Technology loves Amália

I have discovered Amalia through a PBS (Public Radio)….the announcer was telling how he, not knowing a word of Portuguese, upon hearing her voice…fell in love with it. Went to Lisbon on his 40th birthday just to learn more about Amalia and Portugal. He was right. This has become one of my favorite songs….and am learning a lot about Amalia through You Tube. The lyrics are very sensitive…got to google translator! Thanks Amalia for being with us…and for the technology today!

Fonte

6 thoughts on “Technology loves Amália”

  1. é assim, e só assim, que eu gosto do fado: com ritmo de tristeza feliz. e tinha de haver um candeeiro por perto, claro, como eu gosto de candeeiros, como se onde está um que seduz, e está, viva um amor de luz. :-)

  2. A canção que Amália canta, Barco Negro, com letra de David Mourão Ferreira, “susbtituiu” outra, intitulada Mãe Preta, que eu ouvia cantar em miúdo, na rádio ou pela minha mãe, até a canção ser proibida pelo asqueroso ditador, por causa da letra. Não era a Amália que a cantava, já lá vamos.

    Mãe Preta, da autoria de Caco Velho e Piratini, é uma toada brasileira, não é fado. Foi gravada pela primeira vez em Portugal pela portuguesa Maria da Conceição no princípo dos anos 50. Pode ouvir-se no youtube:
    http://www.youtube.com/watch?v=5NX32PqN9QY

    Não sei se Amália também cantou Mãe Preta nos anos 50. Gravou-a pela primeira vez em disco só em 1978.

  3. é especial a mãe preta, Júlio. senti-a como quando se mete um caramelo na boca que ou se chupa até ao fim ou, se o trincamos, cola-se aos dentes até derreter. mas não percebi a substituição. veio substituir porquê?

  4. Ainda bem que há memória.

    Que me recorde, só a Dulce Pontes depois do 25 de Abril reeditou a “Mãe Preta”, os/as restantes ficaram-se pelo “Barco Negro”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.