17 thoughts on “O Portugal de César das Neves, agora em vídeo”

  1. és fodido:-)

    adorei os bois na praia, deve ser na torreira, e o chapéu do sinaleiro branco e rígido. tão giro. e a voz e a música de fundo. traz mais.

  2. não vi o filme até ao fim.este é efectivamente o pais de cesar das neves.ouvi-o ontem na tv com ferreira do amaral num programa moderado por aquele sabujo que veio dos eua para fazer fretes à direita.não consegui ouvir muito porque depois dos dislates do neves,estava à espera da resposta de ferreira do amaral,mas o “americano” na rtp tratou logo de lhe fazer uma pergunta.pelo pouco que vi o programa não é um debate mas duas entrevistas alternadas.há uma imagem que não esqueço do tempo do fascismo.ver as mulheres com um chinelo calçado e o outro no avental,para não se gastarem ao mesmo tempo.só calçavam os dois quando vinha a policia.é para este pais que caminhamos quando os portugueses já não tiverem meios para serem solidarios!

  3. as juntas em vez de distribuirem as verbas disponiveis pelos mais carecidos,fazem este tipo de jogadas vergonhosas,onde alguns alem dos votos saiem a ganhar com uma comissao por passageiro do autocarro!

  4. Aqueles barcos à vela faziam-nos falta hoje para irmos defender as Ilhas Desertas.

    Mas ainda temos os cacilheiros, e ai de quem se meta com Cacilhas, porque Cacilhas é nossa!

  5. Este documentário fez-me regressar a um passado que julgava definitivamente ultrapassado. Infelizmente não está, caminhamos a “PASSOS” largos para a mesma situação. Agora a miséria e o atraso são mais sofisticados. Nenhuma das cenas me admirou, pela simples razão de que fui contemporâneo de muitas delas.
    João César das Neves não passa de um papa missas alienado, que parou no tempo. Como bom católico, como se rotula, devia prestar atenção à mensagem e aos apelos do seu novo guia espiritual O Papa Francisco. Mas como as folhas do seu calendário, não mudaram, continua a reger-se pelo catecismo do cerejeira, e dos chás canasta, para ajudar os pobrezinhos, da ajuda alimentar que durante muitos anos veio do estrangeiro, das subscrições públicas que se faziam nas terras mais pequenas, para ajudar a pagar os remédios e até o funeral dos mais pobres. É para esta situação que nos estão empurrando, estes “estarolas”.
    Como documento histórico, o filme é bom para abrir os olhos a muitos da geração pós-25 Abril, que não conviveram com a verdadeira realidade que era o Portugal dos anos 40 e 50 e 60. Não o do filme mas o Portugal profundo.

  6. Quem não viu o vídeo até ao fim, muito provavelmente não viu a parte relativa a Salazar. É esse, mais do que os clichés turísticos e folclóricos, o verdadeiro Portugal de César das Neves.

  7. Salazar, segundo o vídeo, o homem que nos tirou de uma crise de dívida e que com o voto (?) dos portugueses conduzia os destinos desta economia estável. Grande vídeo dos amigos da NATO. O César das Neves é que devia estar a puxar as redes de arrasto, pacatamente e esforçadamente, claro.

  8. não é preciso ir a 1956, basta ver as actualidades que o ignatz tem estado a colocar neste post. O Portugal do César das Neves é este, hoje.

  9. Em 1956 estava a Europa ainda a lamber as feridas da II Grande Guerra.

    Ver este vídeo hoje, ridiculariza não só esse tal de césar das neves mas toda esta geração de “doutores” que nós nos tornámos em que também ele se inclui.

  10. a direita é um nojo.é repugnante o que eles fazem para ganhar votos.espero que os portuenses se recordem do que meneses fez pelo vizinho do lado,o FCP.imaginem o que fará se for eleito no lado de cá.até jogadores vai contratar!benfiquistas,salgueiristas boavisteiros e sportinguistas,não votem neste homem,pois vai arrasar a concorrencia à custa dos nossos impostos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.