Sporting místico

O Sporting de Sá Pinto exibe os sinais da verdadeira mística: ser forte com os fortes e fraco com os fracos. Não há nada de errado com isso e vai dar-nos um taça europeia, mas alguém devia dizer-lhe que retirar o Matías ao intervalo é uma pulsão sacrificial que pode ser guardada para os jogos particulares.

18 thoughts on “Sporting místico”

  1. Maldito Porto que, nos últimos anos, criou a ilusão de que conquistar uma taça europeia é assim uma coisa ao alcance de qualquer equipa portuguesa… :-) Mas estou a torcer pelo Sporting, obviamente.

  2. A esperança é a última coisa morrer, caro Val e já percebi que já deste a Taça de Portugal à Académica.
    E não é que o Sá Pinto até faz se comportou bem no fim do jogo e nas entrevistas ??!! Temos homem.
    Abraço

  3. Podemos tirar o homem de boliqueime, mas nunca tiraremos boliqueime do homem.
    Esta máxima não é só válida para o palerma do presidente, é de aplicação universal!
    O Sá Pinto merece nota 20 para o controlo e serenidade patenteados não permitindo que o carácter dele ultrapasse o comportamento exigido! Até quando isso irá acontecer é a questão, pq todos sabemos que há aqui uma notória inevitabilidade!

  4. Em Junho de 1997 fui enviado à Nazaré para a reportagem do Sporting-Boavista, jogo decisivo para o título de campeão de juniores desse ano. Esta mesma figura (grandes penalidades e expulsão ontem) conseguiu inverter o resultado que era 1-0 favorável ao SCP para 2-1 favorável ao Boavista. Entre outras habilidades transformo uma grande penalidade contra o Boavista num pontapé de canto. E no fim estava admirado quando as garrafas de água começaram a chover aos nosso pés. O meu amigo Vítor, ao serviço de A BOLA na Nazaré, replicou em voz alta – «Se este é a grande esperança como serão os outros?»

  5. O jornal do Belmiro diz hoje que em 2005 havia 15.000 burros em Portugal, mas que hoje devem ser bastante menos.

    Mistério: o pasquim esqueceu-se de acusar o Sócrates pelo putativo decréscimo da população asinina. Falha imperdoável!

    Se calhar ocorreu-lhes, mas depois recuaram. Sócrates exterminador da burrice não lhes deve ter soado bem.

  6. “…vai dar-nos um taça europeia …”
    Val,
    és um homem de FÉ,
    nota-se que andas a ler o blog ,
    então, soh pode ser do tinto que andas a beber.
    larga-o, de vez enquando, joga uma rapidinha de Xadrez com o/a edie, ou comigo
    se ele(a) não quiser ou não saber.
    ps,
    espero que o/a edie não leve a mal.

  7. Júlio,
    isso já tem remédio. Com o novo estatuto do estudante do grande Crato, o aluno que tenha excesso de faltas numa disciplina, fica expulso de todas, i.e., da escola, durante todo o ano lectivo. Mata-se dois coelhos de uma cajadada: poupa-se dinheiro para fazer encadernações de luxo do programa do governo (essa pérola) e pagar a compradores de empresas públicas e ainda… livramo-nos, em parte de uma população educada, que só dá chatices. Os danados são espertos, não se pode negar …

  8. chess (desculpa a intimidade)

    tás no estrangeiro e não tens acentos…tudo bem,mas escreve-se “se ela não SOUBER”.É “ela” e para além do xadrêz ainda temos o português… csss….

  9. “além do xadrêz” tira o “^”
    “vou mesmo xonar raispartam se não vou…”

    desculpa a intimidade , posso ir também?

  10. tiro o chapéu, mas se estivesse com cartuxa onde estás, se calhar não…como se diz? xeque mate :)
    http://www.youtube.com/watch?v=5EoQVaQGXmM
    (isto não era um post sobre futebol??…val, desculpa, por te trocarmos as voltas, mas sabes que estamos contigo.Boa noite, dorme bem…dream sweet dreams for me, dream sweet dreams for you…)

  11. Uma última nota desse jogo na Nazaré em fim de época de 1996-97 arbitrado por esta criatura: O treinador do Boavista (Queirós) virou-se para o treinador do Sporting (Palahres) e desabafou – Pensava que tu tinhas trazido o árbitro mas foi a gente…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.