6 thoughts on “Foi também sem intenção?”

  1. Claro, foi o submarino que se enfiou na rede de arrasto do barco francês!
    Agora no caso da agressão a Ronaldo, foi intencional por parte do sarrafeiro
    francês, dizem que se excedeu nas instruções do treinador!!!

  2. joe strummer, não será antes leitura de indispensável circularidade? (Não parece ser possível defender uma abominação chamada UE e, ao mesmo tempo, não desafiar a lógica).

    Aliás, o Krugman não parece sequer convencido de que o BREXIT terá impacto negativo na economia britânica a curto prazo. A longo prazo, ele diz que provavelmente terá (impacto negativo).

    http://krugman.blogs.nytimes.com/2016/07/12/still-confused-about-brexit-macroeconomics/?module=BlogPost-Title&version=Blog%20Main&contentCollection=Opinion&action=Click&pgtype=Blogs&region=Body

    Mas, digo eu, para aceitar tal impacto negativo no longo prazo teremos primeiro que supor que a globalização neoliberal possa continuar na sua senda de expansão exponencial, mau grado o carácter finito dos recursos do planeta. Em algum momento, no futuro, a globalização neoliberal terá que implodir. Isso talvez já esteja a acontecer; já há países ocidentais a devorar (economicamente) outros países ocidentais. Pois não havendo mais por onde expandir, resta a euro-autofagia.

  3. Joaopft, o artigo não é sobre o Brexit, tenta le-lo até ao fim e veras que é pertinente, no teu caso duplamente.

    A globalização precisa ser regulada. Provoca assimetrias entre países e dentro dos países, não por acaso uma das sanções previstas são os fundos estruturais que se destinam a diminuir essas mesmas assimetrias, se houvesse alguma dúvida sobre a bondade penalizadora ela está demonstrada.

  4. joe strummer,

    dizeis que “não existe mundo fora do consumo,tem que se manter uma certa escassez para assegurar o lucro”. Essa é a essência do capitalismo neoliberal moderno,a razão por que esta sua degenerescência chamada globalização não pode ser remediada por qualquer penitência regulatória. Porquê?

    Shakespeare explica (melhor do que eu faria) no Macbeth (acto 4, cena 3):

    MALCOLM
    Along with being full of lust, I’m also incredibly greedy. If I became king, I would steal the nobles’ lands, taking jewels from one guy and houses from another. The more I had, the greedier I would grow, until I’d invent false quarrels with my good and loyal subjects, destroying them so I could get my hands on their wealth.

    MACDUFF
    The greed you’re talking about is worse than lust because you won’t outgrow it. Greed has been the downfall of many kings. But don’t be afraid. Scotland has enough treasures to satisfy you out of your own royal coffers. These bad qualities are bearable when balanced against your good sides.

    MALCOLM
    But I don’t have any good sides. I don’t have a trace of the qualities a king needs, such as justice, truth, moderation, stability, generosity, perseverance, mercy, humility, devotion, patience, courage, and bravery. Instead, I overflow with every variation of all the different vices. No, if I had power I would take world peace and throw it down to hell.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.