27 thoughts on “Travar Portugal”

  1. No dia 29 de Agosto fiz aqui uma intervenção aqui na pharmácia chamando a atenção para o fedor que exalava (a bafio) do programa de D. Manuela e seus muchachos, perdão,de seus muchacos e D. Manuela, o que não é bem a mesma coisa,e para o grave anacronismo que este revelava. Propunha o dito a continuação da aposta num paradigma que já tinha revelado a sua falência. Um VELHO SENHOR escreve no DN Opinião sob este título ” Um novo paradigma : sim ou não?” Estou em boa companhia!

  2. Sonho, ao que nos transporta;
    Sócrates e Ferreira Leite estavam no Inferno.
    Sócrates fez uma chamada telefónica para o PS.
    Quando foi efectuar o pagamento, o Diabo apresentou-lhe uma conta de cinquenta euros.
    Ferreira leite também fez uma para o PSD.
    Quando foi efectuar o pagamento, o Diabo apresentou-lhe a conta de cinco euros.
    Sócrates quando soube da diferença entre custos foi reclamar o motivo de tal disparidade.
    Resposta do Diabo: Ferreira Leite foi chamada local, foi chamada local.
    Coisas do Inferno.

  3. Sonho, ao que nos transporta;
    Havia duas freguesias que faziam fronteira entre elas, assim como uma certa rivalidade. Uma chamava-se Confiança, a outra Paratudo. Não herdaram nada, viviam do seu dia-a-dia. A Confiança, tudo o que amealhava e com uns empréstimos, investia em tudo o que fosse progresso, para o bem dos seus habitantes. A Paratudo, tudo o que ganhava guarda debaixo do colchão. Os habitantes de Confiança respiravam alegria, andavam sempre bem-dispostos, davam os seus impostos por bem empregues, sempre que o seu líder reunia com eles, havia confiança, tranquilidade e alegria. Os habitantes de Paratudo reclamavam por tudo e por nada, queriam um transporte não tinham, queriam vias de comunicação em bom estado não tinham, queriam serviço de saúde não tinham e já se negavam a pagar os impostos. Nas reuniões com o seu líder, havia desconfianças, agressões verbais e não se chegou a físicas, por sorte, tal o desnorte. Obtinham como resposta que não tinham dividas e tinham algum dinheiro guardado debaixo do colchão. Comentavam uns para os outros: de que nos serve se só temos miséria, não devemos, mas a nossa terra comparada com a de Confiança, não é nada. Lá é só alegria, tudo é claro. Aqui só tristeza, tudo cinzento. Parecemos o nosso líder, eu não quero viver assim, resta-nos a hipótese de passarmos a residir em Confiança. Foi o que a maioria fez. A partir desse dia parece que rejuvenesceram uns anos. Ao contrário, os que continuaram a viver em Paratudo começaram a envelhecer e morrer mais cedo. Escaparam só os Medinas, o manifesto vinte e oito e outros tais.

  4. Será que é hoje que vou ler o programa do PSD? Já o descarreguei. Fui ao site do PSD e não foi nada fácil encontrá-lo! Dei com aquela cara de santa e depois só via uma curva ascensional a apontar para o aumento do desemprego entre 2004 e 2009. Mas com muita persistância destrincei no meio daquela selva o programa! Só que são 30 e tal páginas! Isso também me horrorizou. Não sabem sintetizar no PSD? O pouco que a Manuela tem dito me tem dado calafrios. É o espectro de Salazar por trás daquela face.

  5. Esta senhora está transtornada, não pode ser levada a serio…
    é claramente um caso psiquiatrico

    bem aliás como o seu mentor

    que intervem,
    diz que não quer intervir

    mas que está atento

    ameaça

    diz que não se quer desviar dos problemas fundamentais

    enumera-os como sendo o da competitividade, do endividamento
    esquece-se do BPN

    enfim…

    isto está quente…

    abraço

  6. Sócrates esteve francamente bem na entrevista, distendido mas firme e determinado em acentuar aquilo que separa ambas visões sobre o País queremos. Não são apenas de diferenças de estilo, falamos sobretudo de concepções do que deve ser a sociedade, a família o estado e tudo o resto. Uma visão progressista ou conservadora, um Estado presente ou um Estado débil e progressivamente desmantelado, um País ambicioso ou envergonhado e deprimido? Estas são algumas das escolhas que todos teremos de fazer em breve.

  7. Falou bem porque esteve diante da Judite, mas no 11 de Setembro, é capaz de ficar cheio de medo perante a bruxinha má. O sonho dela é transformar o Sócrates em abóbora e esborrachá-la em menos de duas.

  8. Ontem à noite, bem disposta, preparava-me finalmente para ler o programa do PSD. Se se recordarem, após muita busca e pesquisa, descarreguei-o do site do PSD. Por várias vezes tentei abrir o ficheiro e das duas uma: ou o sistema bloqueava ou dava-me Fatal Error. E esta, hein?

  9. Agora não percebi se é ignorância, mas eu explico para que não restem duvidas.

    Se usar o Sistema Operativo (SO) Linux (Pinguim) verá que isso não acontece, não bloqueia nem dá esses erros aos abrir os ficheiros. Está claro agora?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.