Brevíssima história do Aspirina B

Era uma vez o Blogue de Esquerda, é assim que começa a história do Aspirina B. O BdE foi um dos mais importantes blogues na História da blogosfera portuguesa; mas não tenho nem a memória, nem a autoridade, para lhe fazer aqui justiça. Quando acabou, uma das suas notáveis figuras, o Luis Rainha, agregou novo grupo: João Pedro da Costa, José Mário Silva, Júlio Roriz, Luis Rainha, Nuno Ramos de Almeida e Valupi. Era um dream team de consagrados bloggers e pujantes intelectos, se excluirmos a minha humilde e estreante pessoa. A recepção foi a melhor possível, tanto dos leitores como dos críticos.

Participar num blogue colectivo é uma experiência de cidadania, aconselho-te a passar por esse curso rápido de iniciação ao mistério humano. Especialmente se não existirem laços pessoais anteriores, como foi o meu caso. Muito mais do que da tertúlia, é do kibutz que um blogue colectivo é análogo. Escrever é lavrar a terra, a blogosfera o território da identidade e conquista. Começa-se com um espírito comunitário de cariz religioso, a tal paixão dos inícios onde reina a fraternidade e se simula a confiança. Um por todos e todos por um, vamos a eles. Esta fase durará entre duas a quatro semanas. Depois regressa a normalidade do quotidiano dos normais.

Em Janeiro de 2006 mexeu-se na equipa. Entraram ainda mais, e mais desvairadas, vedetas: Daniel Oliveira (com o Rui Tavares às cavalitas), Fernando Venâncio, Jorge Mateus, António Figueira, Vanessa Amaro, Afixe, Rodrigo Moita de Deus, Gibel. Foi o período de maior popularidade do blogue, porém destinado a uma efémera existência nesse pico de fama. Em Março e Abril a debandada estava consumada, a equipa reduzida ao Fernando, eu, Jorge Mateus, um Rainha semi-demissionário e um Zé Mário ausente. Em Junho entraram o Jorge Carvalheira e o TT. Em Outubro começou a colaboração do José do Carmo Francisco. Em Dezembro regressou o João Pedro, ausente desde Fevereiro. Em Janeiro de 2007 saem, definitivamente, o Rainha, Mateus, Gibel e Afixe. Em Março entra a Soledade Martinho Costa. Em Julho entrou a Susana e saiu a Soledade. Em Setembro entra o Daniel de Sá. Em Outubro mudámos para a rede Tubarão Esquilo, deixando cair aqueles que nunca mais deram notícia nem responderam aos apelos, o Zé Mário e o TT. Em Janeiro de 2008 entra a Isabel. Em Março saiu o Fernando. Em Abril saiu o Daniel. Em Novembro saíram a Susana e a Isabel. Em Dezembro saiu o João Pedro. Restam dois autores no activo.

O Aspirina B já devia ter acabado há muito tempo, logo em 2006, a mando da lógica centrífuga reinante nos blogues colectivos. E assim teria sido se o Rainha, que era o líder tácito por ter tido a iniciativa e ter assumido o comando moral, não tivesse saltado fora com o comboio em andamento. Isso gerou uma situação de vazio de poder, o qual foi naturalmente preenchido por quem ficou. Serve esta resenha para fazer um especial agradecimento ao Fernando e à Susana, cada um a seu modo foram inexcedíveis na generosidade e entusiasmo com que participaram no espectáculo e no trabalho de bastidores. É que preparar as refeições e lavar a roupa é tão importante como semear e colher. Num blogue, num kibutz ou em qualquer lugar onde duas pessoas se encontrem e queiram estar juntas.

56 thoughts on “Brevíssima história do Aspirina B”

  1. n conhecia as origens
    bela descrição de historial
    com paralelismos giros a kibutzs e outros,
    sedutoras em termos de linguagem
    por mim, e tanto quanto vejo e leio, obrigado por apareceres…
    abraço e a luta continua

  2. É uma boa sinopse aspirínica. Nem eu tenho tão boa memória. Mas continua assim que estás bem, nem sejas tão modesto, Valupi :-) É o Inverno: anda tudo a hibernar. Espera pela Primavera e verás se isto não volta a escaldar com novas entradas e o regresso do primo pródigo.

  3. Nem sei bem explicar porquê, mas gostei mesmo muito deste post.
    Acho que é por transmitir uma agradável sensação de boa onda, Valupi.
    Estiveste bem, pá.

  4. Espero que isto não seja um prelúdio de uma despedida. Faltou acrescentar que com todas estas transformações o Aspirina B evolui até se tornar num blog político dos mais honestos, incisivos e lúcidos da blogosfera. Continuação do bom trabalho.

  5. Pois… blogue, kibutz ou poema porque «um poema é um lugar para estarmos todos juntos», sempre ouvi dizer. A chuva há-de passar, o Inverno do nosso descontentamento também.

  6. o Dow Jones está quase em valores iguais a antes da invasão do Iraque, mar 2003, it is time to get out there mr. Obama, that war was an error, a terrible mistake in the name of mankind,

    mr burroso this is with you

  7. Eu nem devia vir aqui com coisas pessoais, mas… o que eu me revi! Engraçada esta coisa dos blogs colectivos: pujanças e debandadas, fés e esmorecimentos, causas comuns e desagregações… tal e qual. Engraçado também que, cada vez mais, vejo a blogoesfera a fazer balanços e a pensar em si como fenómeno com muito para analisar. Engraçado…

  8. só não sei é se percebeste o quanto mudaste o “aspirina”, tornando-o quase o blogue oficial do governo e do Sócrates.

    podias tê-lo tornado político, mas não vesgo.

    é assim, Valupi, como dizes, colhe-se o que se semeia…

    tenho pena que o “aspirina” se tenha banalizado. mas é daquelas coisas que só tu é que podes responder…

  9. realmente não se enxerga qualquer diferençazita entre o Aspirina-bi e o macSocialismo
    Aqueles floreados e maneirismos de lingua, equivocam os incautos, são como aquelas tipas a quem deus deu um grelo do tamanho de pichotas, mas a malta cá de fora não se apercebe do drama; até acha piada, o pior é depois,

  10. Pois. Subscrevo por inteiro este post, voltando a sublinhar a importância do Venâncio e da Susana e, claro, do Valupi, a verdadeira alma deste blogue. Mas quem permitiu de facto toda esta boa-onda foi o Rainha: isto de sair de um blogue fundado por ele e deixar a casa aberta foi, de facto, uma magnífica demonstração de cidadania. O Aspirina B foi dos instrumentos mais importantes do meu processo de crescimento (que continua bastante atrasado). Foi por exemplo aqui que prendi a mudar de opinião quando estava errado e onde percebi, de uma vez por todas, que isto tudo é muito lindo, sim senhora, mas não passa de HTML. E aí é que está a piada.

    Uma coisa é certa: este blogue jamais acabará. Tenho a certeza que haverá sempre sangue novo e/ou velho para que o Aspirina B continue a ser B de Boa-onda.

    Ah: e a Soledade Martinho Costa corresponde, para mim, ao momento mais glorioso desta casa.

  11. Luís Eme: o blogue oficial do Governo? Percebes a enormidade e o insulto dessa tua afirmação? Oficial implica que o Valupi seja pago para emitir as suas opiniões. Que dados possuis para largar essa posta? Ou estás apenas numa de insultar? (Se for o caso, tudo bem, as caixas de comentários servem também para isso). Não te cabe na cabecinha que alguém possa concordar com este Governo sem estar a seu soldo?

  12. De Puta Madre, sim, o Rogério.

    Quanto ao Fidel, creio-me não tão aborrecido no que à extensão do discurso diga respeito.
    __

    claudia, não há problema algum com a actual situação (mas que o Pacheco não me leia). E também informo que não tenho um pingo de modéstia. Já de humildade, quero toda.

    __

    shark, o sentimento é mútuo. Se bem te leio nas entrelinhas.
    __

    Jeronimo, não é relativo a uma despedida. Apenas algo que andava para ser feito desde que o João Pedro e a Susana saíram – para celebrar o ciclo que assim se concluiu – e que esta condição de escrevinhador amador permitiu ter sido adiado por amorosa preguiça. E também serve este brevíssimo histórico para satisfazer eventuais curiosidades de quem foi chegando ao longo do caminho.

    No entanto, e como é óbvio, a qualquer momento um blogue (no caso, este) pode acabar. É tão fácil como começar um outro blogue qualquer ou simplesmente nunca mais cá voltar.
    __

    jcfrancisco, um poema também fica bem como metáfora. Não me revejo é na parte do descontentamento; muito menos na da chuva, que agradeço sempre que aparece.
    __

    Z, o ideal é conseguir descansar enquanto se trabalha, e guardar as canseiras para o ócio que alimenta filósofos e filosofias.
    __

    Blondwithaphd, se calhar… deves é vir mais vezes com coisas pessoais! Ou, por outro lado, que há de nosso que não seja pessoal?
    __

    luis eme, muito obrigado pelo teu comentário. Oportuno e complexo, revelador. Ora vejamos:

    – Um blogue colectivo não é o resultado de uma só pessoa.
    – Quem entra influencia tanto como quem sai, quem está influencia tanto como quem esteve.
    – O estrabismo é uma patologia muito bem espalhada por todos os quadrantes políticos.
    – A banalidade é constitutiva do “dasein”.

    Dito isto, estranho que tu não admires a pluralidade de pontos de vista, e queiras mais do mesmo. Afinal, os blogues com maior número de visitas são os que mais ódio destilam contra o Governo e contra Sócrates. Embora te possa chocar, defender o Governo dos ataques imbecis tornou-se o politicamente incorrecto, mesmo revolucionário. Nesse sentido, não posso concordar mais: colhe-se o que se semeia…
    __

    xatoo, tens queda para imagens expressionistas. Mas a melhor ainda continua a ser a do pastel de nata.
    __

    Primo, o Fernando e a Susana destacam-se, deixa-me cá voltar aos aplausos, até porque não foram oficiais fundadores, mesmo que tenham estado presentes desde a primeira hora. Mas vestiram a camisola e superaram todos os outros que foram saindo.

    Quanto a ti, é uma história à parte. Aliás, espero que desenvolvas a ontologia do HTML (assim como uma gnoseologia e uma ética, para compor a coisa). Porque se trata de um tesouro de sabedoria que pode salvar muita alma perdida. E também concordo: a Soledade proporcionou experiências indescritíveis. Muito obrigado, Soledade.

  13. O Eusébio também jogou pelo Beira-Mar e não foi por isso que lhe caíram os parentes na lama, ó Ninguém…
    Se ele fosse candidato pelo Bloco ou pelo PP é que a notícia seria bombástica…

  14. aires bustorff, saltei o teu comentário por distracção visual. Mas só para dizer que a luta continua, claro, mas a paz também.
    __

    shark, nem mais. Quer-se dizer, o homem já foi ministro de Sócrates…

  15. Paulo Freitas do Amaral. O candidato pelo Bloco à junta de Baixa da Banheira é o Frederico Freitas do Amaral e não sei de nenhum Freitas do Amaral que se candidate pelo PP.

  16. Bem visto, joão viegas. Não se trata do Diogo; esse, sim, ex-ministro. Mas não teria nada de especial que o ilustre professor fosse candidato a uma junta de freguesia pelo PS.

  17. Em todos esses nome, aparece um tal de Afixe. Destoa um pouco, não?, nesse excelentíssimo universo de bloggers, seja lá ele quem for.
    A propósito, ouvi dizer que há por aí alguns blogs a recrutar gente. Não queremos mais um desempregado no páis.
    Agora a sério: parabéns pelo trabalho.

  18. o que eu quis dizer, Valupi, é que há mais mundo, para lá dos nossos políticos mediocres (não é apenas o Sócrates…).

    o “Aspirina” no último ano perdeu a diversidade, a originalidade e o efeito “surpresa”, que teve durante bastante tempo…

    claro que a culpa não é tua, mas sim de quem te foi deixando com o “menino” nas mãos (apesar da “porradinha” que leva – muitas vezes mete-se a jeito…-, o J.C. Francisco, é o único que continua a “remar” a teu lado).

  19. fico contente de ver que não é uma despedida anunciada, mas também fico contente de ver que em qualquer momento te sentes livre para bazar,

    hoje fiquei de neurónios fundidos a debater-me entre isomorfismos e homeomorfismos, o Machado deu cabo de mim,

    tens aqui , já se sabia da Ecologia mas é sempre bom recordar,

  20. Ricardo Santos Pinto, destoa tanto como os outros, porque é igualmente um excelentíssimo blogger. Aliás, tens aí um dos critérios da excelência: destoar.

    Quanto ao que dizes do recrutamento e dos desempregados, ficará a precisar de uma eventual explicação tua.

  21. Z, pois claro. Estávamos bem tramados se os blogues fossem mais um empecilho à liberdade. Ora, é completamente ao contrário.
    __

    luis eme, pois há, mais mundo, mais universo, e ainda mais além. Mas a política interessa-me como experiência de compromisso, e não vejo inteligência na cultura do contra-poder. Todos os que enchem a boca com ofensas para o Governo, Sócrates e PS, só porque eles foram eleitos e têm que tomar conta disto até às próximas eleições, não estão a servir os meus interesses. Servem os meus interesses aqueles que tomam decisões de que serão responsabilizados e aqueles que acrescentam inteligência, ou coragem, ao debate político.

    Obviamente, o blogue ao perder autores perde diversidade e surpresa. Pois, obrigadinho. Mas tal desfecho não tem nada de errado. Este exercício é puro amadorismo, só graça (e tudo grátis!).

  22. Magnífica ideia, primo. Talvez se lance um anúncio a pedir bloggers. E nunca como agora terá sido tão fácil recrutar talento, tantos os desempregados e mal-empregados. Os candidatos entregariam a sua candidatura e portfolio, seguindo-se uma entrevista.

  23. Também tenho estado à espera do ESTACA, zazie; até porque um kibutz não é assim um objecto tão discreto que consiga passar despercebido ao radar bombisTTa do nosso amigo.

    Quanto ao primo, ele nunca chegou a sair. A coisa não passa de mais uma manobra ligado ao Freeport, só para enganar os papalvos e livrar o ingenheiro de sarilhos.

  24. Da gente que dizes que por cá passou, só acho que fazem falta o Venâncio, o JPC (parece que aí continua) e a Susana. Mas eu só conheço isto há um ano e picos. O cinco dias é uma merda insuportável desde que saiu a tropa da jugular, nem sei porque continua o Rainha a avalizar aquela porcaria, se calhar são namorados dele. O arrastão é sórdido, embora tenham lá um pinta monos de grande classe. Há dias vi o sem muros, do Miguel Portas, onde o senhor vai amealhando as crónicas do Sol e as ntrevistas autobiográficas, para facilitar a tarefa a futuros biógrafos, tudo muito chato e previsível. A gente sabe que eles se odeiam desde pequeninos, mas já repararam como o Paulo e o Miguel são tão parecidos na demagogia? Por isso tenho sempre desistido de ir a outro lado e estou à espera que o Aspirina V de Valupi me surpreenda.

  25. zazie, esse tempo dos fantasmas foi maravilhosamente conspirativo.
    __

    Primo, vai queixar-te aos ingleses.
    __

    Z, eu também não gostei nada.
    __

    Carlos Santos, não te escapa nada.
    __

    Nik, o JPC reabriu o seu famoso poiso, com o brilhantismo que se vê. Quanto às surpresas que esperas, talvez consigas explicar melhor para ir ver se temos em armazém. Ou mesmo seres tu a entregá-las.
    __

    Ricardo, és um brincalhão, lá isso és.

  26. presente!

    depois de uns dias com net on and off (sobretudo off, como agora em que prossigo a escrita deste comentário que ficará suspenso até aos próximos breves segundos de ligação – e viva a netcabo) agradeço a gentileza do agradecimento e das menções de alguns à falta que faço ao blog. aspirina b sempre!

    e viva a soledade.

  27. “Por isso tenho sempre desistido de ir a outro lado e estou à espera que o Aspirina V de Valupi me surpreenda”.

    Isso é esperar por muito, meu caro Nikita. Na verdade, o Aspirina, com e sem o Valupi, já tentou bastantes vezes surpreender-te, isto é, acordar-te das letargias que te afligem nas horas normais de trabalho, e até nem se tem feito rogado mesmo em alturas em que te encontravas de expectante rabiosque apontado ao céu, mas porque tens um esfincter mais relaxado que o tunel do Rossio nunca te apercebeste do elemento de sincera surpresa.

    Não sei se sabes, mas isso tem operação.

  28. Passando com galochas por cima da linguagem fascisto-latrinária que te caracteriza, Estaca Mole, quero só dizer-te que eu não sou teu ‘caro’. E vai para o caralho, estafermo.

  29. Boa, claudia! Só errou porque o Olho é apenas comentador. Fora isso, conseguiu brilhar – por pouco tempo, diga-se, como é costume. Mas vá treinando, talvez lá chegue!

    Olho: como é que se atreve a chamar fraquinho ao Valupi? Você lê os posts dele ou faz que lê? O mais certo é ser daqueles que só gosta de dizer mal. O JCF, esse tem dias. Mas concordo consigo que se foram embora muitos dos que fazem falta ao Aspirinab.

  30. Interessante história esta da Aspirina e ainda mais interessantes os comentários e contra comentários aqui deixados.
    Sou um leitor regular da Aspirina e, seja com quem seja, espero que mantenham o blog activo e com o mesmo nível. Como aqui se disse há ofertas e ofertas, mas o Aspirina é um dos que tenho no meu RSS feeder para saber a cada refresh, das vossas actualizações.

    Keep on rockin !

  31. susana, Soledade forever!
    __

    Olho, concordo contigo, mas só no que a mim diz respeito.
    __

    Lynce, fizeste uma excelente pergunta ao Olho.
    __

    Nelson Patriarca, sábias palavras. De facto, isto pode muito bem ser ocupado por outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.