8 thoughts on “Crazy love”

  1. amor mas só se fôr próprio – pela monstruosidade que se é para fazer mal. o amor não é isso – o amor foge disso. há quem não fique mas também não conte ou conte passados muitos anos. não há receita mas também não há remédio. tudo o que é preciso haver é coragem para recomeçar contra tudo e contra todos e a favor de si. e isso é muito.

  2. Valupi

    Há razões que a própria razão desconhece!
    Infelizmente, a maioria destas historias, nao acabam com um final feliz.

  3. uma história com final feliz, primeiro não tinham recebido, agora só receberam o que a lei permite e depois a verdade será apurada pelo ministério público, que deve funcionar como o nosso a destruir ou inventar provas a gosto de quem o capturou. não deixa de ser um bom exemplo como chatear o cavaco até o obrigar a desmontar a contabilidade do bpn ou da coelha.
    http://expresso.sapo.pt/meio-milhao-de-assinaturas-exigem-demissao-de-rajoy=f784189

  4. Ignatz

    Estou a tentar fazer uma correlação linear, entre o testemunho de vida desta mulher com a historia do Rojoy, tal como faço entre o trigo e o milho! Ainda nao cheguei lá. Vou necessitar da tua ajuda.
    Há um livro que devias ler. O título é inspirador ” Sensibilidade e bom senso”

  5. Pergunto eu como pode uma nação inteira, embevecida e abusada pelo euro, continuar a acreditar nas palavras de quem diz que gosta de nós e nos está a ajudar enquanto nos aponta uma pistola à cabeça, enquanto nos dá uma tareia.

    No momento em que decidirmos abandonar os nossos “amigos” credores, teremos que fazer as coisas muito bem, com muita coragem e determinação, pois então correremos o maior perigo: é que, nessa altura, nada mais eles terão a perder…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.