Sócrates e o culto da personalidade

Existe um culto da personalidade à volta de Sócrates, é indesmentível. Começou em 2006, com as corridinhas a assustarem os pançudos, as tareias no Parlamento a envergonharem os palonços e a evidência de que o homem ia mesmo tentar reformar alguma coisa. E o culto cresceu. Cresceu como nunca se tinha visto em Portugal. Até no PS há militantes e deputados que alimentam o culto da personalidade a Sócrates, veja-se o ponto a que isto chegou. O Alegre, por exemplo, é um deles. E outros que estão com ele, que até chegam a votar contra o partido na Assembleia da República ou sonham com a perda da maioria absoluta, não se cansam de falar em Sócrates. Mas onde o culto da personalidade atinge o seu histerismo é na oposição. À direita, o mais destacado cultor é o Pacheco, coadjuvado pelo Zé Manel e pasquim, a que se juntou o Sol, TVI e Correio de Manhã, pelo menos. À esquerda, PCP, BE e sindicatos amigos, vocacionados para cultos da personalidade desde o berço, não deixam os seus créditos por manipulações alheias. Todavia, nada se compara com o paroxismo que acaba de ser alcançado pelos professores:

Sou professor não voto em Sócrates

Os professores consideram que a governação de Portugal é matéria da exclusiva responsabilidade de um indivíduo. Não há partidos, não há militantes, não há programas, não há eleições, não há Parlamento, não há sociedade, não há comunidade, não há Pátria, não há nada para além de um nome, uma cara, um poder que se projecta absoluto, um monarca.

Espero que os professores não andem a ensinar estas porcarias aos seus alunos. Para isso, mais vale que ocupem o seu tempo em manifestações, onde podem dar largas ao culto da personalidade de Sócrates com aqueles cartazes tão giros que o procuram ofender, precisamente, na sua personalidade. Os alunos, assim livres da influência destes professores, terão até tempo para aprender alguma coisa de política.

36 thoughts on “Sócrates e o culto da personalidade”

  1. Caro Valupi,

    Embora não sendo professor do ensino básico ou secundário, esforço-me, até por relações pessoais e familiares, por perceber o que por lá se passa. E a fulanização da luta está de facto, como diz instalada. Se me permite, a bi-funalização. Na medida em que não se trata apenas de José Sócrates mas também da sua Ministra da Educação.
    O que em si mesmo, como diz, é assustador em termos de percepção democrática. Mas perturba-me um pouco mais não conseguir vislumbrar outra causa para o protesto que não a recusa de qualquer forma de avaliação (que não a famosa auto avaliação). Em todo o caso, enquanto professor de outro grau de ensino, eu tenho (ou melhor quero!, porque escolhi a carreira voluntariamente) sujeitar-me aos múltiplos processos segundo os quais sou avaliado: na vertente científica (mestrados, doutoramentos, agregações) e na vertente pedagógica (semestralmente por todos os alunos). Eu penso que numa sociedade em que se pretende promover valores de esquerda como o fim do amiguismo e da cunha, a progressão pelo mérito deve ser encorajada. Porque o corporativismo era de outro regime.
    Enfim desculpe se me alonguei. Não queria fazê-lo mas o tema diz-me muito.
    Em todo o caso, como pessoa reflexiva que aparenta ser não lhe terá passado ao lado a cimeira do fim de semana de preparação do G-20. Na minha modesta opinião, os países emergentes registaram importantes vitórias, para o que muito contribuiram a China, a Índia, o Brasil, a Rússia e a nova administração americana. Porque o reforço de fundos do Asian Development Bank, por exemplo, não vai reverter em favor de nenhum destes, mas dos PVD. Convido o seu olhar crítico a ler e se quiser comentar (http://tinyurl.com/cnepjd)

  2. Realmente os professores escolheram mal o slogan… O slogan, para estar mais correcto, devia ser «Sou professor, não voto em Sócrates2009», pois, como tu «dás a entender» no teu post, o culto da personalidade à volta do Pinto de Sousa não surge do nada, mas baseia-se em factos e acontecimentos reais criados pelo próprio Pinto de Sousa.
    Facto 1: O homem é mentiroso: disse que não aumentava os impostos, que referendava o tratado europeu; que revia o código laboral do Bagão no sentido do que estava legislado antes; disse que iria combater a taxa de desemprego escandalosa do governo Santana; disse isto tudo e fez o contrário. Assim, quem cultiva a mentira, só pode ser «adorado» como mentiroso.
    Facto 2: O homem é um chico-esperto e trafulha: serviu-se dos cargos e tachos que teve ao longo da sua vidinha para se «diplomar», para fazer favores bem recompensados (500 mil euros, segundo as últimas da «campanha negra»), para fugir aos impostos. Assim, quem cultiva a trafulhice, só pode ser «adorado» como trafulha.
    Facto 3: O homem é um político de plástico que se auto-promove através de campanhas «brancas» publicitárias, destinadas a criar uma imagem que esconda o seu vazio ideológico, e a lavar (daí o serem «brancas») a verdadeira imagem do dito homem, e que está explícita no ponto 1 e 2. As «corridinhas», os anúncios das suas «reformas» na televisão e em horário nobre são uma expressão dessa forma de actuar, que se serve da manipulação e também da vitimização, por forma a conquistar eleitores que são tratados, pelo dito homem, como votantes do seu reality show televisivo: o Big GodFather. Assim, quem cultiva a imagem e a aparência só pode ser «adorado» como aparente e plastificado.
    Enfim, e voltando aos profs, o slogan até nem foi mal escolhido, pois o que muitos deles pretendem é lembrar que foram enganados por um chico-esperto, quando votaram no PS nas eleições de há 4 anos. Estão a fazer o seu acto de contrição e a pedir perdão por terem votado num partido que julgavam de esquerda e socialista, e que afinal não passa de um partido comandado por um maquiavélico, oportunista e calculista. Penso que se o Valupi largar o vinho ainda vai a tempo de aprender umas coisas com estes professores…

  3. Passa-se na política um caso parecido com o desporto. Se não fosse Sócrates era outro… É o caldo cultural que determina. Vejam o futebol – o Guimaraes ganhou ao Benfica mas não há uma foto, uma palavra, uma referência na primeira página ao vencedor; apenas uma foto gigante de Quique Flores acusado de autismo. A explicação é simples – há mais pessoas do SLB do que do Vitória e eles querem é vender jornais, não fazer jornalismo. Hoje a política já é mais espectáculo do que discussão aberta. É tudo à americana mas há muita gente que não confunde democracia com eleições. O problema é mais geral – Sócrates não é o ponto de referência é apenas o protagonista.

  4. Valupi, meu caro, por todos os “Deus” (isto é culpa do Neves) cada vez estás mais irónico. Não acredito que tu acredites no que escreves sobre o Sócrates, é mais uma ferramenta para ver o que dá. Muito bem, para já tens dois profs e um sócio desportista a malhar em ti.
    Garanto que não há nada mais do que isto, brincas, fazendo que sabes que o homem é só virtudes, enfatizas ligeiramente, complicando, ao dizer que os seus (dele) próximos LHE alimentam o culto da personalidade.
    Desenvolve a “corda” aos profs que tens na rede, demonstra que ELE é “deus”.
    Com estima.
    Vai tudo para o saco? Porque é mentira obviamente.

  5. Carlos Santos, não posso concordar mais contigo. Desde o princípio que foi evidente o pânico da avaliação, a qual, se viesse a ser realizada com rigor, iria expor inúmeros incompetentes. Para além disso, os professores preferem a mediocridade à excelência, e isso também se liga com a progressão na carreira. Está tudo ligado, e eles querem tudo estagnado.
    __

    ds, qual é a fonte das tuas informações sobre o que o cidadão José Sócrates fez ou deixou de fazer?
    __

    Z, essa crónica do Neves é mesmo estranha, lá isso é.
    __

    jcfrancisco, é verdade. Seria curiosa a experiência de aparecer um jornal desportivo isento de clubite comercial.
    __

    ramalho, o homem é só virtudes políticas, nisso até os opositores concordam. O problema está naqueles que, por causa da presença das virtudes políticas, querem derrubá-lo alegando falta de virtudes morais ou falhas legais. E isso, até prova em contrário, é um ataque a Portugal.

  6. Bom, Valupi, se esses marafados acham que o Sócrates é um “monarca”, foi de ti que eles sacaram a douta inspiração. Vê bem: na tua opinião, eles nem ofendem o soberano com os seus cartazes nas passeatas policatas, apenas “procuram” impotentemente ofendê-lo, tal a impermeabilidade da carapaça com que cobres o teu cliente.

    Pior que no pé, esse teu tiro, como muitos outros, alojou-se na virilha. Mataste a íngua com a língua. Fenómeno só visto entre a sociedade hermética dos contorcionistas basto batidos. Give me five.

  7. Valupi,

    Enquanto Abril não chega e o Louçã não é apanhado a tramar qualquer coisa na cervejaria Munique de Almada, inspira-te neste vídeo para aconselhares o teu amigo Sócrates e também para engrossares o cabedal que precisas para despachares o Carlos Santos quando ele vier aqui expelir as suas sabedorias de Oxbridge.

    http://wimp.com/weirdbanking/

  8. A comentários «respondidos» com perguntas responde-se com perguntas:
    Valupi, em tudo aquilo que eu disse sobre o Pinto de Sousa o que é que não é factual, para ti? E se não te importas, à medida que fores «refutando» os factos apresentados indica-me quais são as tuas fontes de informação, OK?

  9. Sócrates é um fenómeno, por isso é odiado. É apenas o melhor primeiro ministro que Portugal teve desde que me lembro. Mas há muito ódio insano por aí à solta, retrato do país esquizofrénico que somos. Que se foda, desde que seja Sócrates a ganhar novamente as eleições, metendo esses berdamerdas todos num chinelo, o Alegre e o Louçã à frente, logo seguidos do Pacheco e da Ferreira Leite.

  10. «É apenas o melhor primeiro ministro que Portugal teve desde que me lembro»

    Felismino,

    Para 5 aninhos já botas um corpo….

  11. Blondwithaphd, sem dúvida. E compete à cultura política dos indivíduos e organizações fazer a destrinça.
    __

    ESTACA, muito obrigado. O vídeo recomenda-se.
    __

    ds, entraste mal. Ainda não começaste a ser toureado e já estás encostado às tábuas. E depois trazes o desafio mais fácil do mundo. Cá vai: tudo o que dizes é uma mistela de mesquinhez, ignorância, má-fé, imbecilidade e insinuações. Mas o que me importa são as calúnias. O que afirmas é demasiado grave para passar sem reparo. Portanto, conta lá: atreves-te a atacar a honra de uma pessoa porque possuis provas do que afirmas ou porque preferes ser caluniador?
    __

    JVC, cegueira em relação a quê? Não te inibas. Se vês mais e/ou melhor, partilha com os teus concidadãos. Foi para isso que se inventou a democracia, para sermos uma comunidade cada vez mais justa.
    __

    Felismino, é isso.

  12. Valupi, pedi-te para refutares o que eu disse, não para não dizeres nada ou para apenas lançares insultos sem qualquer fundamentação, como seria de esperar. Se o desafio é fácil, não fujas a ele com novas perguntas, nem te refugies no vinho, como vem sendo teu hábito…

  13. Ressabiamento e má-fé tem quem não refuta factos (muitos inegáveis, alguns altamente prováveis, na pior das hipóteses) e que se limita a dizer que os outros são ressabiados e que estão de má-fé. Quando estiveres pronto para responderes, avisa!

  14. ds, tu lidas com factos “altamente prováveis”?… Isso explica muita coisa acerca do teu pensamento (ou falta dele). Mas não esperes complacência, porque a calunia não é, pura e simplesmente, aceitável. Se queres respeito, dá-te ao respeito. Primeiro informa se tu és um caluniador com provas ou sem elas. Depois, e na medida em que só vale a pena falar com alguém que respeite a honra alheia, poderemos entrar na conversa política. Por enquanto, estamos a tratar da ética. A tua.

  15. Valupi, quando responderes aos factos apresentados, poderemos então discutir epistemologia ou ética. Até lá não abuses muito do vinho, porque está visto que um dos seus efeitos é inverter a sequência a dar às perguntas e respostas que estão (perdão, estariam) em discussão.

  16. ds, mas eu estou a responder aos factos apresentados. É um facto que calunias José Sócrates. E tenho tentado que respondas a uma simples pergunta: calunias com provas ou sem elas?

    Mas talvez não queiras responder. Se for o caso, faz sentido. A calúnia e a cobardia andam a par.

  17. E o homem insiste… Tu tens tentado que eu responda a uma pergunta, e eu tenho tentado que tu refutes os factos que apresentei. Tu dizes que eu sou cobarde por não responder a uma pergunta; eu digo-te para não te olhares muito ao espelho, pois arriscas-te a ver a imagem de tantos cobardes quantos os factos que recusas refutar.
    Quanto a caluniar o trafulha, mentiroso e plastificado Pinto de Sousa, só te digo uma coisa, até para te ajudar a reveres essa tua ideia de que o homem é só virtudes políticas: «À mulher de César não basta ser séria, tem de parecer».
    Que o Pinto de Sousa não é um tipo sério está à vista de todos, agora que o gajo já nem consegue parecer sério só os bebâdos como tu não vêem isso… Cuidado com a ressaca!

  18. Aliás, quais são as ditas «virtudes políticas» do trafulha, mentiroso e plastificado? São, precisamente, ser trafulha, ser mentiroso e ser plastificado. O seu sucesso na política é apenas o resultado da adequação e aplicação na política da sua forma de ser na vida em geral. O gajo chegou ao poder e foi gerindo-o através da mentira e da manipulação. O homem diz que é de esquerda («moderna»), como dizia que era engenheiro, até que lhe foi descoberta a careca. É… como disse Lincoln, «Podemos enganar alguns por todo tempo, todos por algum tempo, mas não podemos enganar todos por todo tempo». De facto, o nariz do Pinóquio já cresceu tanto e está tão descoberto, que seria um milagre parecer o contrário…

  19. ds, és, factualmente, um caluniador. Isso implica que sejas também cobarde. Mas eu acrescento ainda outra maleita: és imbecil. Porque começo a perceber que nem sequer entendes o conceito de calúnia. (claro que entendes, estás só encostado às tábuas à espera de voltar aos curros)

    Fazes afirmações sobre a honra de uma pessoa que, ainda por cima, ocupa a função de primeiro-ministro. Na tua imbecilidade, nem te apercebes de que a ofensa é dupla. E que ofendes Portugal. E donde vêm as tuas acusações? Dos jornais? Das televisões? Tens um primo na Judiciária? És amante dum juiz? Ou bateste com a cabeça num poste e ficaste a saber o que se passou? Seja como for, dispensas as investigações, os tribunais e a lei. Queres viver no reino da calúnia, onde a justiça é servida nos televisores à hora do jantar. És patético e perigoso, mas mais patético do que perigoso.

  20. O grande imbecil aqui é quem não consegue distinguir o plano político do plano judicial. Mas acalma-te, pá! Descansa! Relax! Essa ressaca por que estás a passar e que te leva a vomitar uma série de insultos gratuitos há-de passar…
    E, meu caro, se as televisões andam a crucificar o teu querido cristo, a verdade é que também foram elas que o divinizaram, ou não fosse o homem apenas um produto de marketing, um politico palstificado. Quem com ferro mata, com ferro morre…

  21. oi pessoal, calma! Vamos todos precisar de discernimento e ainda falta muito tempo. DS, não é isso que andas a pensar, o Valupi não está de serventia ao Socrates mas está a pugnar pela sua defesa porque ninguém mais o faz, assim alimenta uma concepção ética de atitudes balizadas e o contraditório. Vamos lá todos andar serenos que o Sol não está para dores de cabeça,

  22. Distinguir o plano político do plano judicial, dizes com acerto. Aliás, eu a ti pensava muito bem nas distinções a fazer entre o plano político e o judicial. É que pode dar-se o caso de o plano judicial ter algumas implicações que estão a escapar ao teu plano político.

  23. Não sabia que lSócrates tinha personalidade, provavelmente adquiriu-a em saldos do freeport
    “Os alunos, assim livres da influência destes professores”
    Quais? Os que supostamente deram aulas na Universidade de inglês técnico?
    Que Valupi não pense pela sua própria cabeça , é uma opção sua e do seu dono, agora que queira tapar os olhos das pessoas é outra

  24. Porra gostam dele? Óptimo votem no gajo mas não pode haver quem o considere o pior que aconteceu em Portugal desde a implantação da República? Pois a mim parece-me e como não tenho jeito para rebanhos não voto num gajo que está a lixar o País

  25. Valupi

    Vale
    Antes
    Largar
    Uma
    Peta
    Incorrecta

    Não te percebo men até dizes umas coisas com piada mas quando te pões a falar de Sócrates parece que engoliste a cassete do Cunhal, agora posse de Augusto Santos Silva

  26. É OFICIAL —>> NUNCA OUTRO GOVERNO FEZ TANTO PELOS MAIS CARENCIADOS E OS QUE MAIS SENTEM COM OS EFEITOS DA CRISE MUNDIAL COMO ESTE GOVERNO TEM FEITO.
    Chamar medidinhas aos apoios à família, aumentar as pensões mais baixas, aumentar os abonos de família, o complemento solidário para idosos, as ajudas às famílias monoparentais, a acção social escolar triplicada, o maior aumento de sempre no salário mínimo nacional, o alargamento do 13º mês para os beneficiário do abono de família, o subsídio de maternidade, a isenção de taxas de saúde para os mais carenciados, a duplicação na comparticipação do estado na compra dos medicamentos para os idosos com pensões abaixo do salário mínimo, etc, etc, etc…

    CHAMAR MEDIDINHAS A TUDO ISTO REVELA UMA INSENSIBILIDADE SOCIAL CHOCANTE E HIPÓCRITA, UMA FALTA DE HUMILDADE ABJECTA E PULHA.
    NORMALMENTE SÓ QUEM TEM MUITO NA CARTEIRA É QUE ACHA ISTO MEDIDINHAS. MAS PARA QUEM NADA TINHA ISTO SIGNIFICA MUITO! SIGNIFICA MAIS DO QUE QUALQUER OUTRO GOVERNO TINHA DADO.

    —->> ANDA POR AÍ UMA OPOSIÇÃO MESQUINHA E LORPA QUE ATÉ O QUE SE PÕE NA MESA AO POBRE ELES COBIÇAM!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.