11 thoughts on “Um banho de inteligência”

  1. Gostei da referência ao Macbeth, obra que, como talvez nenhuma outra, descreve a ascensão e futura queda da Alemanha reunificada. E se Angela é a Lady Macbeth, quem (ou que forças) são o Macbeth? O autor sabe do que fala (mas é preciso saber ler nas entrelinhas).

  2. Ó “Tozé”, tem calminha.

    Ó joaopft, não nos desiludas! Joga-te a ela, joga-te ao Finanz-führer, a elas e a eles porque os prussianos merecem.

    A Estrela Serrano está de volta, entretanto, destaco um elogio sobre o jogo de cintura de que eu falava ontem (enganou-se com o Brexit, o MNE).

    […]
    «Numa entrevista à TSF, este sábado, na qualidade de ministro dos Negócios Estrangeiros, Santos Silva defendeu o projecto europeu, mostrando-se optimista em relação à permanência do Reino Unido na UE mas não dramatizando as consequências de uma eventual saída. Numa análise lúcida e desapaixonada, o ministro dos Negócios Estrangeiros não deixou porém de exprimir uma dura crítica ao comportamento adoptado relativamente a Portugal por “funcionários” europeus. Disse o ministro:

    “O que Portugal não aguenta é um clima de ameaça constante, hostilização permanente, porque as expectativas são importantes em economia. Não há maneira de atrair investimento se houver funcionários a dizer isto vai falhar, isto vai falhar.“.

    Santos Silva foi certeiro na qualificação das declarações que porta-vozes e outros funcionários europeus, incluindo membros do Eurogrupo, insistem em fazer com regularidade, ameaçando Portugal com hipotéticas futuras sanções, criando percepções negativas sobre o País e descredibilizando o governo português.

    Ainda bem que há um ministro com o peso do ministro dos Negócios Estrangeiros que não tem medo de dizer o que todos vemos e ouvimos, isto é, que “funcionários” europeus criam um “clima de ameaças e hostilização permanente” contra Portugal.

    Em português popular, chama-se a isso “chamar os bois pelos nomes”.

    Aqui, serviço público: https://vaievem.wordpress.com/2016/06/18/chamar-os-bois-pelos-nomes/

  3. que interessante pensar no ciclo de morte que gera vida que é, bem visto, no outro lado, o amor como património imaterial da humanidade. estas coisas boas fazem parelha com alguma coisa que já li e explorei aqui. vou ver se me lembro. adorei. :-)

    e se for possível, uma novidade, o dentro e o fora em uma sintonia quatro estações? e se o único dos amores completos estiver, e está, ainda por viver? e se houver uma nuvem atípica sem contornos?

  4. E proclamam as três musas da eurocomissão Macbeth:

    “O justo é o injusto, e o injusto justo,
    Paira pelo nevoeiro e pelo ar nojento”

  5. Hoje surge o ataque contra Durão Barroso, desculpa-se agora a Comissão Macliberal do oportunismo do seu Presidente de oito anos, embora eu próprio me confunda com isso (ou não será o agarrar das oportunidades que se apresentam ao indivíduo a mantra do neoliberal empedernido?)

    Bem, mas como os seus próprios povos enlouquecem com os crimes do neoliberalismo (de que, sem o saberem, têm até agora largamente beneficiado), e o Goldman Sachs arrisca-se a ser sacrificado, no mesmo altar onde o Lehman Brothers se finou, em conjunto o nosso cherne fujão que é, desde há mais de uma década, a vergonha maior da Nação Valente e Imortal.

    E assim o Finanzfüher, mais o seu ajudante-de-campo-de-concentração, dombrovskis, poderão argumentar que a Comissão Macliberal meteu água durante oito longos anos porque foi dirigida por um tuga…

    Há que chamar o cherne à pedra, no parlamento, pelo Iraque e outras coisas, mostrar ao mundo que esse senhor traiu a Nação Valente e Imortal e, desde o ano em que organizou a cimeira da triste memória, levou com tomatada no estádio da Luz e fugiu, esbaforido, para se exilar na presidência da Comissão Macliberal, desde esse ano que ele não mais mereceu o respeito do povo português.

  6. http://portaldaqueixa.com/docs/anexos/252cce44930bd302655d12ccd0affd6e.jpg

    ___

    Olá, amiguinhos.

    Vou hoje responder aos espectadores e espectadoras que me escreveram aqui para a SIC a perguntar se, por causa de uma fotografia que apareceu às 17:50 de ontem no blogue Aspirina B, por ela se pode ter a certeza de que a personagem Ignatz morreu ou se aquelas duas meninas eram as suas duas irmãs que andam nuns blogues durante o velório.

    Pois, não não não não me parece… A carta Eremita do Tarot diz que ele sim pode andar escondido mas que, pelo menos, uma das meninas é parecida com o irmão.

    http://4.bp.blogspot.com/_cIsGzrRrrek/SW6heJZv-dI/AAAAAAAAAo8/kPcW1SJqCIM/s400/mulheres+feias.JPG

    Adeus e até amanhã, não se esqueçam às oito e meia na SIC.

    Ah!, e não se esqueçam de passar a mensagem:
    “Você tem amigos que lhe andam a querer fazer a folha? Você, que tem um problema em tribunal, não se quer defender? Então vá, ligue para mim…”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.