6 thoughts on “Serviço público”

  1. Esta é a nossa Justiça a funcionar … felizmente o acordão foi elaborado por
    uma desembargadora só faltou acrescentar que a vítima estava mesmo a
    pedi-las naquele sítio não podia desmaiar estavam lá os “integrados”!!!

  2. Há um detalhe nesta estória que ainda não consegui esclarecer: quando dos factos a senhora em causa estava “inconsciente ” por ter perdido os sentidos ou por não estar em condições de compreender o que se estaria a passar?

  3. Um (ou uma) já está escandalizado: não houve violação?
    A sra. Fernanda quer uma indignação e o rebanho indigna-se. Os oligarcas ideológicos querem uma causa e as pessoas dizem ámen.

    Não, não houve violação. Foi praticado outro crime e eles foram condenados por esse mesmo crime. O que está em causa neste acórdão foi simplesmente a suspensão da pena efectiva de prisão. Na fundamentação vêm explicadas as razões da suspensão da pena (aspecto que a notícia do panfleto político nem abordou).

  4. Retiro o pedido de esclarecimento do meu anterior comentário. Na altura não tinha conseguido “entrar” na totalidade do artigo linkado. Assunto resolvido e dúvida esclarecida.

  5. Ó pinto, tem cuidado quando beberes muiitoo, podes ter a mesma sorte que ela…

    Atenção não digo que merecias ser violado, digo que merecias quando viesses a ti, ter um amigo teu a amparar-te para não caires por teres as calças em baixo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.