Troquem os sicofantas pelos académicos

Ferreira Fernandes pegou numa característica de Vítor Gaspar, a prosódia, e usou-a como gazua para lhe abrir a cachimónia com a sua elegante atenção ao detalhe: O ministro que falava baixinho

Não sei se FF sabe, ou já esqueceu, mas falar baixinho é uma táctica usual nas faculdades, locais onde é suposto os professores estarem duas horas de cada vez, ou mais, a palestrar para adultos. Óbvio, os novéis estudantes universitários entram na academia com a cultura do Secundário intacta, e a maior parte nunca a perderá mesmo depois do canudo. Daí não terem hábitos de disciplina adequados à nova exigência, podendo tranquilamente boicotar a autoridade docente imitando as estratégias espontâneas de prolongar a barulheira após o professor ter entrado na sala e começado a discorrer. É aqui que o truque de falar baixo é usado com alta eficácia pelos professores mais batidos, pois a reacção é a de rápido silenciamento num contágio culpado que chega a toda a sala.

Vítor Gaspar tem outros truques, mas acima de tudo tem uma inteligência aquilina e um excelente controlo emocional do protocolo, o qual usa a seu favor para dramatizar retoricamente o poder institucional que representa. Isto são manhas de puta velha das universidades, as quais começaram por serem herdeiras da cultura monástica, e têm séculos e séculos de aperfeiçoamento. O seu efeito é o de introduzir racionalidade simbólica numa situação de inevitável conflito, o que só traz vantagens. Por exemplo, de Vítor Gaspar não se espera ouvir uma difamação, muito menos uma calúnia. Ter confiança num limite ético que o adversário respeitará aumenta decisivamente a qualidade intelectual do debate.

Para defender a ideia de que devemos diminuir o peso do sector público na economia portuguesa, intento absolutamente legítimo e que resume o que o actual Ministro das Finanças tem para dizer aos cidadãos, não é preciso diabolizar e perseguir os adversários com assassinatos de carácter e conspirações mediático-judiciais. É até sensato admitir que se o PSD se tivesse preparado para fazer pedagogia à volta dessa ideia durante o período em que foi oposição à maioria socialista podia ter chegado às eleições de 2009 com uma verdadeira proposta alternativa que pudesse vencer o PS. Em vez disso, porque não acreditavam poder ganhar pelo valor das propostas, mergulharam alucinados no ódio.

Perdemos todos.

__

Para a etimologia de sicofanta, recomendo esta cesta de figos.

14 thoughts on “Troquem os sicofantas pelos académicos”

  1. “Por exemplo, de Vítor Gaspar não se espera ouvir uma difamação, muito menos uma calúnia. Ter confiança num limite ético que o adversário respeitará aumenta decisivamente a qualidade intelectual do debate.”

    Val, não estou tão segura assim da inocência que pareces atribuir-lhe. Ou seja, o homem pode não difamar nem caluniar à maneira de Relvas, Passos e tutti quanti, mas difamações e calúnias não são as únicas formas de baixa política. Basta ver como embarcou na ocultação das contas da Madeira e alinhou em tergiversações sobre o desvio colossal inexistente (pelo menos da responsabilidade do anterior governo) para não se denunciar. Uma coisa é o estilo, outra é a obrigatória consonância com os farsantes que o rodeiam e que acabam por “contaminá-lo” (se é que o homem era/é um puro).

  2. Ja . JA!!!!! tu topas não sei quem e eu topo-te a ti . tanta letra para mostrar que não sei quem mencionou a maria dos sermões da treta . santa paciência. e aviso-te que esses salamaleques todos de parte a parte vão ter mau fim. a graxa tem sempre-

  3. Adorei a ‘cesta de figos’!

    Adoro figos (frescos e secos e torrados e cheios) lampos, pingo-mel…maismaismais :)

    Já há algum tempo-largo que não via o meu delicioso ‘Nestum de Figo’ nas prateleiras dos supermercados… (agora percebo…)

    sicofanta/συκοφάντης = “delatores dos ladrões de figos”

    Nos Algarves, terra de bela e variadas figueiras, é quase raro encontar figos autóctones à venda nos supermercados.

    Só mesmo nos mercados tradicionais (até encomendando) ou na bela/arriscada ‘xinxada’ :):):)… sendo que nesta heroica versão até melhor sabem !!! :)

    Sim, antes os Académicos…senão estamos feitos ‘num figo’… :):):)

  4. Penélope, não faço ideia se ele irá difamar e caluniar, realço é que o seu perfil torna improvável que o faça. Obviamente, se está no Governo passa a assumir um conjunto de responsabilidades, compromissos e constrangimentos que o levarão a só comunicar o que for benéfico para o Executivo, tanto no conteúdo como no tempo. Essa é uma área de infindável polémica, pois as diferentes perspectivas sobre a realidade levam a diferentes hierarquias de valor.
    __

    L*, pelos vistos, há um conjunto de figomaníacos por aí à solta… Ainda bem!

  5. Serão influências berberes?!… ;)

    Acresce que cada figo é, em si mesmo, um conjunto de frutos (policarpós = Πολύκαρπος)…

  6. lá está: Gaspar I, o Esticadinho com boca – não no trombone – na flauta. :-)

    (eu já estou, isso é certo, a fazer, cá em privado, da prosódia paródia) :-D

  7. mas ganharam agora em 2011, e voces nao podem culpar o povo portugues pela vontade de mudarem de governo.Se as pessoas quisessem as politicas do ps não acham que simplesmente os tinham eleito outra vez? oiçam mazé o recordar é viver ehehehehehe

  8. “É de esperar que os imbecis mordam o isco. Eles têm sido de uma fidelidade canina aos propósitos e estratégias desta miserável direita, até entrariam em ressaca se não pudessem continuar a ajudar os seus aliados.”

    Esta é do valupi e vai directinha para ti, er.

  9. edie quem é que aprovou os vossos pecs e o orçamento.Quem é que se absteve no vosso código de trabalho hum? quando ficaram sem a vossa maioria absoluta como é que as vossas leis e medidas passaram na assembleia hum? então mas que partido é que tava no governo cujas leis passaram com a passividade do psd? mas quem afinal aqui são os imbecis uteis?ninguém vos proibiu de negociarem as medidas com parceiros mais fiáveis que a direita.

  10. O BE e o PC proibiram. (tou a brincar, todos sabemos que o Be e o PC se mostraram sempre disponíveis para a negociação, sobretudo logo no início da segunda legislatura, em que se ofereceram para colaborar para a saída da crise o Sócrates virou-lhes a cara).

  11. o que não obstante,não faz de voces menos aliados do psd, que eles.O ps,devia ter negociados com ele as medidas.Não é a oposição que tem de suportar o governo, o governo é que deve fazer conseguir a aprovaçao das leis, negociando com a oposição.

  12. excelente análise!! De facto, este Vitor Gaspar tem mais inteligência politica do que aparentemente se possa imaginar. Posso partilhar o post no Facebook?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.