Princípio de Peter

O destino de Queiroz será decidido hoje e no dia 7. Se Portugal ganhar ao Chipre e à Noruega em piloto automático, o azarado treinador perderá o apoio dos que alinham na sua vitimização, na sua irresponsabilidade, na sua tonteira e na sua incapacidade para chefiar homens. Já para chefiar miúdos, a sua fama mantém-se intacta.

15 thoughts on “Princípio de Peter”

  1. E como qualquer Crespo a querer levar a água ao seu moinho, atira-se ao governo, que é o que está a dar. Justiça governamental! A partir de agora Queiroz já sabe que pode contar com toda a oposição, com Cavaco e a imprensa que torce toda para o mesmo club AGS -Anti Governo PS.

  2. Valupi, então?

    Piloto automático? Mas não sabe bem que isso é uma expressão de ocasião? Porque a toma como se fosse real para discorrer o que discorre e não a toma como uma representação necessária ao teatro montado?

    Sabe o que era mesmo um exercício giro? Tentar adaptar ao caso Queirós” os raciocínios que têm sido feitos em relação ao PM, por causa dos pretextos que arranjam para o atacar quando não o vencem nas urnas. Mal comparando, bem ou mal (com maioria relativa ou absoluta) também o Queirós cumpriu os objectivos mínimos, goste-se ou não dele. Como não lhe podem pegar objectivamente há que desatar a arranjar pretextos?
    Uns vão desencavar casas mal amanhadas e datas estranhas, outros hipervalorizam um mau momento que, de facto, só se traduz na produção de vernáculo. Um vê-se obrigado a desmascarar o jornalismo travestido, outro vê-se obrigado a dar uns berros e a chamar vigarista ao jornalista do Sol. Um insurge-se contra que o fritem na praça pública, sem nada seer provado, outro sente-se privado de elementares direitos de cidadania quando lhe montam processos e o dão como culpado sem previamente o ouvirem… sei lá: até são ambos homens giros que despertam imensas invejas, nem vieram de famílias de pergaminhos da linha e coisa e tal…

    A mim preocupam-me basto os sargentolas que gostam de mostrar serviço e se prestam à intriga e à malidecência… Este “caso” não interessa nem ao menino Jesus, não aproveita a ninguém, muito menos à selecção, ao país e muito menos ainda à luta necessária e urgente contra o doping. Este caso só interessa aos que, pelos serviços nele prestados, mais tarde ou mais cedo, hão-de passar de sargentolas a sargentos de barriga proeminente e suíças acabadas de rapar.

    Valupi: peço desculpa se me excedi, mas há-de concordar que não se gostar do homem, não pode, numa democracia avançada, ser impeditivo de condenar esta treta toda.

  3. mdsol, excesso algum. Eu é que agradeço o sentido desabafo. Mas há duas dimensões nesta questão que importa separar, a institucional e a desportiva. Na primeira, apontam-se irregularidades aos diferentes organismos federativos e estatais e há claques que aproveitam para lançar teorias da conspiração, a começar pelo próprio Queiroz. Se têm razão, espero que lhes seja feita justiça. Na segunda, há uma natural divergência de opinião: para mim, os resultados desportivos da Selecção no Mundial são irrelevantes, porque os jogos dependem de inúmeros factores que ultrapassam os treinadores – é a conduta de Queiroz, os seus actos e palavras, que me parece inadmissível para um seleccionador nacional.

    É exactamente a mesma posição que tive aquando da agressão de Scolari a Dragutinovic. Para mim, a única atitude condigna seria a sua demissão, voluntária ou forçada.

  4. Vou contar novamente a história do canário. Um indivíduo pretendia um que cantasse bem e que não fosse muito caro, foi a um aviário para ver se havia lá algum com estas características, o que acabou por encontrar. Na altura do negócio quando se deslocou ao sítio onde se encontrava o canário verificou que não tinha uma perna e disse ao dono do aviário que por esse motivo desfazia o negócio. Responde-lhe o dono do aviário – o senhor quer o canário para cantar ou dançar!
    A Selecção Nacional de Futebol tem de ter à sua frente quem esteja à altura do cargo, quer na parte desportiva como na cívica, não é um qualquer, que sem o mínimo de sensibilidade e educação se põe à frente de uma instituição com essa grandeza. Já tinha dado mostras da falta humildade quando há anos passou por lá e ficou conhecido “por limpar aquela porcaria”, agora colidir com órgãos da mesma categoria. São factos a mais. Foi com o comentador desportivo no aeroporto, é aquela imagem de atirar com o casaco ao chão, tendo este o emblema da Federação Nacional de Futebol e o de Portugal, atitudes destas nem a um puto são de desculpar que fará a adulto, digo adulto, para não usar outro adjectivo.
    Sou de opinião que se devia correr com Carlos Queirós e a Direcção da Federação, ambos não se souberam comportar como pessoas de bem. Depois ficamos admirados com o comportamento de vários jogadores ao serviço da Selecção. É como se costuma dizer: quando na montra é assim que fará no armazém.

  5. Manuel Pacheco

    E o que é que tudo o que diz impede o controlo antidoping? É que não podemos nuns casos relevar o que objectivamente deve estar em causa e noutros tergiversar.

  6. Mdsol:
    O controlo antidoping deve ser feito em tudo que seja competição desportiva para defender a saúde de quem a pratica. Estes muitas vezes são obrigados a tomar essas drogas senão são preteridos. Conheci casos de quem se negou e nesse clube passou a ser marginalizado, se não houver uma instituição do Estado que fiscalize então é que íamos assistir a cenas deplorantes.
    É ver as mortes súbitas que acontecem nos actos e em recintos desportivos. Não me sai da memória a cena dos jogos olímpicos com uma atleta a cambalear até à meta, nunca se quis saber qual o motivo, mas para mim, algo de doping se passava.
    O que Carlos Queirós tinha de aceitar era esse controlo e nunca insultar quem não estava presente e muito menos a sua mãe. É grave comportamentos destes. Ou a Mdsol concorda? Por mim ontem já era tarde para a rescisão. Mas como em tudo se diz: diz-me com quem andas que dir-te-ei quem és. É o que acontece com Gilberto Madail e Carlos Queirós.

  7. Manuel Pacheco

    Onde é que eu diminuí a importância e a necessidade de um combate sem tréguas ao uso do doping? Aliás, do meu ponto de vista hipervalorizar este caso pode objectivamente prejudicar esse combate absolutamente urgente.
    Agora tenho de ir, não sem antes dizer que temos todos de fazer um esforço para não misturar alhos com bugalhos.

  8. Totalmente de acordo com mdsol. Quer se goste ou não do estilo Queiroz e não gostando eu, nunca, de insultos e faltas de respeito seja a quem for, não se deve fazer-lhe o que andam há anos a fazer ao nosso PM. Há elementos na Federação que querem correr com o Queiroz a custo zero e andam á procura de pretextos. Com Sócrates passa-se o mesmo: derrubá-lo , porém a todo o custo , também com pretextos fabricados. Corram com o Queiroz mas com decência, cumprindo o que estiver estipulado contratualmente . Não podemos condenar o uso de certos métodos de actuação aos nossos inimigos/ adversários e aplaudir os mesmíssimos métodos aos nossos ‘amigos/comparsas/camaradas/correlegionários e outros’.

  9. mdsol e Ana Paula Santos, quem são os responsáveis pela situação e qual a solução para o caso? Presumo que, na vossa interpretação dos acontecimentos, Queiroz não merece sanções algumas e as entidades responsáveis deveriam esquecer o episódio e continuar com Queiroz, ou, em alternativa, dar-lhe o dinheiro estipulado no contrato para se ir embora. Isso leva-nos para o papel de Laurentino Dias e as suas mais recentes declarações. Ficou claro que o interesse do Governo não é o de manter o actual seleccionador. Quem tem a razão?

    Se Laurentino Dias está a ser conivente com alguma forma de abuso de poder, se tudo não passa de um truque manhoso para evitar a indemnização, iremos sabê-lo com elevada probabilidade, pois muita gente estará disposta a provar isso mesmo, tamanho o prémio político e mediático em jogo nessa eventualidade. Não sei é onde está a comparação com Sócrates, o qual de nada foi arguido, de nada foi acusado. De Queiroz, e cada um verá o que quiser e a partir da data que preferir, temos atitudes demasiado graves que colidem com a legitimidade, mesmo mero bom senso, da sua manutenção no cargo.

  10. Se o ADoP demora tanto tempo a revelar publicamente este caso, suspeito dos testes que fazem. Têm que explicar publicamente o tempo que decorreu entre a ocorrência dos factos e o que nós sabemos. São eles que nos devem explicações. Os factos remontam a Maio e parece que Queiroz não devia sequer ter ido ao Mundial. Se demoram três meses a tornar público factos ocorridos, quanto custam os testes positivos?

    A mãe do dr. Luís Horta não deve ter culpa nenhuma mas isso não disfarça o aspecto de fuinha do filho. Sou pouco propenso a cenários mas neste caso admirava sobremaneira ter percebido se, caso Portugal tivesse chegado à final ou tivesse sido campeão, tinha continuado a existir obstrução ao controle. É uma dúvida totalmente justificada.

    O resto são líricos. Fica provado que a mãe de um fuinha é sempre uma senhora. Sem culpa própria. É o futebol no seu melhor.

  11. O Queiroz foi acusado pelo ADoP o que significa ter sido acusado por juízes em causa própria. Pelo Conselho de Justiça da FPF, se não erro, foi ilibado da acusação de interferir com o control antidoping. Claro que Sócrates não foi arguido/acusado de nada nem os casos são absolutamente comparáveis mas … ainda que mal comparado, como diz o outro, cheira muito a porcaria em ambos os casos. Repito , para que não restem dúvidas, que reprovo mácriações e faltas de respeito mas, no futebol , não há virgens ofendidas como muitas vezes se pode ver pelas leituras labiais dos jogadores e outros actores em campo e fora dele. Tudo lamentável.

  12. Desculpe insistir porque me esqueci do seu reparo : “… Queiroz não merece sanções…”.
    Claro que eu não quero armar em juíza e, como tal, não preconizo nenhuma solução. Tenho só esta humilde opinião sobre o assunto e nada mais me move.

  13. “Claro que Sócrates não foi arguido/acusado de nada nem os casos são absolutamente comparáveis mas … ainda que mal comparado, como diz o outro, cheira muito a porcaria em ambos os casos.”
    Importa-se esclarecer “o que diz o outro” e o mau cheiro? Tenho a minha opinião mas não descortino as relações. Importa-se esclarecer?

  14. Empatámos com Chipre? Aquilo foi mau olhado do Queiroz. Espero que o ADoP faça o controle porque eles pareciam todos dopados. Quatro a quatro? Aquilo foi combinado com o Queiroz, quase ia jurar. Oxalá os jogadores, os treinadores e os dirigentes não sigam o exemplo do Queiroz e comecem a dizer agora algumas asneirolas. Aquele Queiroz! Bom, temos é que afinar o piloto automático. Eu, se fosse ao ADoP, também lhe fazia o controle anti-doping. Mas o Queiroz, que é um homem do futebol, onde foi ele aprender aquelas asneirolas? No meio futebolistico, não, certamente. Ou foi?

  15. tra.quinas, as tuas dúvidas são as minhas e as de toda a gente. Ainda não chegou ao público uma versão que ilumine as sombras à volta deste estranho caso e seus atrasos, silêncios e discrepâncias.
    __

    Ana Paula Santos, a questão não está no vernáculo, mas sim em algo que – aparentemente – se constitui como uma perturbação grave à actividade de uma autoridade com poderes perfeitamente legítimos para estar naquele local, naquela hora, para recolher material de análise.

    Mas à volta de Queiroz não há só este caso, bem pelo contrário.
    __

    Manuel Loureiro, concordo: todos ao controlo, massagista e roupeiro incluídos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.