Só falta uma coisinha

Estes são problemas concretos das pessoas e que não podem ser resolvidos com ilusões ou com utopias, estes são problemas concretos das pessoas, que só podem ser resolvidos com uma mudança na orientação económica do nosso país, no sentido de aumentar a produção de bens que são susceptíveis de ser exportados ou de substituir aquelas importações que nós fazemos. Só assim será possível criar riqueza e criar empregos no nosso país.

Cavaco

*

É impossível discordar: os problemas que temos são concretos e das pessoas, para nada servindo as ilusões e utopias; estas podem ficar para os problemas abstractos que envolvam anjos ou animais. Fica só a faltar uma coisinha: que se diga quais são os bens susceptíveis de serem exportados ou substituírem as importações. O resto já temos: mão-de-obra disponível para pegar ao trabalho de imediato e empresários disponíveis para enriquecerem imediatamente.

O Professor Cavaco, que sabe tudo de economia e finanças, para além de ser um brilhante investidor, certamente não terá dificuldade em completar o recado.

15 thoughts on “Só falta uma coisinha”

  1. Dizes bem, Val, temos tudo. Até temos um presidente que se preocupa com os problemas concretos dos seus concidadãos. Fica-lhe bem. Mas…, cá entre nós que ninguém nos ouve, não achas que os portugueses deveriam apostar muito mais na fusão de pequenas e médias empresas, de norte a sul do país, à semelhança do que fez a Itália há décadas atrás, de modo a adquirir mais robustez empresarial para fazer face à concorrência e desafios dos mercados? E, já agora, apostar mais no Design, na qualidade dos produtos… Investir no Design a partir da escola básica… Já pensaste nisso? Eu sei que sim.
    E AGORA?

  2. Quando se ouvem pérolas destas, é difícil discordar do Saramago quando ele se referia ao Cavaco como o “génio da banalidade”…

    Por outro lado, ao dizer que os problemas só podem ser resolvidos “…com uma mudança na orientação económica do nosso país..” vêm à memória os célebres planos económicos de países com regime ditatorial, onde no papel se delineavam estratégias de crescimento económico avassalador, que acabavam em pó…

  3. Como diria o MST, o homem consegue dizer aquelas banalidades e colocar um ar eloquente de quem está a dizer uma coisa importante.
    É assim que consegue os votos da maioria dos seus eleitores. Com banalidades indesmentíveis ou verdades de La Pallice tão do agrado das pessoas simples.

  4. Mas nós já temos um mercado de exportações pujante – exportamos políticos e técnicos altamente qualificados. Como na maior parte dos casos a formação de uns e outros nos sai do pêlo só temos de conseguir descobrir a forma de nos pagarem por isso.

  5. Teresa, fizeste-me pensar na possibilidade futura de os primeiros-ministros serem transnacionais, olha, como os treinadores, como o Mourinho. José Sócrates está a ser formado numa das escolas mais exigentes… passando os testes mais difíceis. A sua cotação deveria dar direito a candidatar-se às eleições, deixa cá ver… do Reino Unido?

  6. É mesmo assim. Fabricam-se cá dentro tipos como o Dias Loureiro e depois exportam-se para Cabo Verde, e investe o que “angariou” no BPN num Resort de Luxo… Com “amigos” destes não precisamos de inimigos.
    Já agora? Como se faz “…uma mudança na orientação económica do país”? Será com uma ditadura (do proletariado, ou da outra)? Será com uma Guerra Mundial? Será acabando com “os velhos” que estão a gastar o erário público? Será correndo com toda a corja de mamões que existem a chupar nas tetas do Estado? Será que o Sr.Candidato a Presidente, ou Presidente em campanha, tem noção do que manda para o ar?

  7. Estou com o Margarido Teixiera :
    – o que é ” uma mudança na orientação económica do país ” ? Alguns dizem mesmo mudança de modelo.
    O Professor Cavao, tão sábio, devia-nos explicar.
    Não seremos sábios mas burros não somos.
    Bom fim de semana.

  8. Ainda por cima é um discurso venenoso em que Cavaco deixa no ar a ideia de que nada tem sido feito em matéria de exportações, e não é verdade. Por exemplo, com o Governo de Sócrates, Portugal passou a exportar mais tecnologia do que a que importa, por incrível que pareça.

  9. Para min este Cavaco creio que tem toda a face perfeita para ser o secretario de Bieito XVI. Ora, isse ton pausado, essa espiritualidade e serenidade na face , esas palavras sobor do sexo dos anxos, ficam o jeito vaticano, dito seia com tudo respeito pelo nobre estado,
    Estarei coa influência da visita da sua santidade amanha a San-Tiago de compostela.

  10. Penélope, para o Reino Unido não diria que por lá exige-se o sentido de humor que falta por aqui mas era capaz de dar um bom chefe da casa civil na Casa Branca.
    Políticos transnacionais acho uma excelente ideia. Até acho que devia ser por concurso público internacional – o Parlamento aprovava um programa de governo e abria-se concurso para a execução; os ministros, ou administradores, eram responsáveis civil e criminalmente tal qual os gestores e administradores de sociedades e, a ponderar, poderiam ter que prestar caução.

  11. Estas coisas ditas por um tipo que quando foi 1º ministro destruiu o aparelho produtivo,não investiu,na formação dos portugueses,entregou os dinheiros da UE para a formação aos seus amigalhaços.
    Abençoada hipocrisia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.