O que é um mulherengo?

A nossa amiga Sabina pede que se defina o conceito de mulherengo. É possível que haja mais definições válidas do que sociais-democratas excluídos das listas de deputados por Ferreira Leite não concordar com o que eles fazem de manhã. Repito, possível. Mas sem certezas.

Ora, uma das melhores definições calha ser a minha, a Sabina está cheia de sorte. E reza assim: mulherengo é todo o homem heterossexual, independentemente da quantidade e qualidade das suas relações sexuais, que não gosta de mulheres. Este conflito resolve-se numa constante fuga para a frente, cuja suprema matriz literária se encontra em D. Juan. Ao nível mundano, o conflito está na base do consumo de pornografia. Assim, o mulherengo é pródigo em elogios às mulheres, ligando-se aos mais díspares elementos, dos corporais aos psíquicos, dos eróticos aos simbólicos. Contudo, o mulherengo é incapaz de conhecer as mulheres que descreve nas suas partes ou abstracções, a sua busca de novidade comprovando a superficialidade das sucessivas experiências.

Tem isto algum mal? Nenhum. E mais: as mulheres gostam de mulherengos, dão excelentes divórcios.

15 thoughts on “O que é um mulherengo?”

  1. existe muito mais do que aquilo que possa parecer à primeira vista, Sinhã.

    disfarçam é melhor, penso eu de que. :-)

  2. desculpas, Sinhã. faz parte deste tipo de postura confundirem-se os meios com os fins.
    a natural e simples função de matar o tempo também deve ter a sua dose de responsabilidade.

    ou não fosse a variável tempo o nosso maior martírio..:-)

  3. acho que o V confunde não resistir a um rabo de saia que se lhe ponha à frente , e rabos de saia à frente de quem tem poder e dinheiro ou é belo é coisa que acontece frequentemente ( a bem dizer a vitima é ele ) com o/a infeliz que sofre de sindrome de don juanismo , sedutores compulsivos , em que o predador é ele/a .

  4. nem eu Sinhã. não consigo usar qualquer tipo de adereços. :-)

    mas sabes bem que o pôr do sol só é belo porque contamos que o valente volte no amanhecer seguinte. o tempo.
    e a previsibilidade. transformámos a previsibilidade numa das estratégias de interacção social mais importantes durante o processo evolutivo. ficámos a perder em percepção, inovação e capacidade de autodefesa.

    já nos estamos a afastar da temática :-)
    ou talvez não, porque o que é facto é que as pessoas, volta e meia, nos falham.

    melhor gestão das expectativas, precisa-se :-)

  5. Há uma certa dependência mutua entre os mulherengos e as suas “vítimas”: eles precisam delas para engrandecer o seu ego e elas não passam sem aquela dose diária de drama nas suas vidas. Ou seja: só se estraga uma casa.
    E a Margarida Rebelo Pinto ainda diz a ambos: “obrigado por existirem, tá?”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.