Que se lixe a oposição

O PSD é o único partido a subir na estimativa de resultados eleitorais, se neste momento se realizassem eleições legislativas, de acordo com os dados do barómetro de março de 2013, do CESOP/UCP, para o DN/JN/Antena 1/RTP.

Com mais quatro pontos percentuais que em setembro de 2012, o PSD regista agora 28% da intenção de voto dos inquiridos, depois de distribuídos os votos dos indecisos (ver ficha técnica).

O PS não capitaliza eventuais descontentamentos com o Governo, mas também não desce com a subida dos sociais-democratas: 31% (como também em setembro) – que se traduz numa diferença que estatisticamente já não é significativa entre os dois partidos.

Há um dado relevante neste barómetro: o trabalho de campo da sondagem foi realizado nos dias 9, 10 e 11 de março, uma semana depois da manifestação que reuniu centenas de milhares de portugueses nas ruas de 40 cidades.

Fonte

6 thoughts on “Que se lixe a oposição”

  1. A estabilidade do PS indica que o povinho não tem aderido à “nova” forma de fazer politica da inutilidade politica do século.
    A subida do PSD, depois de tudo o que ofereceu aos portugueses, em baixa politica, farsantes, saques e falhanços, só pode significar que continuamos a ter uma grande percentagem de idiotas inscritos nos cadernos eleitorais.

  2. Se em Portugal a estupidez pagasse imposto, tínhamos o défice resolvido.

    A distribuição dos indecisos e dos que não respondem proporcionalmente às intenções de voto dos que responderam à sondagem não é correcta, e tem sido aliás a razão por que os resultados eleitorais são quase sempre diferentes das sondagens. Neste caso, é altamente improvável que os que se declaram indecisos ou que não respondem irão votar no PSD.

    Causou-me grande estranheza o facto de não indicarem o número de eleitores indecisos ou que não respondem. Mas mais abaixo, em letra pequenina, pode-se ler: «A taxa de resposta foi de 46,7%». Convém reter este número.

  3. Outros dados

    Governo PSD+CDS 33%

    CDS 5%

    Dois dados a ter tambem em conta.

    E tambem o já referido 46,7 de respostas , na sondagem de Setembro passado, em que o PSD tinha perdido 12 pontos, quantos terão respondido?

  4. Governar ou fazer oposição pelas sondagens não é receita que se recomende, pois estas podem ser adulteradas facilmente e, por cá, já estamos habituados a que as sondagens não se aproximem da realidade nas votações.

    Mas, verificar que a esquerda (toda) e o PS em vez de ganharem terreno se encontram pregados ao chão, e até regridem, tendo pela frente um governo desatrado e uma crise económica do tamanho do mundo, é paradoxal!

    Qualquer líder de uma qualquer oposição num qualquer país do mundo já há muito teria arregaçado as mangas e andaria a capitalizar o descontentamento, propondo alternativas, criticando construtivamente ou opondo-se frontalmente à destruição do país.

    Cá por casa, não! A esquerda continua a atirar calhaus à esquerda, deixando a direita respirar e reorganizar as hostes para tentar levar a água ao seu moinho! Se isto não é ser colaborante, não sei de facto como lhe hei-de chamar…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.