Saturday Press Fever

Sol, Expresso, Público, Correio da Manhã, 24 Horas, Visão, Sábado, TVI e SIC dão trabalho a profissionais responsáveis pelas notícias, editoriais, direcção e administração. Toda essa minha gente tem nome e família (isto é um supónhamos). Não será também exagerado antecipar que possuam algumas noções básicas de moral, ética, deontologia, direito, jurisprudência, cidadania, civismo, dignidade e bem comum. Estas são as minhas suspeitas, pelo que me permito elaborar a hipótese de este pessoal saber o que faz e achar bem que se faça assim. Já tenho menos suspeitas (aliás, nem uma) de que eles se consigam aguentar à bomboca caso a sua privacidade entre em regime de devassa pública.

Entregar a chefia da investigação aos noticiários, como advoga o Pacheco, corresponde à anulação do Estado de direito. Quero só lembrar que estamos perante um dos principais temas tratados por Ésquilo, um gajo que escrevia tragédias.

19 thoughts on “Saturday Press Fever”

  1. Hoje a política profissionalizou-se e proletarizou-se. Recruta pessoas maioritariamente da classe média (quem comprou um andar a 30 anos e um carro de 20.000 euros já é classe-média!). É quase irrelevante ser governado pelo PSD, o CDS, o PS ou, arrisco mesmo a dizer, o PCP. Qualquer das propostas políticas que apresentam é boa se for levada a cabo efectivamente, pois todas se propõem pôr a economia ao serviço do povo, melhorar a educação, etc., isto é, todos se propõem inverter a lógica actual da governação. Uma vez chamados a governar, todos sucumbem à tentação dos desvios, e só não procedem de uma maneira totalmente egoísta, como na Somália, porque têm receio ser afastados do Poder.
    De facto não existe agenda política, isto é, todas as agendas políticas são iguais. Chegámos ao neoliberalismo por isso mesmo, como sedimento das práticas de direita e de esquerda baseadas no egoísmo do indivíduo político, num ambiente marcado pelos “investidores de referência” que o condicionam e que o fascinam. Não me parece fácil que se venha alguma vez a evoluir para um status da política, em que os cidadãos estejam dispostos a fazer trabalho político sabendo à partida que vão ganhar 1500 euros por mês e ter uma reforma de 1000. É que a motivação ideológica já não existe, e é ela que faz um indivíduo prescindir dos seus tempos de lazer para ir às reuniões da Junta de Freguesia ou do Partido sem perspectivas de alguma vez vir a beneficiar individualmente alguma coisa com isso. Ressalvo os casos daqueles que vêem no estatuto de político um benefício suficiente, os provincianos vaidosos!
    Finalmente entrámos na fase de recrutar para lugares de maior responsabilidade políticos já algo “chamuscados” que são as pessoas mais tributáveis (como dizia Fernando Pessoa), isto é, mais vulneráveis à chantagem e por isso mais dispostas a agir numa lógica de “perdido por um, perdido por mil”. São os decisores mais desejados pelos “investidores de referência”.

  2. 1. não gosto de ser definitivo, taxativo sobre quem quer que seja…

    mas esta campanha dos “poderes” e das “corporações” coloca-nos varias questões de ordem pratica e de defesa da democracia…

    agravado, potenciado tambem, por intervenções da presidencia contra outros orgãos de soberania, no caso AR…

    2. jà no passado próximo, directamente, via “fontes” e agora “amigos”, a presidencia não consegue dissimular uma forte tentação pelo poder interventivo da governação.

    3. E nada disto é inocente, porque muita da direita, em muitos lados, é radical, não é solidaria, e por vezes nem olha a meios, para atingir seus fins…

    4. Penso que estamos numa fase critica da nossa vida politica, “defender” Sócrates contra estes ataques cobardes,

    nem é por politica,

    mas em defesa de um minimo de principios de organização democratica que queremos deixar nosos filhos.

    5. Felizmente há ainda alguma direita de principios, valores,

    mas com pena, vejo que com PSL, PP e PP, CS, a inefavel Senhora, os golpes voltam ao debate, e dificultam pais de sair da crise com menos custos…

    abraço

  3. Última hora: soube-se hoje que o filho de Sócrates foi apanhado a fumar um charro. De acordo com observadores ligados aos profissionais do ramo, alguém ouviu um dealer desabafar para um amigo: “Este foi pago com dinheiro do Freeport!” O cerco a Sõcrates e a familiares está cada vez mais apertado. Não percebo o que andam a fazer a Procuradoria e a PJ !

  4. Salvé O valupi. Oh homem tu contém-te antigamente era só o Zé Manel, o Público e o Pacheco, agora são quase todos. o que resta a nossa RTP, o nosso DN e a nossa TSF?

    lembras-te daquela musica do Rui Veloso? “… parece que o mundo se uniu para me tramaaaaaar…”

  5. mas portanto Heredia na sua opinião não há alternativa, é assim, é a vida! Prefere a comodidade de uma visão pessimista bem conformada, onde não arrisca nada, a dizer algo que a contrarie. Cómodo, não? Não tenha é ilusões sobre a sobrevivência porque não é difícil projectar onde esse seu estado de coisas vai levar.

  6. valupi: o que é um “bem comum” nos dias que correm?
    deve ser a chuva que apanhei a caminho daqui.

    o M.Heredia faz um diagnostico acertado; falta encontrar a solução para reanimar o moribundo, sem utilizar placebos, como disse e muito bem, (desde o CDS ao PCP) enfim, todos os fregueses que vão para “O” parlamento apenas para se sentarem,
    há uma diferença num novo paradigma possivel: o multiparlamentarismo descentralizado – estão a ver a cena? aqui de Santiago não vai ninguém alistar-se na Nato senão perde direitos cívicos. ninguém compra artigos produzidos por empresas sionistas, etc, vamos a votos, por tudo e por nada, que a internet facilita os procedimentos

  7. A boa política comandada por motivação ideológica imaginada pelo Manolo Herédia (é alguma coisa ao hair stylist londrino?) mais a ditadura saloia do xatoo são de gargalhada. Que líricos!

  8. Ó Nik, eu disse precisamente o contrário: ” a motivação ideológica já não existe”. Não defendi a tese de que devia existir. Na verdade acho que nunca existiu realmente; na origem da Revolução Bolchevique ou da Comuna de Paris não estiveram ideologias, mas sim a fome e a injustiça. A ideologia é um subproduto das crises. Ninguém tenta mudar o rumo da sua história quando tem a barriga cheia, e as pessoas são todas egoístas. As crises económicas (leia-se da paparica) são os motores de mudança social. Talvez os motores mais poderosos.
    Eu escrevo aqui na qualidade de comentador, não sou ideólogo, não tenho que ter soluções para as crises, não tenho essa pretensão. Até porque concordo que “é o Homem que faz a História, mas não sabe a História que faz”, como dizia o guru.

  9. não é ditadura digital mas aumentar a democracia digital sim, por exemplo estes projectos têm que passar a estar em consulta on-line para apresentar reclamações, que podem ser entendidas como votos fundados e contabilizados na participação pública, além de que a exposição pública dos agentes (as coisas têm que vir assinadas não é essa coisa anónima dos serviços) desencoraja muita corrupção

  10. (tem muita fofoca, eu ao Obama dou isto: 1/0=∞, e que não esqueça que é vindo da direita para a esquerda que vai parar a ∞)

  11. Já Agora: rebusquem lá no vosso Imaginário … que terra é essa Alcochete???

    Pois. Se por acaso O Socrates recebeu dinheiro pela viabilização do Projecto, digamos que é impagável, ou está muito mal pago o facto de terem ordenado a retirada p. exemplo do HOTEL do empreendimento. Y não é por perturbação aos passarinho, claro, né. É mesmo por ser um disparate comercial. Uma idiotice profunda y ruinosa. Só mesmo uns Idiotas y Ingleses, com veia apurada para a imbecilidade incluiriam um HOTEL. Que é que Paga essa ato ao Socras??? Pois. É impagável. Perguntem a qq ser da margem sul o sentido de existir um Hotel naquele Lugar… RISOTA PEGADA. UAU! o imaginário Inglês é mesmo divertido.
    É! É mesmo Issso andou o Homem a salvaguardar que aquele negócio fosse o menos ruinoso possível para aqueles idiotas dos investidores Ingleses y RECEBE agora este Embrulho. Epá. Esta Estória é ridícula. Por Favor não desempenhemos o Papel de Uma Sociedade Civil Ridícula, ao ponto de todos andarem a fazer análises todas pinoca – por tudo quanto é lado – que não nos fica bem dar seriedade, tanta seriedade a esta papa ridícula y disparatada y bronca. Investir a mente em assuntos DIGNOS está na Hora!

    PS.: Valupi: e he he ehe Genial … a alma do teu post …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.