Santos Silva has left the building

Augusto Santos Silva deixa o Parlamento e regressa à academia. Agora sim, o ciclo iniciado em 2005 está terminado. E não há na política portuguesa outra figura tão poderosamente acutilante como este malhador. Por isso, e de uma forma ainda mais profunda e desesperada do que com Sócrates, foi tão odiado pelo Cavaquismo.

11 thoughts on “Santos Silva has left the building”

  1. Se eu soubesse quem é essa eminência entre pares de mamas políticas e académicas talvez fosse capaz de escrever umas linhas para rebater a tua opinião a respeito dela, mas como não sei fico-me por aqui todo contente porque cumpri o meu dever matinal de te provar que tens um leitor assíduo.

  2. Penso que o que se passa é muito mais que o fechar de um ciclo. Até para o PS. Sócrates representou a mudança dentro do PS e para o País. Talvez muito mais para o país. Creio até que descurou o partido, porque vi um PM empreendedor como a democracia nunca vira e o partido foi deixado entregue à sua pequena história, tendo contemporizado com ela. Talvez por ter sido atacado de forma tão brutal pelas oposições, não conseguiu evitar os “submarinos” internos. E assim podemos constatar que o país mudou a sua face em muitos sectores e o PS pós-Sócrates está igualzinho ao que sempre foi. Até doi verificar esta realidade. E se o país já não pode voltar atrás nas reformas levadas a cabo, o PS pode dissolver-se numa sociedade saturada de politicos politiqueiros. Passos e Seguro são dois exemplares politiqueiros perfeitos e depois deles a nossa politica será forçada a mudar de rumo, porque estamos a chegar ao fim da linha. Aliás, como parece ser o caso da própria europa.
    Um homem sem poder efectivo, lá fora como cá dentro, Sócrates, disse para quem o quis ouvir, a propósito dos ataques ferozes dos mercados sobre as economias, que “isto tem de acabar e acaba já aqui” . Foi numa conferencia de imprensa, creio que em Bruxelas, enquanto lutava para travar o nosso “desnecessário” resgate. Falou sozinho, perante a politiquice rasteira, míope e acobardada, portuguesa e europeia. Os resultados de a “coisa” não ter acabado e não ter acabado já ali, estão à vista, lá fora como cá dentro.
    Sirvam-se, meus senhores, que o banquete da asneira e do salamaleque está a chegar ao fim. Até o “sorriso das vacas” do presidente economista se vai apagar.
    Santos Silva fez muito bem regressar à sua universidade e Sócrates mergulhar na filosofia.

  3. Algo de facto vai mal no nosso reino da Dinamarca (PS) para que Santos Silva abandone a intervenção politica activa. Ele que tantos combates travou contra a mentalidade serôdia e provinciana no país e no partido. A maior parte das vezes – como aliás, Sócrates – com prejuízo da sua “imagem” .
    Esta saída é prova suficiente, para mim, de que o rumo do PS pós-congresso é de ruptura com o legado dos governos de Sócrates. É com extrema tristeza e desespero que agora o constato, pois antes do congresso ainda dei o beneficio da dúvida sobre as intenções de A.Seguro. É pena pelo País!

  4. Faço votos (quase) sinceros para que pelo menos dois dos comentadores de “caxa” que por aqui se entretêm tenham médico de família, seguro de saúde ou no mínimo familiares atentos à saúde mental. Já aqui li a sugestão de que fizessem um show lésbico – não sei se com os mesmo protagonistas. Mas podiam ser…

  5. Show lésbico com o teu nome, José Maria, já é caminho meio andado. Portanto daí podemos ficar descansados. Depois o que há a negociar é essa coisa do protagonismo, pois não tenho a certeza se teremos fundos pra isso.

  6. Eu acho piada como em portugal se considera um homem perfeitamente banal e arrivista, um semi-deus apoteótico. Que vulgaridade de homem: tão eminente académico, e publicações internacionais… zero! O povo, que é estúpido, engole esses discursos, mas creio que talvez não tanto em próximas gerações. Eminente académico nos tempos da outra senhora, em que a carreira progredia escandalosamente à escala temporal – não quer dizer que hoje isso não aconteça, mas há um certo sentido em se obrigar os académicos a trabalharem. Este senhor nulidade nunca fez nada na vida: foi 3 vezes ministro, e dessas 3 vezes, tudo ficou na mesma nos ministérios que presidiu. Sim, parece que publicou umas banalidades no Jornal de Notícias e no Público, mas isso não é ser académico, e muito menos competente. Qualquer arrivista esmerado no seu arrivismo, é capaz de fazer o mesmo. E este videirinho, pelo trabalho prestado a si próprio, um dia destes ainda é condecorado. Escrevam o que vos digo.

  7. NAS, referes-te ao carcamano do blogue fedorento, ao que não tem fundilhos, desculpa, fundos mas que se “pica” ou estas a tergiversar?

  8. Santos Silva deve ter concluído que com ‘esta gente'( Seguro, Passos,Cavaco e… e…suas ‘entourages’) não vale a pena o esforço. Como diz o ditado : é deitar pérolas a porcos ! (agora está na moda falar-se em vacas , porcos e outras estrumeiras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.