Quem tem ganhado com a desconfiança?

Talvez seja este o gráfico mais relevante acerca de Portugal entre todos os que o POP apresenta. Abaixo de nós em desconfiança generalizada – portanto, consciência de se viver numa comunidade desagregada e ameaçadora – só os coitados dos búlgaros. No topo da lista, os vencedores do costume quanto à qualidade de vida nas suas sociedades. Curiosa, e ainda mais na comparação com Portugal, é a posição da Espanha, acima até da Alemanha.

Razões para esta ordenação serão aos molhos, a começar pelo questionamento acerca do rigor e representatividade do que o gráfico mostra. Todavia, não custa concordar com a ideia, por mais vaga que seja: os portugueses são desconfiados, e tão-mais quão menos assumem a sua cidadania. A cultura do queixume e do retraimento medra na iliteracia, no abandono escolar, na desqualificação e nos baixos salários. Por sua vez, a oligarquia explora de formas variadas a miséria reinante, numa luta implacável pelos poucos recursos disponíveis. Veja-se o que a direita portuguesa fez desde 2007, quando o seu império bancário desaba quase todo com os casos BPN, BCP e BPP, e como tratou a população assim que meteu as beiçolas no pote. De manual, gasto de tanto uso.

A esquerda portuguesa tem sido parte principal desta dinâmica erosiva, pois o PCP tem mantido desde o 25 de Novembro o estatuto de partido semi-clandestino. Com isso deu azo a que satélites como Louçã tivessem sucesso com variações de tom mas igual estratégia: destruir o PS a partir do discurso da desconfiança. Para cúmulo, a imprensa alinhava a agenda da direita com a manipulação dos imbecis úteis, resultando num constante berreiro de baixa política e numa florescente indústria da calúnia. O aumento das disparidades e a miséria reinante em grande parte do País, apesar dos enormes saltos positivos desde o 25 de Abril, explicam este sentimento de impotência e ressentimento que moldam a vida pública. A actual experiência de coligação parlamentar permite ter sustentadas esperanças de que se tenha mudado o paradigma, mas ainda é muito cedo para o descobrir.

Espaço enorme, autêntica ágora à disposição de quem quiser, para introduzir na comunidade a semente, o fermento ou até a poção mágica da confiança. Mas não pela converseta, antes pelas acções – pela coragem da sua inteligência, e pela inteligência da sua coragem.

29 thoughts on “Quem tem ganhado com a desconfiança?”

  1. Um país que aceita com normalidade que se anuncie, sem um protesto, que a acusação contra o Engenheiro Sócrates só apareça lá para 15 de setembro explica bem essa desconfiança.

  2. A qualidade de uma democracia mede-se pelo vigor com que se debatem diferentes visões da sociedade e as diferentes interpretações do funcionamento das suas intituições. O contraste entre a reação à operação Marquês e reacção à operação Lava-Jato e ao processo de impeachment colocam a maturidade da democracia brasileira anos-luz à frente da portuguesa. É inaceitável que uma esquerda digna desse nome permita, sem pestanejar, a acção de uma trituradora mediático-judicial sobre qualquer cidadão. Menos ainda alguém que procurou dar representação política os seus valores.

  3. percebi nadinha do gráfico e fiquei desconfiada da diceologia do POP. :-)

    mas o que interessa mesmo é digerir a mistura da inteligência com a coragem que desagua no verbo fazer. amei.

  4. Esta “operação Marquês” deve ter sido uma encomenda e, tem sido muito mal
    conduzida, conseguiu mostrar quanto fracas são as magistraturas, melhor muitos
    dos magistrados! Qual o Estado de Direito em que um cidadão é investigado du-
    rante mais de três anos, nos quais passa quase um ano em prisão preventiva e
    se ultrapassa o prazo estipulado na Lei para conclusão do inquérito em largos me-
    ses … e, a campainha não toca para acordar quem ponha fim à bagunça???
    Ninguém pode estar acima da Lei tão pouco, abaixo da mesma, se não houver uma
    acusação fundamentada quantas cabeças devem rolar, desde a PGR, seus ajudantes,
    juízes que tiveram contacto com o processo, etc. etc. esta será a questão ???
    Depois, resta saber o que se vai passar na partidocracia ou seja nos fabricantes das
    Leis que permitem este tipo de actuação e, finalmente, que dirá o prof de Direito
    Constitucional que, está no Palácio de Belém e deve prover o regular funcionamen-
    to das instituições democráticas ???

  5. No Brasil o Justiceiro já está de joelhos a pedir perdão para ver se evita ser julgado pelo Supremo e apanhar 4 anos de cana !
    Por cá o regabofe continua !
    As decisões de um processo que continua em segredo de Justiça externo são comunicadas à Comunicação Social amiga antes de o serem à defesa dos arguidos. As peças processuais em segredo de justiça externo são exibidas (eventualmente de forma manipulada ou truncada) pela Comunicação Social amiga. O prazo legal para acusar ou arquivar fixado por um Tribunal superior há muito expirou, e o DCIAP continua a marcar prazos atrás de prazos (que não cumpre) e que são completamente ilegais.
    Com tudo isto fica provado à evidência que imputaram crimes e prenderam preventivamente um cidadão de forma ilegal durante 11 meses, e continuam ilegalmente a manter esse cidadão sob suspeita para além de todos os prazos legais.
    E tudo isto perante a passividade e indiferença de TODOS os outros orgãos de soberania e da sociedade em geral.
    Isto um dia vai acabar tão mal, mas tão mal ….

  6. E … era também para dizer que o título desta posta tem um erro.
    Não é “quem tem GANHADO” é “quem tem GANHO”, penso eu de que …

  7. Reparem nesta pérola do Jornal Observador:

    “A razão para esta mudança de ideias, que terá a aprovação do diretor Amadeu Guerra, prende-se com um receio de contaminação que o insucesso de uma primeira acusação poderia provocar nos restantes inquéritos. Isto é, caso o Tribunal de Instrução Criminal não decidisse por uma pronúncia para julgamento ou caso um tribunal de primeira instância absolvesse José Sócrates em julgamento, tais decisões poderiam ter um efeito dominó nos eventuais novos inquéritos”.

    COMO ? Importam-se de repetir ? Estão com MEDO ? mas então os indícios não eram arrasadores ? a prova não era sólida, não tinha sido ainda mais consolidada ? cristalizada ? fossilizada? e com o Correio /Televisão Manholas a difundirem a fé de que o homem é culpado de todos os crimes?
    E nem assim estão confiantes que os juízes das 1ªs instâncias assinem de cruz a tão desejada condenação ?
    Ai, ai, ai …

  8. Con permisso, ó Jasmin das 21.09!
    Pensas tu mas pensas mal! Olha aí os particípios passados!
    “o processo estava ganho”; “só é ganho na barra do tribunal”.
    “o que é que eu tinha ganhado com isso?”; “não havia ganhado absolutamente nada”-

  9. A anedota do dia:
    http://expresso.sapo.pt/politica/2016-03-31-Parlamento-vota-hoje-condenacoes-a-Angola

    A grande evasão com o cinismo como pano de fundo e um pingo de cobardia disfarçada a esquerda do quadro.
    E a politica facebook (e não só) estamos perto do que é longe para evitarmos olhar para o que nos rodeia. Like Mandela, like Luaty, Like the Pandas. I hate my neighbor. I just wanna be trendy.

    So resta apelar ao deputado do Pan para q proteste veementemente contra os maus tratos dados ao elefante que está no meio da sala da democracia.

    Quem ganhou com a desconfiança foram os poderes não escrutinados, o mediático e a justiça, que foram os seus instigadores em conivência com uma burguesia instalada nos interesses de Estado.
    A esquerda houve uma demissão e o Poder tem horror ao vazio.

  10. poizé, ò estrumer. ainda não vi nenhum partido no parlamento inquirir o governo sobre o caso sócras ou propor uma moção de repúdio pelo forma como a justiça tem actuado. o bloco de esquerda, sempre atento a luaties e similares bem poderia dar o exemplo para “embaraçar o costa”.

  11. Jasmin não passava nos exames se ainda tivessemos o racista do Passos.

    Sem o apuramento da raça dos estudantes , é que as pessoas não aprendem gramática.

    Ai-costa-costa!

  12. Ignatx, a iniciativa e conjunta com PS. porquê apelar ao BE se existe aqui no blog uma deputada tao sensível ao direito das minorias sobre as quais escreve textos tao bons e pertinentes? Para que olhar tão longe?
    A questão é que esta é uma espécie diferente de minoria, uma minoria de um só, que pode ser confundida com a defesa de uma perseguição política. Ora tal é por definição impossível num estado convencional de direito. Mesmo que exista e impossível, so em Angola. Mas quem sabe, às sextas-feiras The Sun also rises.

  13. Ó jogatana
    Porque é que não vais brincar um pouco no recreio?
    Talvez lá te divirtas com o coelho, esse bicho que também pouco sabe de gramática.

  14. Ignatx, não, não é para entender. Tava a chutar para a Isabel ca do blogue, so isso. O BE só entala o Costa quando der votos.

  15. Valupi, eu fui contemporâneo dessa moda. GANHO em vez de ganhado surgiu quando as moçoilas passaram a escrever os ii e os encimavam com uma bola enorme, a moda veio para ficar nas TV’s e dessa geração deve ser a Jasmim.

  16. Nada de especial, sou apenas um leitor diário do Aspirina B e que até está disponível para ser sócio-fundador da AAPV-S/CM que se compromete a ir às AG’s mas sem funções de direcção e no conselho fiscal.

    Nota. Associação de Amizade Portugal-Valupi menos Sócrates/CM, fica a sugestão. Como vês, ficariam auto-excluídos alguns e algumas dos/as que se enchem de coragem nos momentos quentes, mornos e frios dessa batalha eterna aqui e nos lugares do estilo (leio os quentes, apenas). Mas seriam todos convidados.

  17. A Jasmin passou sempre nos exames todos e nunca subornou os profs, mas os exames de português foram nos tempos longínquos da escola primária e do ensino secundário. Depois disso tive de arranjar espaço para muito mais conhecimento. Tive de arrumar certas gavetas e deitar muita tralha fora. Não, não sou da geração das moçoilas, quem me dera !

    Por falar em moçoilas … as do BE não falam do “preso político português” porque o Tony Costa as convenceu a ficar caladas. O Tony encanta as gajas com o toque de um pífaro rasca mas eficaz. Até a Cristas já vai atrás do toque do pífaro … e só vai haver oposição porque o Coelho não vai ser substituído por uma gaja. Se fosse está visto que seria tudo do Costa …
    Um dia o Manholas ainda há-de meter na capa qualquer coisa como “As mulheres de Tony Costa”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.