Troika-tintas

Pedro Passos Coelho, e o PSD, na altura na oposição, tiveram um papel activo na convocação da troika. A 31 de Março de 2011, quando Sócrates ainda rejeitava o pedido de empréstimo, Passos Coelho assinou uma carta oficial do PSD, que escreveu com Miguel Macedo, e foi entregue pelos serviços de protocolo, defendendo o pedido de "resgate". Destinatários: Sócrates e Cavaco Silva. No dia seguinte, 1 de Abril, os mesmos destinatários receberam outra carta de teor idêntico, desta vez subscrita pelo governador do Banco de Portugal, Carlos Costa. No dia 2, Paulo Portas, líder do CDS, declarou à agência Lusa o seu apoio à ideia: "Não faço parte dos que diabolizam o FMI."

Dois dias depois, a 4, os principais banqueiros portugueses à época (Ricardo Salgado, Carlos Santos Ferreira, Faria de Oliveira, Fernando Ulrich e Nuno Amado) reuniram-se com Carlos Costa, na sede do regulador, e, de seguida, dirigiram-se para o Ministério das Finanças, onde fizeram o mesmo pedido ao ministro Teixeira dos Santos.

A prova dos factos: afinal, quem chamou a troika em 2011?

49 thoughts on “Troika-tintas”

  1. A pergunta que se deve colocar, antes de todas as outras, é por que motivo Passos e Portas manifestam empenho até à mentira em afirmar que nada tiveram a ver com a vinda da troika. Será que esses dois têm plena consciência do verdadeiro crime lesa-pátria que cometeram ao recusar a solução do PEC IV, aceite e acarinhada pela CE e pela Merkel? Eles sabem que a História registou os factos e não será meiga com a sua traição ao interesse nacional? Só pode ser isso, de outro modo não se compreende que os entusiastas da troika, ontem, nem dela queiram ouvir falar, hoje. Recordo-me que Passos, o troca-tintas, afirmou solenemente que nunca invocaria o passado para se justificar. A verdade é que, logo que os resultados da governação à moda da troika começaram a aparecer, o seu ministro das finanças fugiu, Portas virou “irrevogável” e Passos nunca mais parou de culpar o governo anterior pelo desastre à vista de todos.
    Se o país está uma maravilha por causa do cumprimento do memorando da troika, não deveriam Passos e Portas estar orgulhosos por terem feito de tudo para que Sócrates chamasse a troika?
    Repito: por que motivo Passos e Portas renegam a troika que tanto quiseram ver chegar a Portugal?

  2. A História registará todos esses Documentos Oficiais e fará o seu juízo.
    Essa gentinha terá na História de Portugal o lugar que merece. Serão os Migueis de Vasconcelos.

  3. Sobre quem chamou ou deixou de chamar o FMI/BCE/UE é completamente irrelevante nesta fase.
    Na altura, apenas o lunático do Sócrates é que achava que isto ia lá com PEC’s, quando já não havia dinheiro no Estado para pagar pensões e ordenados dos FP!
    Isto são factos!

  4. 12-04-2011
    CRISE
    Teixeira dos Santos admite que Portugal só tem financiamento até Maio.
    Portugal tem financiamento até ao final de Maio, mas depois vai precisar que a ajuda externa esteja pronta. Quem o admite é o próprio ministro das Finanças, em entrevista à agência Reuters.
    A “troika”, composta por membros do Banco Central Europeu, da Comissão Europeia e do próprio FMI, já está em Portugal a avaliar as contas reais do país e as necessidades de financiamento.
    Privatizações avançam como previsto
    Nesta entrevista à agência Reuters, Teixeira dos Santos admitiu que o “ambicioso” programa de privatizações defendido pela Comissão Europeia pode ter algum ajustamento, mas não deverá ter “qualquer grande inovação” face ao que o Executivo previa.

    As privatizações de empresas como a TAP, a ANA ou os CTT podem permitir um encaixe até 6,5 mil milhões de euros, o que representa 3,5% do PIB.

  5. É pá, não vão por aí, não vão por aí que se espatifam todos.
    Primeiro: não chumbassem o PEC IV e já haveria dinheiro para tudo e mais alguma coisa, não é ó senhor Comendador Teixeira dos Santos (a traição rendeu-lhe uma Comenda, mas a História registará o FACTO).
    Segundo: isso de só o Sócrates acreditar que isto ia lá com PECs … então e a Ângela Merkel ? esperem lá que é Ninguém ! e depois não sei como foi que a Espanha se safou mesmo, hein ? Não foi com PECs ? ou foi lá a Troika, e eu estava distraída e não vi nada ?

  6. “PEC IV e já haveria dinheiro para tudo e mais alguma coisa”

    Jasmin, o PEC IV, é o nome de algum poço de petróleo ???

  7. oh paroulus, tens a memória curta e selectiva.

    o pec 4 foi chumbado a 23-03-2015, o sócras apresentou demissão na mesma data e o motivo da demissão foi não querer cá a troika. é óbvio que as condições se agravaram nesse período e tamém é óbvio que quem contribuiu para a desgraça foi a dita oposição, portanto vai pedir contas ao cavacoise que diz ter sido apanhado de surpresa, ao passólas que tamém não sabia de nada apesar de ter concordado com o pec4 na véspera, ao presunto do broges que punha a tété na cnbc a pedir aos mercados que dessem a martelada nisto para o narcotóino dar ordens para o assalto ao pote. tenham vergonha da merda que fizeram e que o ps do seguro ajudou a encobrir.

    para te coçares junto link para a patriótica missão da caeira que se levantou de madrugada para avacalhar o portugal
    http://estadodalma.blogspot.pt/2011/01/teresa-caeiro-gosta-de-comecar-o-dia.html

  8. creio que o mais importante não é o que ocorreu após o chumbo do pec4. aí o caminho para o resgate era irreversível (não havendo bce no mmercado mais tarde ou mais cedo aconteceria). o que é crucial é a descrição do chumbo do pec4 quando os juros (10anos) andavam pelos 7,4% o rating ainda estava no nível a e não havia draghi nem o quantitative easing. a descrição exaustiva do chumbo, as mentiras de passos e cavaco a dizerem que não sabiam das negociações (quando o souberam tão bem), as tentativas desesperadas do sócrates (a propor ao passos ser vice 1º ministro, com a promessa do mesmo sócrates não se recandidatar nas legislativas seguintes) e do barroso (o passos a dar-lhe nega com o seu grande receio de que sócrates pudesse salvar-se) para que o pec fosse aprovado.
    e depois estabelecer o paralelo com a itália que passou pelo mesmo mas em que um velho (na idade) presidente juntou todos os partidos e pô-los perante as suas responsabilidades (os juros a 10 anos estavam já nos 8%). aqui as exigências do bce e da comissão (e da alemanha) foram maiores do que com portugal pois também eram políticas e implicavam a substituição do 1º ministro berlusconi. mas um presidente como deve ser livrou a itália da troika e a bazuka do bce fez o resto.
    de igual modo com a espanha que aproveitou bem a boleia da intervenção do bce nos mercados para evitar o resgate e com o psoe e pp a irem juntos a bruxelas negociar um resgate apenas destinado aos bancos.

    tivéssemos nós um presidente e um chefe da oposição à altura e teríamo-nos encostado à itália para aproveitarmos draghi. mas se calhar o passos tinha razão e o sócrates tínha-se safado. assim não se safou o país e a dívida passou dos noventa e picos % (insustentável, diziam eles) para 130% (sustentável, dizem os cara de pau).

  9. Assis
    A verdade é como o azeite, vem sempre ao de cima.
    E esta verdade não será diferente das outras.
    E para cúmulo da perfídia “mandaram” prender o homem !!!
    (quem o confirma de forma boçal é o imbecil do Rangel)

  10. Sr. ignóbil, explique aí, como é que o seu querido iria arranjar dinheiro para financiar o País ?
    Volto a perguntar o PEC IV, é o nome de algum poço de petróleo ???

  11. Não deixa de ser curioso que só agora os jornais de referência comecem a dedicar algum espaço à verificação dos factos subjacentes à narrativa que a direita tem usado nos últimos anos. Os distraídos poderão pensar que mais vale tarde do que nunca. Mas os cépticos, depois de tudo o que se tem visto, tenderão a ficar desconfiados e perguntarão : o que é que lhes aconteceu para desencadear este súbito amor pela verdade ?!

  12. campus o pec 4 não era um poço de petroleo,mas sim um pacote de austeridade,bem melhor do que um resgate.podia vir o pec 5,6,7 , 8 e o 98,mas eramos nós a gerir o pais,sem sermos resgatados.mas o pulha de massamá como queria ir ao pote,e a extrema esquerda acompanhou-o.concluindo: que os pariu!

  13. Amigo fifi, se não era um poço de petrólio, explica aí, como se iria arranjar dinheiro para financiar o País ?
    Aliás se o Teixeira dos Santos soubesse que o aspirinas tinham a solução escusava de ter pedido ajuda de mão estendida á Troika.

  14. “Volto a perguntar o PEC IV, é o nome de algum poço de petróleo ???”

    não é nome de poço de petróleo, é o nome do acordo conseguido entre sócras & merckla, portugal e comunidade europeia, para evitar a intervenção da troika, aquela coisa benéfica que ajudou a direita a subir ao poder e que depois dos saldos resultou num aumento de endividamento em 35% do pib. aquela treta do tamos muito melhor no macro que o micro nem se enxerga.

  15. Diz a BURRA

    «É pá, não vão por aí, não vão por aí que se espatifam todos.»

    Esta gaja QUASE de CERTEZA que tem pernas peludas e pêlos no trombil. Ora atentem no teor da expressão da sujeita!! Tu espatifas-te é com a tua ENORME BURRICE. Deves ler enquanto tricotas, pá, e snifas no interim….Aposto que quando falas, pões uma perna para o lado, mãos nos bolsos, e de quando em vez, uma escarreta para marcares território…Caramba, isto é português e vota. Tu és o produto da degeneração do português que o «TOUNI» referenciava e reverenciava nas suas redações de Fontanelas. Deves ter vindo nalguma nau, de regresso a Lisboa…
    Fogo, és o melhor marketing à isenção para as taxas moderadoras da morreirita, pá. BURRA.

  16. Ó campus

    O Teixeira dos Santos precisava de mais que isso. Precisava de não ter borrado a cueca, e de ter tido um bocadinho mais de carácter, só um bocadinho já chegava.
    Se calhar agora até lhe bastava reconhecer que também se enganou. Recusava a Comenda e mostrava que não tinha feito o que fez por sacanice.

  17. ” se não era um poço de petrólio, explica aí, como se iria arranjar dinheiro para financiar o País ?”

    com o abaixamento do preço do pitrólio, como fez o draghi ball efect. ò pensas que quantative easing tamém é por acaso uma ideia do massamólas segredou ao ouvido do schauble enquanto lhe enchia um pneu.

  18. Bem, como a minha pergunta não tem resposta concreta, queria perceber outra coisa.
    Porque razão o Costa e demais socialistas estão eufóricos com o debate ? Será que não perceberam, que Passos, depois de Rangel, acordou os portugueses para perceberem que Costa é uma má imitação de Sócrates ? Tanto esforço de Costa para esconder o governo sócrates, tanto esforço para que nem o nome do sujeito fosse referido e afinal depois do debate que pensam que ganharam, toda a gente verifica que afinal sócrates ou costa é a mesma coisa.

  19. “Bem, como a minha pergunta não tem resposta concreta, queria perceber outra coisa.”

    como deves ter saltado aquilo que não te interessa, eu repito:

    ” se não era um poço de petrólio, explica aí, como se iria arranjar dinheiro para financiar o País ?”

    com o abaixamento do preço do pitrólio, como fez o draghi ball efect. ò pensas que quantative easing tamém é por acaso uma ideia do massamólas segredou ao ouvido do schauble enquanto lhe enchia um pneu.

  20. atão, oh parolu’s, já leste a resposta ou não pereceste e não queres mostrar ignorância. não t’acanhes, há pr’aí burros do e com’ó caralho.

  21. A cambada toda ao molho…e a BURRA, com a depilação por fazer. A gaja também não faz o buço. Ora quando os sinais exteriores fisicos de tamanha aberração assim são, podemos, naturalmente, imaginar a profundidade da burrice da BURRA. A gaja devia substituír a Clara Alves, as audiências subiam…e os dentes das gentes precisam de apanhar ar ….

  22. ”Esta gaja QUASE de CERTEZA que tem pernas peludas e pêlos no trombil.”
    Numbejonada, vulgo cegueta.

    Pois é, senhor Numbejonada. Eu também, também tenho pelos nas pernas e no trombil.
    E o senhor tem pelos aonde?
    De seguida, o senhor Numbejonada vocifera que vai ensinar as coisas à gente como devem ser.
    Ora, que propõe que façamos aos nossos pelos para podermos acatar os seus ensinamentos? Que fez o senhor aos seus para aprender tanta coisa?

    Pois olhe. Eu acho que a uma moçoila uma penugenzinha discreta nas pernas e no rosto fica bem. Dá sainete.
    Experimente.

  23. ” … E os costistas perceberam ou não perceberam que perderam o debate da seriedade ??”

    Ó campus
    Dizes isso porque na 4ª feira à noite nos fartamos todos de rir até às lágrimas com a coça que o Coelho levou ?
    Achas que quem ri, com motivo para tal, não é uma pessoa séria ????

  24. Mas acerca deste tema, a minha convicção começa a ser a de que no governo de Sócrates ele seria talvez o único socialista genuíno, assumindo socialismo como é proposto e sugerido nos pactos programáticos do Partido Socialista.
    Os restantes ministros eram transaccionáveis, uma espécie de activos, uns mais e outros menos tóxicos, da contabilidade do PS. E estavam já todos em imparidade.
    Apesar de tudo, não me posso coibir de confessar que, não me passando sequer pela cabeça desbaratar o meu voto inútil, no dilema em que nos encontramos todos face à expectativa de ver perpetuado o ”mandato” da coligação, só votaria no PS mediante a garantia e penhor de Sócrates.

  25. Menina Jasmin, pode-se rir até fazer chichi pelas pernas abaixo, a menina e os ocupantes da casa mais vigiada do País. Uma coisa é certa, os portugueses ainda não esqueceram e estão sem vontade nenhuma de ver, como tratam das vidas das pessoas sem respeito e sempre na galhofa.

  26. Ó Manuel de Castro Nunes

    Por quem sois ?
    Não tenho a pretensão de achar que o posso convencer a dar o seu voto útil ao PS nestas eleições, mas se a condição para o dar é a que coloca, repare que o dito cujo já se pronunciou inequivocamente numa curta declaração e reforçou ainda mais o penhor numa fotografia.
    Fotografia, que a meu ver, além de se destinar a pessoas como o meu caríssimo Manuel de Castro Nunes, também se destinará a subtilmente desmontar mais uma calúnia. Agora a calúnia de que vive numa “prisão de luxo”. Como se pode ver na fotografia não se vê “luxo” em lado nenhum.

  27. Ó sr Campus

    Tenha a certeza de que os portugueses que sofreram, e sofrem, por causa da “austeridade virtuosa” que este governo lhes fez engolir pelas goelas abaixo, como remédio amargo que cura e ao invés disso os matou, na passada 4ª feira sentiram-se de algum modo vingados por verem alguém tomar as suas dores e malhar em cima do mentiroso que os enganou.
    E esse é o principal motivo do sucesso.
    O povo está ávido de alguém que mostre a sua fúria e descarregue o pau em cima dos sacanas que lhes deram cabo da vida nos últimos 4 anos. António Costa tardou em perceber esta coisa tão simples !

  28. Senhor Campus. Responda-me, por obséquio, a duas perguntas.
    Primeira.
    O que é um ”país”?
    Segunda.
    Como se financia um ”país”?

    Ora, se financiar o ”país” fosse o que estava em causa, quer o PEC quer a toika eram duas formas de financiar o ”país”.
    A ser assim, a questão estará em saber quem optou por uma dada forma de financiamento para que ”país”.
    Se quisermos ser isentos e nos deixarmos de ”espertices” admitiremos que a opção de financiar o ”país” através da troika foi o resultado de uma pressão exasperada da oposição para inviabilizar o PEC.
    Inviabilizado o PEC, restava o recurso à troika para financiar o ”país”.
    Mas, afinal, que raio de ”país” é este? Por mim, quando confronto o PEC com o ”memorando”, não vejo diferenças substanciais senão na forma de acompanhamento e do cálculo antecipado do custo do financiamento.
    E no terror que a intervenção podia causar, para que se pudessem fundamentar as medidas que, de facto, o PSD e o CDS já tentavam implementar há cerca de três décadas, desde Cavaco Silva.
    Essa é a verdadeira história da troika.

  29. “Como se pode ver na fotografia não se vê “luxo” em lado nenhum.”

    Pronto, concedo que tem de ter mais cuidado com as aparências, está muito escrutinado. Certo que a casa mais vigiada do País não é dele e talvez a Sra. Fava não tenha o mesmo gosto para os luxos. Gostaria mesmo assim de perguntar porque esconderam as garrafas de vinho para a fotografia ? Para dizerem que se riam às gargalhadas mas não estavam bem bebidos ?

  30. Sr. Perfil, um País é um território independente com pessoas e com História.
    Um País financia-se com a mais-valia produzida que nunca poderá ser ser menor que aquela que absorve, sob o risco de se endividar.

  31. “Um País financia-se com a mais-valia produzida que nunca poderá ser ser menor que aquela que absorve, sob o risco de se endividar.”

    ganha juízo pá! nem as fraldas dodot anúnciam isso, os países financiam-se a mijar dinheiro na economia. foice o burro do caralho e ficámos com um paroulu’s de merda.

  32. LOL.

    Ele é só Vascos…pulidos…de segunda classe. Com mania de que inventaram a organização da acracia…Hum. E o que é uma acracia? Há-de o dono do MÉTODO assentar aqui com as suas APORIAS. Não obstante, ele a apresentará como verdade. O que é um país? Portugal é um país? Eu chamo-lhe horta, há quem lhe chame jardim, há quem lhe chame lixo, só porque o dono do MÉTODO não deu por isso. As couvinhas tomam tempo. E o que é uma COUVE? E um BILTRE? ( Aqui há duas definições – a que é ilustrada no dispensário e a que crassa em Arganil…portanto, a matéria não é pacífica, digamos assim).
    Claro que «troika – tintas» é outra definição a preencher pela imaginação de cada um. Chamamos-lhe, por isso, uma claúsula aberta, no dispensário, evidentemente, preenchida pelas leituras biológicas do Biltre de serviço. O Touni sabe o que é um troika – tintas, mas não assume tal conhecimento, prefere divagar e entreter-se com as prosas de fontanelas. O PM, esse, disse bem – não distingue entre o Touni e o pinóquio…será que também nada bê ( neles)? É tudo a mesma coisa…a evolução parou no tempo das barcas…

  33. Respondendo aos idiotas do jornal Observador, e ao Campus,

    O vinho àquela hora já estava na barriga deles. As garrafas estavam no caixote para serem postas no “vidrão”.
    Á cabeceira da mesa provavelmente estavam os donos da casa. Há-de ter sido um deles que tirou a fotografia.
    O copo restante era do polícia de turno, ou achas que deixaram o homem ficar à porta a “secar” ?
    Há uma ventoinha na sala, não há ar condicionado, porque a casa NÃO É “de LUXO”.
    Alguém já viu o raio da “piscina aquecida” a não ser na m.erda que o CM escreve ?
    E parafraseando o rapaz da pizza: “Mais alguma pergunta ?”

  34. Ó Numbeijonada

    Tão o teu amigo Ex-ministro Miguel Macedo “está indiciado por factos suscetíveis de integrarem os crimes de prevaricação e de tráfico de influências” ? isto dizem os teus alegados camaradas da PGR.
    Isso significa que o homem já tem acusação ?
    Esclarece lá aqui o “people” porque assim a “tua” magistratura não se safa…

  35. oh burrus do caralhu’s, não sabes o que é mijar dinheiro na economia, mas talvez já tenhas ouvido falar em pôr as rotativas a trabalhar ou imprimir moeda, é isso que os países fazem para se financiarem.

  36. Ó cegueta! Foi-se-te a prosápia? Voltaste à conversa fiada?
    Será que tu achas que tens piada e que, quando te falta a lata resolves a coisa com umas piadas bacocas à Herman José e com uns ditados populares?
    Explica tu ao pessoal o que é um país.
    Depois explica também se o empréstimo da troika foi para financiar o país ou para financiar o estado.

  37. A propósito de PEC’s e de Troikas, será que ainda ninguém se questionou porque razão temos sempre que “ir ao mercado” buscar caroço para sustentar esta merda?
    Será que ainda ninguém viu que isto é insustentável e que é preciso URGENTEMENTE reduzir os custos de funcionamento do Estado, nomeadamente (e sobretudo) ao nível das chamadas prestações sociais?
    É claro que isto se irá resolver (a mal) com Troikas e PEC’s, ou (à portuguesa) esperando que a maioria dos actuais pensionistas (e cônjuges) vão desta para melhor; como os mais novos não vão ter as reformas actuais, pode ser que a coisa se sustente.

  38. oh teodoro, vai estudar! vê lá tu que em cada ano os alemães, esses calaceiros, vão buscar ao mercado mais de 100mil milhões (e os franceses outro tanto). e nem imaginas o quanto vão buscar os américas. portanto quando estiveres a ver as tuas referências a dizerem na tv que a economia de um país é como a economia doméstica dá-lhes um tiro.

  39. Não, Teodoro, ainda ninguém questionou. Ainda ninguém questionou e estávamos todos à espera de que tu nos abrisses os olhos.
    Mas diz-me. Porque razão te ocorre, logo de seguida, que a coisa mais URGENTE para reduzir as despesa do estado é cortar ou reduzir nas prestações sociais.
    Não será mania tua, uma espécie de ”parti pris” contra os pobres, os pretos, os refugiados e coisas que tal?
    Diz-me uma coisa. Estás convencido de que as prestações sociais são um gasto sumptuário do estado?
    Porque achas que isto se vai resolver a mal? Também tens um exército acantonado?
    O mínimo que poderia dizer é que essa tua mania, hoje tão disseminada pela direita radical que apoia a coligação, é velhaca. Mas digo apenas que é resultado de uma crassa falta de cultura.
    O grande erro, talvez deliberado, tanto de Passos quanto de Costa, pelo menos até que Costa seja claro, é o de conceberem a sustentabilidade da segurança social ao abrigo de acrobacias da fiscalidade.
    Ora, a segurança social só pode ser sustentável se concebida como um domínio de investimento do estado, tão importante, ou mais, como o investimento no reforço do tecido empresarial.
    Mas, com toda a franqueza, nem sei bem como te explicar isto. Talvez se fores despejando o teu saco de preconceitos aferidos para ganhar adeptos nos comícios eu consiga encontrar uma brecha.

  40. Olho MENTIROSO de Massamá a levar chumbo grosso no cu!
    Hoje é por conta da Catarina!
    O!há o Massamolas a rabiar e a tentar fugir a pergunta da Segurança Social! Já fugiu para a Grecia , teve de regressar a Portugal porque a Catarina o trouxe de volta pelas orelhas, e está agora a tentar explicar como funciona a Segurança Social e NAO RESPONDE mas a Catarina não o larga ! Está FODIDO! Ela quer saber quanto custa o buraco !!!!!!! E não larga o osso ! Aí Catarina!

  41. Vamos então esclarecer uma coisa.
    A segurança social não é sustentável e não tem cash.
    Mas quem se recorda do despacho do Gaspar, antes de se demitir, que ordenava aos fundos de gestão da segurança social e do fundo nacional de pensões que aplicasse a massa em títulos da dívida pública, a dez e vinte anos?
    E quem se recorda do último relatório de contas da gestão dos fundos da segurança social que registavam uma perda de mil e quinhentos milhões de euros em aplicações financeiras só durante o ano de 2012?
    Não é previsível a intenção de PC quando faz tanta questão de privatizar a gestão da segurança social?
    Parece um bom negócio. Sobretudo tendo como pressuposto que ela não é sustentável.
    Nevoeiro?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.