23 thoughts on “Perguntas simples”

  1. Durante anos os bancos proclamaram lucros prestigiantes. Distribuiram-nos pelos acionistas. Veio a crise não havia lá dinheiro, isto é, o dinheiro que os depositantes lá tinham colocado não estava lá. Os ativos tóxicos terão absorvido muito dele, mas para onde foi o dinheiro recebido pelos acionistas, o da distribuição dos lucros? Tem que estar em algum lugar. Nos off-shores?

  2. «Estamos a prepararmo-nos, à nossa medida, para a abertura do canal do Panamá.» – Pedro Passos Coelho.

    Esta frase profética está numa entrevista ao Jornal de Negócios online, é de 2014, e é onde se pode encontrar a raiz sobre o famigerado «investimento externo» que foi agora muito aplaudido no congresso do PSD. Sublinho que no ano seguinte, também, o MNE abriu uma embaixada de Portugal no… Panamá. Isto anda tudo ligado (desde o neo-empreendedor Paulo Portas, que anda por lá, ao advogado Rui Machete), de facto.

  3. Eric

    Juras que o Paulo Portas foi abrir uma embaixada ao Panamá ?
    A sério ? queria levar para lá os 2 submarinos ?

  4. a dupla calex & rotex anda bué ocupada com a secagem do betão armado sócras, a meteorologia não ajuda, portantus não pode perder-se com cenas bêpêénicas de 38 milhões. a parada sócras acaba de aumentar para 328 milhões com o lavajato e a possibilidade do liques revelar que o idalécio conhece o amigo silva.

    ” Agora, quase seis anos depois, a VISÃO tentou saber junto da Procuradoria-Geral da República qual o ponto da situação do inquérito-crime em questão, mas não obteve resposta até à hora de fecho desta edição.”

    http://visao.sapo.pt/actualidade/portugal/os-tres-pecados-de-dias-loureiro=f819508

  5. Ó Ignatz

    O RoTex não levou o gajo ao CAlex ? pudera ! o CAlex engavetava-o logo.
    O RoTex está à espera que os crimes prescrevam. Seis anitos já lá vão.
    Agora o que era de valor era uma qualquer “leaks” descobrir a offshore certa …

  6. Ó “estrume”

    Ilucida-me tu sobre essa coisa de Porto Rico …
    O jornal Expresso está a prometer que vai “contar umas histórias de portugueses dos papéis do Panama, … mas só as que têm mais interesse”. Tá-se mesmo a ver que a esta hora devem estar a fuçar nos papéis a ver se acham o nome da parentela do Sócrates e amigos até à 25ª geração, ou mesmo até ao século da fundação da nacionalidade ….

  7. Por cá é mais ou menos a mesma coisa.
    A esta hora estão á procura do “arroz de lulas” português (leia-se Sócrates) no meio dos papéis do Panamá …
    Cheira tão a m…. esta pseudo-fuga de documentos para desmoralizar o Putin (sem que seu nome seja mencionado num único papel) … Aqueles ex-amigos do Eduardo Snowden andam muito activos … e não eram eles que andavam a espiar a Presidente do Brasil ? o Snowden assim o disse, não disse ?

  8. Jasmim, desculpa que te diga mas tiveste um laivo de lucidez entre as 18h44 e as 21h40 mas chegada a hora dos comprimidos (?) entraste novamente num estado obsessivo.

    Sobre a embaixada do Panamá, Jasmim-a-lúcida, acho que era importante aprofundar este tema. Quem se interessa por coisas de África sabe que existe vária bibliografia sobre a ocorrência de conflitos militares nas regiões em que a exploração dos recursos naturais é alvo de cobiça. Ora, enquanto nós andamos a dormir, a diplomacia do MNE sob a batuta de Paulo Portas e Rui Machete prosseguiu os trilhos dos fluxos do dinheiro internacional (o dinheiro entra nos paraísos fiscais não para ficar adormecido mas para regressar limpinho às economias mais frágeis sob o nome de «investimento externo», a dinâmica do jogo financeiro é essa) em que há uma série de condições óptimas para a fauna local e global se banquetear. Recordo que o Paulo Portas, já nesta fase de neo-empreendedor, não reagiu ao suculento assunto dos Panduru porque andava alegadamente pela Colômbia* seguramente pelos caminhos que flirtou quando estava à frente do MNE e em que andava numa lufa-lufa sobre a famigerada «diplomacia económica». Isto e isto e isto anda tudo ligado (os passos estão no Observador direitolas, coisa de 2015), repito.

    * Notas, duas. Basta olhar para a geografia da América Central, ela não não engana; e que a abertura da embaixada no Panamá em defesa dos “interesses portugueses” era anteriormente assegurado pela embaixada portuguesa em Bogotá, capital da… Colômbia.

  9. Adenda, para se perceber porque é que os blindados Pandur são suculentos (blindados Pandur sem u no fim que era aqui uma costela do Glorioso a falar), e qual foi a geo-estratégia da «diplomacia económica» do MNE na América Central quando ela dançava ao toque do PSD/CDS entre 2014 e 2015.

    1, em 2014.
    Passos Coelho: “Precisamos de investimento externo porque não temos capital para o fazer” – Jornal de Negócios
    http://www.jornaldenegocios.pt/economia/detalhe/passos_coelho_precisamos_de_investimento_externo_porque_nao_temos_capital_para_o_fazer.html

    2, em 2015.
    Portugal abre em outubro a embaixada no Panamá – Observador
    http://observador.pt/2015/09/18/portugal-abre-em-outubro-a-embaixada-no-panama/

    3, em 2016.
    O nome de Paulo Portas está referenciado no processo que investiga crimes de corrupção e prevaricação de titular de cargo político, no negócio dos blindados Pandur. Manuel Brandão, antigo chefe de gabinete de Portas na pasta da Defesa, já foi ouvido pelo Ministério Público. Foi confrontado com suspeitas e esteve prestes a sair como arguido. Contactado pela SIC, Paulo Portas, que está fora do país, informou que não tem nada a dizer sobre este assunto.

    Portas referenciado no inquérito-crime aos blindados Pandur – Expresso
    http://expresso.sapo.pt/multimedia/video/2016-02-19-Portas-referenciado-no-inquerito-crime-aos-blindados-Pandur

  10. Eric

    Eu não fui atacada por obsessão nenhuma.
    Os papéis do Panamá foram parar a um jornal alemão por fonte “desconhecida”. Antigamente não vazava nada e agora é só fontes. O Snowden bem avisou o mundo do que os EUA andavam a fazer. Como a primeira coisa que fizeram com a “fuga de informação” foi tentar atacar o filho da Putin, a quem o Snowden deve asilo político, só posso imaginar que não foi o Snowden quem pilhou os papéis ao Panamá mas muito provavelmente algum dos seus anteriores colegas dos serviços secretos.
    É fantástico que não existam nem americanos nem alemães no raio da lista. Fantástico, mesmo. E que se fragilize David Cameron (quero que se f…) que tem de fazer campanha a favor de um certo referendo da para os ingleses não abandonarem a UE …se calhar não querem que os ex-colegas do Snowden têm um patrão que não quer que se faça campanha a favor do sim … digo eu.

    Quanto ao Portas … era genial se alguma offshore estivesse em nome de Jacinto Leite Capelo Rego !

  11. Jasmim-a-lúcida, eu confirmo que às 16h04 conseguiste falar do Snowden, Putin, do Obama em versão We Scan, do Cameron pai, de um ex-MNE português e agora pró-panamiano Paulo Portas e, ainda, do seu camarada Jacinto sem um deslize sequer. É seguires um programa específico dos 12 passos para as dependências, agora vê lá tem cuidado e não tropeces nos posts do Valupi-coleccionador sobre o maldito.

    Ou querem ver que fui demasiado lento, …?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.