4 thoughts on “Sentir as pessoas”

  1. mas como é que alguém que faz da política profissão pode ser inimigo do povo? mais: como é que alguém que diz interessar-se pelo sentir das pessoas, pretensão do que é ser política, pode ser inimigo do povo? às tantas terá dado um significado próprio a populismo e então estaremos, de facto, perante um demagogo invertido, não que sente, que apalpa o pulso do povo. porcaria.

  2. Este fulano faz me lembrar o tempo em que num determinado clube se faziam torneios de captação. Apareciam por vezes um ou outro “atleta” com aquilo a que na altura se denominava “estampa atletica”. Depois e quando se viam a executar não sabiam chutar, nem executar minimamente o futebol. Alguns e a muito esforço lá iam prosseguindo na “carreira” mas nunca seriam nada no “oficio”.
    “Este tem pinta mas não vai lá” – diziam os velhos que assistiam aos treinos….

  3. seguro no seu manifesto eleitoral na pagina 15 diz: realizaremos plenarios de militantes em todas as federaçoes.ouviremos mais para decidir melhor.queremos um partido a funcionar da base para o topo e não o contrario.queremos militantes activos e participativos e não apenas figurantes de eventos mediaticos.fim de citaçao. pergunto quantos plenarios já efectuou desde que foi eleito. conversas de circunstancia com as pessoas na rua,não é a mesma coisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.