Stop the press: Seguro defende a separação de poderes!

__

A iniciativa do ACP ao fazer uma participação criminal contra ex-governantes do PS não é só uma originalidade nascida do ar empestado do tempo, é igual e simultaneamente uma acção política com natureza e objectivos precisos. Por um lado, escolhe um só Governo e um só partido como alvos, deixando de fora tantos outros casos de tantos outros Governos e respectivos partidos que entrariam dentro dos critérios aludidos para a acção. Por outro lado, quem dá a cara pela manobra repete a cassete laranja da procura da “verdade” e ainda tem o topete de fazer uma associação canalha entre as SCUT e os cortes dos subsídios e restante austeridade. Mensagem: a culpa dos males que se abatem sobre a população é do anterior Governo e seu bando de criminosos. Para que ninguém tenha dúvidas acerca do que está aqui em causa, os burlescos Medina Carreira e João Duque estão indicados como testemunhas de acusação.

Perante este número, qual deveria ser a posição do PS, que devia Seguro dizer? Bom, deixa cá ver assim de repente: podia começar por desmontar a hipocrisia política inerente, depois expor a sua lógica partidária e por fim referir o absurdo legal que se esconde no ataque calunioso. Porém, contudo, todavia, Seguro não fez nada disso. Preferiu dizer isto:

Como sabe, eu defendo uma separação entre aquilo que é político e aquilo que é da Justiça. À política o que é da política e à Justiça o que é da Justiça. Se houver nessa matéria motivos para a Justiça agir, então a Justiça tem que agir. Mas esse, como sabe, é um critério que utilizo em tudo na vida pública. Quando há dúvidas, a Justiça que investigue.

É uma reposta que, se a sonsice pagasse imposto, deixaria Portugal com superavit para as próximas décadas. A Seguro não ocorreu mais nada do que falar de si e apenas para tranquilizar os indígenas acerca da sua crença na separação de poderes teorizada por Montesquieu no século XVIII, tópico que a sua equipa de estratégia e comunicação sabe andar a ser discutido acaloradamente à boca pequena nas paragens de autocarro e mijatórios públicos. Poderemos então antecipar que em futuros processos contra ex-ministros socráticos, venham do sindicato dos rebocadores liderado por Carlos Barbosa ou de qualquer outra entidade da sociedade civil já encorajada por Passos Coelho, teremos direito a receber de Seguro esclarecimentos definitivos a respeito da sua posição face à escravatura nas Américas, a Guerra do Ópio e o exílio da família real para Inglaterra.

Como é óbvio, a declaração de Seguro revela uma cumplicidade moral com a acusação lançada. Por isso o DN a fez manchete na edição de domingo, fanáticos como são nos continuados ataques a Sócrates e apenas se distinguindo do Correio da Manhã como o softcore se distingue do hardcore na indústria pornográfica. O homem é tão transparente naquilo que se esforça tanto para esconder que chega a sorrir de satisfação no meio das vacuidades que largava em modo de vingança passivo-agressiva. Seguro, o impoluto, o socialista que jurou limpar o partido da porcaria que teve o desplante de o ignorar, refulge de santidade graças ao mais baixo da mais baixa política.

13 thoughts on “Stop the press: Seguro defende a separação de poderes!”

  1. Das duas uma, ou é um palerma como o do poleiro incapaz de entender as implicações dos seus comentários ou continua a demonstrar uma sede de vingança imparável contra tudo o que cheire a Sócrates. Venha o diabo e escolha.

  2. o gajo quer é ser primeiro ministro e está convencido que se não fizer nada os outros caem de maduros. só vai acordar quando levar com um friporcas no focinho, isto é, se alguma ver for ameaça a qualquer coisa, o que dúvido.

  3. O PS é para desaparecer do mapa. Ou é agora ou nunca. Penso que é agora. Só atrapalha a direita e a esquerda. É tão lindo!, a direita toda poderosa no poder e uns cachorrinhos de esquerda a ladrar, dando um ar de folclore à coisa parecida com democracia. Salazarismo sem Salazar, ditadura sem a chancela da ignominia. Foi lindo o caminho até aqui. Finalmente, a ditadura modernizada, com eleições, partidos de esquerda e tudo. Porque é que Salazar não pensou nisto? Em vez da estátua em Santa Comba, tinha o país coberto delas. Que burro!
    Seguro está a fazer, na perfeição, o papel de coveiro do PS. Reconheça-se-lhe o mérito.

  4. foi a filha-da-putice da semana ou quiçá do mês. ignorar que o acp se transformou numa aguerrida secção partidária laranja é sacanice pura. o carlos barbosa é um ranhoso da pior espécie: além de ter sido um boy, já velhote, na pt há ainda aquela escaborosa farsa do correio da manhã rádio ter ganho a frequência nacional à tsf (onde anda o correio da manhã radio?), com o mesmo carlos barbosa no júri numa pornografia de alto gabarito. se pensarmos que na direcção do acp está o barão horta e costa, o homem que dava cabo da pt se o tivessem lá deixado mais tempo (a cena da venda ressabiada da operação no bostwana, porque não o receberam com a efusividade com que recebiam o muteira nabo, é de gritos) dá-nos o requinte dos personagens. porque é que nunca indicam quais as scuts negociadas pelo socras e pelos outros anteriormente? a supresa seria total e isso não convém.

  5. Este episódio teve o mérito de me recordar porque não sou sócio do ACP: enquanto o cretino do ex-diretor do Correio da «Manha» lá estiver, não me apanham, não…

  6. Quem precisa de ser investigado é José Seguro,mas por um PSI.É doentio o seu comportamento em relação ao passado.Se fosse um homem sério Seguro,pedia documentação do contrato( que até pode estar na internet),falava com os visados e depois respondia ao antigo organizador de concursos de Misses, e homem de mão do PSD. Eu bem quero mudar de ideias quanto ao Secretario Geral do Ps,mas Seguro não me deixa…

  7. Quando parecia que já se tinha visto tudo, eis que o seguro dá mais um tiro no pé, sim porque a prossecução da sua vendetta contra Sócrates não lhe trará, nem ao PS, qualquer beneficio e só uma lesma sem cérebro não vê isso.

  8. Cada vez me sinto mais satisfeito com a decisao que tomei de deixar de ser sócio do coio laranja em que se transformou o acp desde a entrada desta anedota pascácia com agenda política chamado Barbosa. E como eu conheço muita gente que saiu.

    Quanto ao Seguro, a coisa fia mais fino. Cada vez mais encaro a hipótese de votar eem branco, caso não corram com essa avantesma…

  9. Já andava a pensar nisso há tempos, mas por causa desta barboseira é agora que vou mesmo rasgar o meu cartão de sócio do ACP. Toma lá e embrulha-mo, ó Barboso.

  10. De facto O Secretário Geral do PS, não faz mais nada do que dar tiros nos pés, a sua adversidade a Sócrates continua, ele podia, como aqui já foi dito, ter ouvido os visados e responder mais tarde.
    Preferiu verter o seu ódio que nutre pelo ex primeiro ministro.
    Também não acredito que alguma vez chegue a primeiro ministro, quem trai os seus não pode ter o apoio dos portugueses.

  11. Então estou a fazer comentários de mais?
    Será que a censura voltou?
    Ou será por eu pertencer à tralha socrática?
    Boa tarde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.