Se o Pacheco fosse um intelectual a sério

Aqui há umas semanas, ex necessitate rei, ofereci às autoridades académicas, e outras instituições de interesse público, uma análise profunda, rigorosa e definitiva sobre o Pacheco. Inspirado nesse magnífico retrato, um tipo que ninguém conhece, um tal de Pedro Magalhães, director não sei do quê num organismo muito duvidoso de sigla UCP (Unidade Colectiva de Produção, será? Pelo ódio com que o CDS se refere a esta UCP, deve ser), resolveu tentar imitar-me, mas com um texto muito fraquinho. Seja como for, esse texto fraquinho foi suficiente para deixar o Pacheco em reclusão durante vários dias. Abandonou tudo: o paranóico Índice do Situacionismo, as trombetas apocalípticas que anunciam o fim da democracia, as desasadas loas acerca da Manela, as cobardes insinuações da Zone of Danger, os xaroposos Momentos Chavez e até o novel peido chamado Se Portugal fosse um país a sério. Tudo abandonado, posto em causa, deixado ao Deus dará. E eis que, numa iluminação paulina, Pacheco cai de cima do burro, cega durante 4 dias, e renasce para o seu primeiro elogio ao Governo — é ler para crer!

Agora sim, o mundo deve estar perto de acabar.

13 thoughts on “Se o Pacheco fosse um intelectual a sério”

  1. “ofereci às autoridades académicas, e outras instituições de interesse público, uma análise profunda, rigorosa e definitiva sobre o Pacheco”

    LOLOLOLOLOLO!

    QUEM DISSE??????

  2. Tudo indica que temos um Pacheco renascido, mas sem descuidar os seus traços característicos: pois que elogia o Ministério da Saúde mas não consegue desistir das suas teorias da conspiração e da fuga orquestrada de informações.

    Apesar disso, não deixa de ser surpreendente porque com a treta toda que o Pacheco tem, se fosse preciso, até o vírus conseguia elogiar.

  3. fartei-me de rir foi com o youtube onde o Marinho Pinto chegou para a Moura Guedes, até que enfim que o botox tremeluziu!

  4. Ai estás então porquê?

    Isso deixa-me preocupado a mim! Se essa tua preocupação for efeito do vinho está tudo bem!, mas se não for, então, fico deveras preocupado.
    Pois a tua preocupação poderia levar alguns a pensar que me dou com gente da tu estirpe! Bem vês, diz-me com quem andas …..

    Assim, agradeço que não fiques preocupado comigo, isso sim é que me preocupa!

  5. Val, há gente tão necessitada que nem antena tem para a ironia. Também não iriam lá com cabo… Este Ibn, então, só a perceberia com boneco e legenda em português fácil.

  6. Se Pacheco fosse um intelectual sério?

    Nunca o foi. Não será agora.

    Burro velho não aprende línguas.

    Não percamos tempo com tão ruim dono!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.