O que há para dizer sobre o Sporting e que só um leão teve juba para assumir

O Professor Mário Moniz Pereira, esta terça-feira, à margem do descerramento de uma lápide comemorativa dos 50 anos do Grupo Stromp, no Estádio José Alvalade, criticou certos adeptos leoninos e afirmou que o fim do futebol não significa o fim do clube.

Para o “sr. Atletismo”, o “futebol é uma modalidade como outra qualquer”.

“Se o futebol acabar, continua o Sporting” apesar de “as pessoas acharem que o futebol é que é importante”, opinou.

19 de Dezembro, 2012

14 thoughts on “O que há para dizer sobre o Sporting e que só um leão teve juba para assumir”

  1. Juba?

    Um leão que acha que o futebol se pode tornar acessório ou mesmo desaparecer é um leão careca.

    Um sportinguista nunca sofre de queda de juba.

    Um leão sem juba não ruge, mia.

    Moniz Pereira ou nunca a teve ou usa capachinho.

    É como se os sapos deixassem de ser verdes.

    Um leão a quem só interessa o atletismo é um leão manco, vesgo e desdentado que usa capachinho e mia.

  2. A partir de uma certa data histórica, o Sporting e alguns clubes portugueses cairam nas mãos de indivíduos de quem não se conhece o cadastro.

    Nem o currículo.

    E esses clubes (e o desporto) mereciam gente mais respeitável.

    Era também isso que o prof Moniz Pereira queria dizer.

    Tal Sporting tal país!

  3. eu, que até nem sou do Sporting, ao ler estes “comentários” percebo muityo do que originou este descalabro no clube.

  4. Val, concordo que um sportinguista que, para o ser, nem do futebol precisa, deve ter uma juba muito farta. Mas não se tapa o sol com uma juba…

    sportinguista ateu, se não acreditas no espírito santo (não o banqueiro, o outro) como deduziste que o Moniz tb quis dizer isso?

    carlos pinto, estou curioso do teu profundo conhecimento sobre a mãe de todos os descalabros, podes partilhar?

  5. Tudo bem. Até pode ser um leão sem juba. Até pode ser um violino sem cordas. Até pode ser um lagarto encarnado. Até pode ser um treinador que passa o tempo de jogo sentado, dá uma risadinha quando o Sporten marca um golo ao Rio Ave mas que se esquece que o adversário pode a seguir marcar 2. Só se deve rir no fim e mesmo assim é preciso cuidado pois pode rir-se naquele jogo e depois chorar nos jogos seguintes. O futebol e o desporto em geral são assim. Devemos ter o máximo respeito pelo adversário mesmo que ele seja coxo. E o Jesualdo não teve respeito para com o Rio Ave. E lá perdeu mais um jogo que seria de ganhar mesmo jogando pouco.

  6. “E lá perdeu mais um jogo que seria de ganhar mesmo jogando pouco.” Não será bem assim, visto a época fantástica que o Rio Ave está a fazer, estando agora na 5ª posição da liga. Não são os nomes que ganham jogos. Cumprimentos

  7. Sapo Cocas, os sapos não são verdes.
    Só para quem confunde sapos com rãs, isso acontece.
    Se bem que a americanice do sapo cocas tem uns modos muito ambíguos no trajar.
    O que o prof.Moniz diz, já o diz há mais de “100” anos.
    Mas como é uma pessoa educadíssima, eu traduzo o que ele diz: futebol é um mal necessário para entreter os trogloditas.

  8. Mil perdões porque esta não é a minha praia, prefiro a ave de bico amarelo e garras afiadas. As minhas vestes são encarnadas, não tendo portanto nada com estes desgostos, mas olhem bem que o meu rival Sapo Cocas está cheio de razão! O resto é conversa de assobiar para o ar.

  9. Acho que o grande Moniz não tem razão.
    O Sporting é grande porque tem o futebol profissional, senão tivesse seria um clube pequeno, como tantos outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.