uma campanha da JSD que chama mentiroso ao Primeiro-Ministro. Disse que era uma expressão da irreverência. E uma forma de fazer oposição. Ora, a senhora está a mentir. Por um lado, mente porque a campanha da JSD apenas pretende suavizar o discurso da líder, tentando que ela conceda abandonar o radicalismo de expressões como coveiro da Pátria ou as bem esgalhadas teses sobre a honra dos profissionais da LUSA, entre outros exemplos da verdadeira irreverência. É que esse estilo talvez seja ineficaz, suspeitam os miúdos da JSD; mas não há motivo para alarme, desde que se evite dar alguma importância às sondagens, explica o povo. A estratégia dos jotinhas passará, então, pela imitação das infantilidades favoritas dos comunas, entretanto validadas pela classe docente. Por outro lado, a senhora mente porque esta não é uma, antes a única forma do PSD fazer oposição: indo a reboque do folclore da esquerda imbecil e chafurdando na política acéfala.

Facto é que o consulado da Manela tem inovado em duas áreas decisivas, a gestão do silêncio e a protecção das propostas. Os analistas confirmam a supremacia da táctica, pois nunca antes se tinha visto esse fenómeno de um chefe partidário ser mais popular calado e sem propostas do que a comunicar e com ideias. Os laranjinhas vêm agora consagrar a originalidade, provando que podem ser tão broncos como os adultos (ou seja, estão prontos para ocuparem uns lugares no Parlamento; já a sabem toda, os maganos).

Tem razão o cada vez melhor Santos Silva. O problema mental da oposição pede malho.

24 thoughts on “Problemas na mente”

  1. Naõ acredito que ainda haja alguém com esperança “neste novo estilo” de fazer política da Sra. É mais que evidente que ela se revelou um completo flop. Conseguiu iludir alguns quando estava calada, pensando-se talvez que estava a ser ponderada e não alinhava em populismos. O problema é que quando abre a boca chega ao nível de Menezes. Aliado a isso uma capacidade política banal, não se encontra na Sra nenhuma virtude ou qualidade que nos permita justificar porque é actualmente a líder do maior partido da oposição.

  2. isso do psd está terrível, é como uma doença, todos de ressaca dos negócios,

    fiquei contente foi com isto, ao menos coloca acentos tónicos para pensar,

  3. o problema é que os Estados estão fartos de injectar ou garantizar dinheiro para os bancos, dos bancos vai de uns para outros e não sai dali, não chega às pessoas, agora veio o truque da poor para encarecer o crédito dos bancos portugueses, not even fair

    se as pessoas deixam de pagar de repente,

    olhem a cavitação

  4. O líder da JSD não se atreveu a dizer que Sócrates mentia, disse apenas que a razão de ser do cartaz era o facto de Sócrates não cumprir as suas promessas. Ora, ao Pinóquio, crescia-lhe o nariz quando mentia e não quando cumpria promessas.

  5. (poça, ia fundindo a cuca mas consegui perceber: consegue-se fazer um isomorfismo entre C e R mas não um homeomorfismo e portanto perde-se a ordenação porque a aplicação é descontínua ou a sua inversa; obrigado Machado, vou citá-lo quando isto pousar calminho no sítio.)

  6. Pela ordem de ideias da MFL, mostrar o rabo ao ministro da Educação também deve ter sido uma expressão de irreverência… Esta gente não tem emenda.

  7. Valupi, não me vou pronunciar sobre o texto porque estou enojada das políticas actuais. Seria necessário uma reforma completa, uma autêntica revolução. Esquerda, direita, tanto se me dá. Porém, achei o cartaz da s’tôra um tanto puxado para o mongolóide. Só achei piada ao Pinóquio, mais nada. Ela tem mesmo aspecto de quem nunca mente e vai todos os dias à missa.

  8. confirma-se, os bancos foram buscar as garantias do Estado para encher-se e encherem-se uns aos outros em meandros que desconheço.

    Socras vê lá pá, que eu pego no baktron e mando que expludam, com u sim, numa septicémia fiduciária.

    Depois chama-lhe negro.

  9. burroso, a gente não esquece que foste o anfitrião das Lajes que decidiu a invasão do Iraque feita com base numa mentira: as armas de destruição maciça inexistentes,

    és o principal responsável político no activo da crise financeira que aí está, porque a economia funda-se na confiança, e esta na verdade e na lealdade, o que foi não só denegado na dita cimeira como operacionalizado num embuste.

    os outros já foram,

    karma operates on you!

  10. O Santos Silva está errado, como sempre. A JS tem é que pensar numa campanha que esmague o outdoor do Pinóquio.

    A Manela tem alguma parte do corpo que se possa aumentar artificialmente? Nádegas? Mamas? Nada? OK, então pensa-se noutra coisa.

    Que tal explorar as incoerências esquizofrénicas da mulher? O que disse ontem, o que diz hoje. O que disse no governo, o que diz na oposição. O que dizia quando não era líder da oposição, o que diz quando é. Acham que não? Tudo bem, realmente não é correcto estar a focar deficiências.

    Já sei. Outdoors com citações do Meneses àcerca da Manela. A dificuldade é a da escolha. Meneses é o melhor crítico e visa directamente o eleitorado potencial dela. Não se pode? Não sei porquê, mas OK.

    Boa! Olha esta. Pede-se um depoimento sobre a Manela às sumidades financeiras laranja: Dias Loureiro, Oliveira e Costa, Cadilhe, Jardim Gonçalves, Teixeira Pinto, João Rendeiro. Não aceitam?

    Em última análise, há o plano secreto de governo da Manela, que já aí andou no Aspirina. Ela anda a tentar escondê-lo, mas a gente revela-o. Não é credível?

    Ó pá, só dificuldades. Então aguentem com ela, vão-se lixar.

  11. Nik, o pinóquino neste caso, julgo, tem a ver com a mentira, não é bem das mentiras do PM, mas sim outra mentira. Sabes? P.

    Quanto ao santos silva, claro que está errado, está hoje e sempre esteve. O homem não consegui passar do 24 para o 25 de Novembro.

    De repente paracia-me que estava a ouvir um operário da Lisnave na festa do Avante. Enfim! O ss é uma das almas pardas que este país herdou da idade média.

  12. Na foto, professora exibe as suas competências pedagógicas em prol da elevação do debate político e do respeito pela honorabilidade alheia.

    Continuamos a caminhada ao serviço de sócrates ao estilo arruaceiro Valupi?

  13. por acaso eu acho o cartaz da stora bem conseguido, junto com a cara dela faz mossa,

    e a coisa para mim é que não pode estar bem o que o ME anda a propôr quando a escola D. Maria, a melhor escola pública do país no que mais interessa: resultados dos alunos em provas nacionais, recusou a proposta por enorme maioria e fez contra-propostas,

    eu sei: é por causa dos submarinos,

  14. Haja Alma para Malhar. Ernesto (ASS) é de uma generosidade semântica que este pessoal fica atarantado ( eh ehe eheh acham que ele-o-grande é Mal-criado ehe ehehe. O cérebro colectivo de PT é preocupante, né?). Qual Farpas do Eça!!?
    Boa Valupi. Andei a ler a frase que a banalidade tb faz parte do dasein, lindo homem … continuas filosoficamente em forma.
    Malha tb…

  15. Venho chamar a atenção para dois versos do «poema»:

    «Que a gente acha…» e «Que acha que…».

    Bastam estes dois exemplos, para perguntar duas coisas:

    Primeiro – é este o português escrito (e falado) que os professores, nas escolas, ensinam aos nossos filhos?

    Segundo – pelo «poema», indecenteMENTE escrito, não estará esta senhora a pedir urgenteMENTE uma AVALIAÇÃO?

    – Z: como vês, não concordo contigo quando afirmas «…acho o cartaz da stora bem conseguido».

  16. bem, eu acho que a cara da senhora está pungentemente de acordo com aquela rima,

    mas tudo bem Nanda, aliás nem concordo propriamente com o conteúdo do cartaz, o que me faz achar que isto foi mal conseguido foi o resultado a que se chegou.

    Eu sou a favor de que os prof.s, assim como todas as carreiras da fp, sejam avaliados, de uma forma objectiva, simples e transparente, indexada principalmente ao sucesso dos alunos medido fora da capelinha, como tenho dito aqui várias vezes. E também sou a favor da eliminação da categoria de excelente, acho que deve ser só: insuficiente, suficiente, bom e muito bom; a excelência é um ápice, é um limiar instável que só serve para dar cobertura aos apaniguados de serviço como categoria da classificação. A menção ‘excelente’ pode ser aposta, mas não como categoria que é necessariamente transiente e que haverá a tentação de perverter.

    Mas isto sou eu que não tenho responsabilidades políticas para além das de cidadão, nem clubes a que responder.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.